Após críticas por comentário, padre Fábio de Melo anuncia saída do Twitter para cuidar da saúde emocional: “Rezem por mim”

Aparentemente, não veremos mais os comentários do padre Fábio de Melo no Twitter. Na manhã desta sexta (09), o religioso anunciou que deixaria a rede social para cuidar da saúde emocional. Ele estava sendo criticado desde quinta por dizer que Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha, não deveria sair da prisão no dia dos pais.

“Não entendo de leis, mas a ‘saidinha’ deveria ser permitida somente no dia de finados. Para que visitassem os túmulos dos que eles mataram”, alegou o padre, compartilhando a notícia de Nardoni. O tuíte recebeu quase sete mil respostas, dentre elas, uma considerável parte que discordava da opinião de Fábio de Melo.

“Não entendo muito de igreja, mas acho que padre deveria parar de falar m*rda no twitter”, rebateu um seguidor. “Eu esperava de um padre um comentário mais cristão”, completou outro. Um internauta ainda acusou: “Com uma opinião merda dessas nem precisava ter começado com ‘não entendo de leis’, ficou redundante.”

O padre, então, anunciou a saída da rede social em uma série de tuítes, na qual falou sobre o cuidado com a saúde mental e sobre a importância do diálogo sem julgamento. “Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável pra mim”, lamentou ele.

“Nunca tive dificuldade com as diferenças. Aliás, o meu ministério sempre foi exercido entre elas. Mas a dialética, um dos movimentos que nos permitem o acesso à verdade, vem gradativamente sendo substituída por acusações e julgamentos”, indicou o religioso, comparando a rede à Ágora antiga. “O Twitter sempre foi um lugar de encontro. A Àgora dos nossos tempos. O ponto de reunião improváveis. Falei e fiquei amigo de quem não passaria na porta da minha igreja. Foi bom.”

Fábio de Melo seguiu explicando a intenção de seu comentário sobre Alexandre Nardoni. “Desde ontem, quando expressei minha indignação sobre a ‘saidinha’, estou sendo acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis. Só reitero. Já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade da ressocialização dos presos”, reforçou ele. “Eu apenas salientei sobre a justiça não ser capaz de preservar, para os que sofrem suas perdas, o simbolismo das datas, libertando os responsáveis pelas mortes de seus entes queridos. Só isso.”

Por fim, o padre agradeceu as pessoas que o apoiaram e deixou um pedido a todos. “Agradeço muito o carinho que sempre recebi aqui. Eu me divertia muito com vocês. Obrigado pelos amigos que fiz. Rezem por mim”, concluiu.

O religioso, que acumulava quase 7 milhões de seguidores na plataforma, fala sobre o tratamento de sua depressão e síndrome de pânico desde 2017. Ele, inclusive, é um dos personagens da nova série do Fantástico, “Não tá tudo bem, mas vai ficar”, comandada pelo Dr. Drauzio Varella.

O quadro mostra como alguns famosos lidaram com seus problemas de saúde mental e, em sua estreia, teve como convidada a cantora Paula Fernandes, que se abriu sobre sua tentativa de suicídio aos 18 anos. Ainda não foi divulgado quando o episódio com o padre vai ar.

IMPORTANTE: Depressão é um assunto super sério e pode atingir qualquer pessoa. Se você ou alguém que você conhece está passando por dificuldades emocionais ou considerando o suicídio, ligue para o ‘Centro de Valorização da Vida’ pelo número 188. O CVV realiza apoio emocional, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Para mais informações, clique aqui.