Refém que viralizou ao sair de sequestro com cerveja na mão revela detalhes inusitados do caso: “O sequestrador me deu de presente”; Entenda

O brasileiro realmente precisa ser estudado. Na semana passada (29), uma cena inusitada ganhou atenção das redes sociais. Um homem, que foi feito de refém durante um sequestro no Rio de Janeiro, saiu do local acompanhado de policiais com uma garrafa de cerveja na mão. De bermuda e chinelos, o Sr. Isaías Gonçalves foi mostrado andando tranquilamente pela calçada e até sorrindo.

Rapidamente, o caso viralizou. O senhor contou sua história ontem (06), no “Encontro com Fátima Bernardes”. Isaías arrancou risadas da plateia e dos convidados ao entrar no estúdio com uma garrafa de cerveja na mão, que entregou para ela. “É brincadeira, é cenográfica”, riu a apresentadora.

“Eu não bebi nada lá dentro. O sequestrador me disse: ‘Leva uma garrafa, tá cheio de cerveja aqui dentro'”, comentou o rapaz, que estava trabalhando quando um homem portando uma faca e um galão possivelmente cheio de combustível decidiu fazer reféns, as sete pessoas que estavam dentro do estabelecimento.

O sequestro durou 8 longas e tensas horas! Sem ferimentos, Sr. Isaías foi um dos últimos a sair. O crime teria sido motivado por uma discussão sobre o barulho no bar. O sequestrador morava no andar de cima e teve um desentendimento com a proprietária.

Isaías, que presta serviços de refrigeração, deu mais detalhes sobre o momento. “Fui conferir a geladeira que eu tinha consertado [na noite anterior]. Estava trabalhando, não estava lá me divertindo. Quando entrei, ele invadiu e fechou a porta”, afirmou.

Sobre a cervejinha que deu o que falar, Isaías explicou: “Estava cheio de cerveja e não bebi nada lá dentro, aí o sequestrador falou: ‘Tem muita cerveja, leva uma’. Ele deu de presente… Mas não bebi”. A declaração tirou muitas risadas do público. Ah, e a repercussão já era prevista! “Ele próprio [sequestrador] falou que iria dar ibope”, disse.

Ele também confessou que não ficou nervoso diante da situação e se manteve próximo do sequestrador o tempo todo! “Fiquei tranquilo… Estava ao lado dele. Se ele fizesse alguma coisa, não iria deixar. Era um cara só. Ele estava nervoso”, relatou. Corajoso, hein?!

O bandido até liberou o pessoal para receber ligações! “Estavam me ligando direto, aí atendia e falava [que estava sequestrado]. A minha esposa pensou que estava fazendo coisa errada!”, brincou o senhor.

A repercussão do caso foi tamanha, que a cena da liberação do sequestro foi transformada em um grafite pelo artista Airá O Crespo, que acrescentou uma camisa do Flamengo à figura de Isaías e a frase: “O Rio é um refém carregando um litrão de cerva”. O desenho foi feito também na região da Lapa. Entretanto, Isaías desaprovou a arte: “Não gostei da homenagem. Não teve minha autorização”.