SBT é condenado a pagar indenização para casal do "Fábrica de Casamentos". ( Jonatas Domingos; Unsplash/Divulgação)

SBT e produtora são condenados a pagar indenização para casal do “Fábrica de Casamentos”; saiba os valores e o porquê

O que tinha tudo para ser um conto de fadas, se tornou um pesadelo para um casal de noivos da cidade de São Paulo. Em 2016, os pombinhos foram selecionados para participar do reality “Fábrica de Casamentos”, do SBT. No entanto, faltando dias para a cerimônia, a produção ligou e cancelou o evento. Agora, segundo o UOL, a emissora foi condenada pela Justiça paulista a pagar uma indenização de R$74 mil ao casal. Vixe!

No programa, uma equipe de especialistas comandados pela jornalista Chris Flores e pelo chef de cozinha, Carlos Bertolazzi, tinha a missão de preparar uma festa de casamento dentro de sete dias. Os noivos não precisariam se preocupar com nada e nem arcar com nenhum custo. Buffet, local, roupas, ornamentação, cardápios, apresentações musicais e todos os outros gastos seriam cobertos pela produção.

"Fábrica de Casamentos" era comandado por Chris Flores e Carlos Bertolazzi. (Foto: Reprodução/YouTube)
“Fábrica de Casamentos” era comandado por Chris Flores e Carlos Bertolazzi. (Foto: Reprodução/YouTube)

Após aceita a inscrição, o casal – que não teve os nomes revelados – convidou cerca de 100 pessoas para a cerimônia, que foi marcada para 14 de dezembro. Entre familiares e amigos, o pai do noivo, que mora na Espanha, chegou a comprar as passagens aéreas para vir ao Brasil com a esposa só para prestigiar os noivos.

De acordo com as informações do UOL, quando faltavam apenas 24 dias para o casamento, a produtora do programa cancelou tudo, alegando “problemas com o cronograma”. O casal ainda tentou entrar em contato com a emissora, mas não teve mais resposta. Para tentar resolver a situação, eles procuraram o buffet onde seria o evento para tentar assumir os custos e manter os planos, mas não seguiram em frente após descobrirem os valores altíssimos.

A defesa disse à Justiça que então “iniciou-se o calvário e a vergonha de ter que desmarcar tudo“. Além de avisar todos os convidados que não haveria mais festa, o casal precisou devolver os presentes, que já tinham começado a chegar, e explicar à filha de 8 anos por que o casamento dos pais não ia acontecer mais. “Em decorrência de toda a humilhação e da situação vexatória, a noiva passou a ter crises de ansiedade”, disseram os advogados Liliane C. Agostinho Leite e Alexandre Rossignolli.

Dois anos depois, em 2018, o casal selou a união no civil, mas não comemorou a ocasião por falta de recursos financeiros. Ainda segundo os advogados, nem os amigos ficaram sabendo do casamento, tudo porque o sentimento de humilhação permaneceu com eles.

Programa exibido pelo SBT já teve quatro temporadas. (Foto: Reprodução/YouTube)
Programa exibido pelo SBT já teve quatro temporadas. (Foto: Reprodução/YouTube)

A emissora de Silvio Santos apresentou uma defesa, justificando que o evento era uma “doação”, que teve de ser “abortada por inúmeros motivos”, e não uma relação de consumo na qual o casal adquiriu e pagou por um serviço. “O desfazimento da promessa de doação não pode ser considerado um ato ilícito, tampouco ensejar uma indenização. A Justiça não pode obrigar a emissora a fazer uma doação sob vara”, alegou o canal.

O SBT completou afirmando que o casal já tinha uma vida conjunta antes de participar do programa, “o que mitiga, a bem da verdade, a importância da cerimônia”. Para a defesa da emissora, o processo não passa de um “capricho” do casal.

Continua depois da Publicidade

O juiz responsável pelo caso, Rodrigo de Castro Carvalho, não concordou com a argumentação. Segundo ele, os noivos não foram avisados previamente de que a cerimônia poderia ser cancelada. “A partir do momento que se propuseram a realizar uma festa de casamento, que é fato notório se tratar de um ritual solene com a presença de convidados e realização de um sonho do casal, assumiram a obrigação”, disse o magistrado.

O valor de R$ 74 mil não é uma dívida só do SBT. A produtora do reality, Formata Produções e Conteúdo, também foi condenada. O pagamento deve ser realizado de forma “solidária” pelas duas empresas; são R$ 49 mil dos custos de uma festa no mesmo local em que o programa seria gravado e R$ 25 mil de indenização por danos morais. Este valor ainda pode ser acrescido de juros e correção monetária. Apesar da decisão da Justiça, a emissora e a produtora ainda podem recorrer.

Assista a um dos episódios do programa “Fábrica de Casamentos”: