Fotos: Reprodução/Netflix

Round 6: Site da Coreia do Norte se manifesta sobre produção sul-coreana da Netflix; confira

Diante do sucesso global da série “Round 6“, da Netflix, a Coreia do Norte se pronunciou sobre a atração sul-coreana. Segundo informações da NBC News, um site de propaganda do país publicou um artigo nesta terça-feira (12), argumentando que a série revela que a vida na Coreia do Sul está “infestada pelas regras de sobrevivência do mais apto, corrupção e imoralidade”.

“O público se entristece com a realidade da sociedade sul-coreana, que está se tornando uma situação brutal onde a humanidade é destruída na competição extrema”, continua o artigo. Ele ainda aponta que o programa retrata uma “sociedade desigual onde os fortes exploram os fracos”.

“Round 6”, originalmente intitulada “Squid Game”, também aborda as relações conturbadas entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. Uma das protagonistas, a jovem Sae-byeok, é uma imigrante norte-coreana cuja mãe ainda está presa em seu país de origem e o pai foi morto ao tentar fugir. Enquanto isso, seu irmão de 10 anos vive em um orfanato. Ela participa dos jogos mortais no intuito de ganhar um enorme prêmio em dinheiro e lhe dar uma vida melhor.

Véiculo norte-coreano falou sobre "Round 6". (Fotos: Youngkyu Park/Netflix)
Veículo norte-coreano falou sobre “Round 6”. (Fotos: Youngkyu Park/Netflix)

Semanas após a estreia, em 17 de setembro, “Round 6” se tornou oficialmente a série original mais popular da história da Netflix. “‘Squid Game’ atingiu oficialmente 111 milhões de fãs — fazendo dela nosso maior lançamento de série de todos os tempos”, confirmou a gigante do streaming ontem via Twitter. A série bateu com folga a detentora anterior do título, “Bridgerton“, que foi vista por 82 milhões de usuários no lançamento da 1ª temporada.

A Coreia do Norte já havia se manifestado sobre um projeto audiovisual relacionada ao sul. No ano passado, o país elogiou o filme “Parasita”, apontado como uma obra-prima que mostra a divisão e a desigualdade entre os ricos e os pobres na Coreia do Sul. Segundo a Reuters, um jornal pró-norte sediado no Japão disse que o filme “expôs fortemente a realidade” do Sul.

O sul-coreano "Parasita" recebeu a estatueta de "Melhor Filme" do Oscar 2020 (Foto: Divulgação)
O filme sul-coreano “Parasita” recebeu a estatueta de “Melhor Filme” do Oscar 2020 (Foto: Divulgação)

A influência estrangeira e as informações externas são vistas internamente como ameaças à liderança norte-coreana de Kim Jong Un, que há tempos ordena que os cidadãos evitem tais conteúdos, desde vestuário até movimentos de dança. Em junho, Kim caracterizou o K-pop como um “câncer vicioso”, de acordo com a KCNA, agência de mídia estatal da Coreia do Norte. Em julho, um editorial publicado no jornal oficial do país disse aos jovens norte-coreanos para evitar o uso de gírias “perigosas” do Sul, de acordo com a Agência de Notícias Yonhap da Coréia do Sul.

Continua depois da Publicidade

Com nove episódios, a série “Round 6” retrata uma competição de sobrevivência misteriosa e mortal, em que 456 participantes disputam entre si por um prêmio bilionário. As provas da competição são compostas por vários jogos coreanos infantis. No entanto, há uma diferença: ao invés de uma brincadeira inocente, quem perde, tem de pagar com sua própria vida. Espia só o trailer da primeira temporada: