Site identifica erro grosseiro de continuidade na terceira temporada de “Stranger Things”; veja!

Quando a pessoa é fã de uma série, ela assiste aos episódios tantas vezes, que acaba encontrando coisas que nem a própria equipe de produção sabia que estavam ali. Os admiradores de “Stranger Things” identificaram um deslize digno de Sherlock Holmes! De acordo com o portal Looper, na terceira temporada do programa, um erro de continuidade demonstrou que faltou um pouquinho de pesquisa histórica por parte da atração da Netflix.

No episódio intitulado “Capítulo Cinco: Os Devoradores”, o núcleo infanto-juvenil do programa está prestes a entrar no hospital de Hawkins para interrogar a personagem Doris Driscoll, interpretada pela atriz Peggy Miley. Na sala de espera do prédio, Eleven (Millie Bobby Brown) usa seus poderes para conseguir um pacote de M&M’s para Lucas (Caleb McLaughlin) e Mike (Finn Wolfhard). Com o intuito de reconquistar a namorada, o irmão de Nancy (Natalia Dyer) decide dar todos os confeitos na cor vermelha para a amada.

É aí que a trama começa a se enrascar com a vida real. O terceiro ano de “Stranger Things” se passa em 1985. Nesta época, o confeito na cor vermelha não era vendido. A empresa que fabricava o produto precisou encerrar a produção do chocolate com essa tonalidade ainda nos anos 1970, e só trouxe de volta para o mercado em 1987. Ou seja, no mínimo uma média de dois anos desde o dia em que Mike tentou flertar com Eleven na história.

Confeitos vermelhos não existiam no ano da terceira temporada de “Stranger Things”. Foto: Reprodução/Netflix

O encerramento na produção do chocolate vermelho, na verdade, afetou diversas outras marcas. A “Food and Drug Administration” publicou um estudo ligando a substância existente no corante ao câncer. Por causa disso, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos proibiu os alimentos com esta cor. A empresa que fabricava os M&M’s não usava o produto proibido, mas preferiu seguir as orientações e lançou o confeito laranja no ano de 1976, para substituir o vermelho e não prejudicar suas vendas.

Esta não é a primeira vez que os fãs identificam uma falha ligada ao ano em que a série passa. A própria produção de “Stranger Things” provocou o público para encontrar um “easter egg” deixado em um dos episódios. Se tratava de um túmulo do fantasma Beetlejuice, do filme “Os Fantasmas se Divertem”, que decorava a maquete de Scott Clarke (Randall P. Havens). Contudo, o clássico do cinema só estreou em 1988, três anos depois. A homenagem para Winona Ryder, que faz o programa e trabalhou no longa, acabou virando um deslize — mas será que importa?