Emilia Clarke explica como interpretar Daenerys salvou sua própria vida e revela arrependimento pós-GOT: ‘Lamento profundamente’

“Game of Thrones” marcou a vida de milhões de pessoas e chegou até mesmo a salvar uma delas! Em conversa com Regina Hall para a revista “Variety”, Emilia Clarke revelou que interpretar Daenerys Targaryen na série da HBO lhe ajudou a superar os aneurismas que sofreu em 2011. “Eu sempre digo que Daenerys literalmente salvou minha vida, porque conseguiu me colocar num estado mental adequado depois de minha lesão cerebral. Ao dar vida a ela, eu me dediquei muito mais em cada temporada porque era realmente uma questão de vida ou a morte“, explicou.

Eu me senti tão poderosa ao perceber que ela estava me salvando. Só tinha olhares pra ela. Esse foi o meu único foco e me permitiu não pensar em coisas assustadoras, apenas em entrar no set“, acrescentou Clarke. Questionada por Regina sobre se teria levado algum item para casa após o fim das filmagens da temporada final, a estrela revelou ser este, um arrependimento. “Eu não levei nada e lamento profundamente, e estou muito aborrecida. Eu estou realmente esperando que os showrunners me deem um ovo de dragão. Eu preciso das minhas meias fedorentas!“, exclamou.

Nada de zíperes no look! (Foto: Reprodução / HBO)

Chegar à conclusão é totalmente surreal. Tanta vida aconteceu nos 10 anos nos quais estive na série. Eu me transformei em uma mulher. Eu tinha 23 anos. Já faz quase um ano [que terminamos de gravar] e levei muito tempo para chegar a um acordo sobre isso. Foi praticamente uma crise existencial. Quem sou eu? Onde estão os meus dragões? Você via todo mundo já verdadeiramente fragilizado nos últimos dias e aí quando acabou, despedaçou todo mundo“, recordou sobre o fim dos trabalhos na produção épica.

Ainda no bate-papo, Clarke revelou um detalhe interessante do figurino de Daenerys. Como não existia zíper em Westero, a roupa precisava ser costurada com a atriz já dentro da peça! “Michele Clapton, que desenha as fantasias, é uma deusa absoluta. Eu nunca vou ficar tão bonita, sério. Eram todos espartilhos, e tudo costurado comigo dentro! Ela não acredita em zíperes, o que é ótimo. Só não era ótimo quando precisava sair daquilo. Você ia me ver com a tesoura tentando me livrar“, detalhou.

Por fim, a maravilhosa recordou da época em que foi aprovada para atuar nesse que se tornaria um dos maiores fenômenos da TV. “Eu estava tão feliz de estar empregada. Foi meu primeiro emprego. Eu sabia que estar em um programa da HBO era incrível, mas mais do que tudo, eu sabia que ter um salário regular que não fosse por mesas de espera seria maravilhoso“, declarou a atriz que antes da carreira estourar, ganhou a vida como garçonete.