Fim de “How To Get Away With Murder”! Série CHOCA espectadores com desfecho e é muito elogiada por fãs; Veja TUDO o que rolou!

Após seis temporadas icônicas, “How to Get Away with Murder” chegou ao fim nessa quinta-feira (14). O episódio final, exibido na TV norte-americana, contou com discursos dramáticos e poderosos, brigas, mortes e momentos marcantes. A série cumpriu o difícil papel de criar um desfecho para personagens tão queridos que agradasse aos espectadores e recebeu diversos elogios dos fãs nas redes sociais.

[ALERTA FORTÍSSIMO DE SPOILERS: NÃO LEIA SE VOCÊ NÃO QUISER SABER O QUE ACONTECE NO FINAL DE ‘HTGAWM’]

Alerta de spoilers! (Foto: Reprodução/Tumblr)

Vamos lá: uma das maiores questões que ficou para o último episódio foi o julgamento de Annalise (Viola Davis). A protagonista começa tensa ao saber sobre a morte de Hannah (Marcia Gay Harden). É dado a entender que Frank (Charlie Weber) pode ter sido o responsável pelo crime após descobrir que foi fruto de um relacionamento incestuoso entre ela e o falecido irmão, e ex-marido de Annalise, Sam (Tom Verica).

O personagem de Charlie Weber chega a ameaçar o advogado da mãe com uma arma, dando indícios de que poderia ser o culpado, mas então recebe um pen-drive, que não só vai mudar o caso de Annalise, como também deixar implícito que a governadora Birkhead (Laura Innes) estava por trás do assassinato.

Além de conseguir o pen-drive, Frank ainda tem um papel essencial ao convencer (ou subornar com US$ 87 mil) Gabriel (Rome Flynn) a não depor contra Annalise. No tribunal, então, apenas três grandes testemunhas depõem. O primeiro é Jorge Castillo (Esai Morales), pai de Laurel (Karla Souza), que nega qualquer conexão com a governadora. Ao invés disso, ele acusa Annalise e Tegan (Amirah Vann) de conspirarem contra ele.

O julgamento de Annalise foi o ponto central do desfecho (Foto: Reprodução/ABC)

Depois, é a vez da governadora ser interrogada, também negando conhecer Castillos e conspirar com o FBI. No entanto, é neste momento que Annalise usa o pen-drive obtido por Frank. No dispositivo, há uma ligação entre Hannah e Xavier Castillo (Gerardo Celasco), filho de Jorge. “Eu acabei de ver a governadora na TV dizendo que Nate Lahey Sr. morreu”, diz Hannah, ao que Xavier confirma. “Porque a governadora matou ele!?”, ela continua, incrédula. A governadora mantém a versão de que não entende por que ambos estão falando tão intimamente sobre ela, mas sua imagem sofre um rasgo a partir disso.

Por fim, é a vez de Nate (Billy Brown) depor. Annalise não tem muita fé em seu depoimento, porque ele recebeu uma proposta para um acordo de US$ 20 milhões pela morte do pai. No entanto, o personagem de Billy a ajuda, mentindo que Hannah armou para ele pelo assassinato de Sam, quando, na verdade, foi a própria Annalise. Ele ainda revela que o FBI o coagiu a dizer o que eles queriam.

Em seu argumento final, Annalise faz um discurso poderoso sobre finalmente se liberar das máscaras e assumir quem realmente é. “Se eu sou uma pessoa ruim? Bem, sem a máscara, eu preciso dizer que sim. Mas se eu sou a mente criminal que orquestrou uma série de assassinatos violentos? Claro que não! Eu sou uma mulher de 53 anos de Memphis, no Tennessee, chamada Anna Mae Harkness. Eu sou ambiciosa, negra, bissexual, brava, triste, forte, sensível, medrosa, feroz, talentosa, exausta e estou a mercê de vocês”, conclui.

Enquanto espera o veredito, Tegan finalmente revela que está apaixonada por Annalise. Ela insiste que pode dar amor e fazê-la feliz, mas a protagonista não pode prometer o mesmo. “É o que você merece e está por aí para você, mas não sou eu”, responde. Elas, então, são interrompidas pela notícia de que Annalise foi declarada inocente das acusações!

Em meio a toda essa história, Connor (Jack Falahee) e Oliver (Conrad Ricamora) passam por turbulências. Connor está pronto para ser responsabilizado por seus crimes e ir para a cadeia, mas o marido não aceita. Oliver tenta arranjar um acordo para ele não ser preso e se oferece para depor contra Annalise. No entanto, ao descobrir isso, Connor não só nega o acordo, como pede o divórcio.

Pode sentar que vem mais tensão aí! Como vimos nas prévias e no começo do episódio, há um tiroteio após o julgamento de Annalise. Quando a série chega neste ponto, descobrimos que o responsável por iniciar os tiros foi Frank, mirando na governadora. Ele consegue cumprir o objetivo, mas também acaba levando um tiro no embate e morre nos braços de Bonnie (Liza Weil).

Annalise chega desesperada ao local apenas para descobrir que Bonnie também levou um tiro. A personagem morre logo após Frank, no colo da protagonista.

Por fim, lembram o tal funeral para Annelise abordado desde o começo da temporada? Ele realmente acontece, mas anos depois, quando ela já está velha e morre de causas naturais. Lá, uma Eve (Famke Janssen) já idosa discursa sobre a pessoa que mais amou na vida. E então vemos a figura de Alfred Enoch, que deixou muitos fãs com a pulga atrás da orelha.

Na verdade, o ator aparece ali como Christopher, a versão adulta do filho de Wes e Laurel. “Você quer dizer alguma coisa?”, ele pergunta para a mãe, em espanhol. “Não, mas você deveria”, aconselha ela. Na última cena da série, descobrimos o porquê do conselho de Laurel, quando ele aparece para dar uma aula na universidade de Middleton. “Eu sou seu professor de Lei Criminal 100 ou, como minha mentora costumava chamar, ‘como se safar de um assassinato'”, diz ele, escrevendo as palavras na lousa, enquanto visualiza Annalise sentada nas cadeiras à sua frente.

O final ainda dá mais algumas informações: Annalise e sua irmã, Celestine, se despediram da mãe que faleceu; Jorge Castillo foi esfaqueado até a morte na prisão; Michaela já mais velha se torna advogada (ou juíza) acompanhada das duas filhas; e no funeral de Annalise, Laurel olha para trás e percebe que Connor e Oliver continuaram juntos no final das contas.

E aí, o que acharam do desfecho?