Pular para o conteúdo

Após Kanye West lançar álbum gospel, “Igreja de Satã” debocha e afirma que diabo “é o melhor amigo que cantor já teve”; entenda essa bizarrice!

Kanye West encontrou Jesus… mas seu passado lhe condena! Pelo menos, é isso o que garante a “Igreja de Satã”. Muito ativa — e afrontosa — nas redes sociais, a organização decidiu se pronunciar sobre a nova empreitada do rapper no mundo da música gospel… e zoou bastante!

“Satã é o melhor amigo que Kanye já teve, e vai mantê-lo prosperando por todos esses anos!”, avisaram no Twitter. O recado vem após o artista lançar seu álbum gospel, “Jesus Is King”. De acordo com o TMZ, Kanye também não tem mais intenções de cantar suas antigas músicas no formato original; a partir de agora, elas serão editadas para se adequar à nova era do astro.

Provavelmente, Kanye não responderá ao deboche da “Igreja de Satã”. No entanto, é sabido que o rapper ficou bastante indeciso nos últimos tempos em relação à sua religião e à sua música. Em entrevista a0 canal cristão Apologia, o pastor do astro, Adam Tyson, falou um pouco sobre as dúvidas de Kanye sobre sua obra anterior. O pai de North, Saint, Chicago e Psalm acha que o rap é a “música do diabo”, e pensou seriamente em largar tudo. Porém, Tyson instruiu o cantor e afirmou que ele não precisava ser extremista; ele podia “fazer rap para Deus”. Além disso, Tyson colaborou no álbum “Jesus Is King”, fazendo sugestões e vetando partes das letras das canções.

Outro fato curioso é que Kanye pediu a todos que trabalharam em seu álbum para se abster do sexo antes do casamento, enquanto cumpriam suas tarefas em “Jesus is King” — apesar de já ter sido até diretor criativo de um prêmio para filmes pornôs, o Pornhub Awards. O astro também pediu para que seus funcionários jejuassem de tempos em tempos. “Quando as pessoas rezam juntas e jejuam juntas, o poder é maximizado. Houve vezes em que eu procurei as pessoas que estavam trabalhando em outros projetos e disse: ‘Será que você pode apenas trabalhar e focar nisso?’. Eu apenas pensei que se todos nós pudéssemos focar e jejuar — famílias que rezam juntas, permanecem juntas”, explicou.

“Jesus Is King” é resultado do projeto que Kanye West vem liderando há algum tempo, o “Sunday Service”, em que ele se apresenta ao lado de um coral gospel, principalmente em cultos religiosos. Porém, a nova empreitada do artista não está sendo muito bem recebida por muitos fãs e pela crítica especializada. “O nono álbum de Kanye West contém lampejos de inspiração — divinos e outros — mas é apenas isso”, escreveu a revista Variety.

Kanye West fez um grande evento de lançamento do novo álbum em um cinema. Foto: Getty

Mesmo com as avaliações ruins, os informantes do site TMZ contaram que o cantor não tem se importado nenhum pouco com o que as pessoas estão dizendo; inclusive, graças à sua religião, ele “continuará a fazer as músicas que ELE quer”. De fato, Kanye West parece bem comprometido com as suas escolhas profissionais. Antes mesmo de liberar o disco inédito, ele anunciou que lançará a continuação “Jesus is Born” no dia 25 de dezembro deste de ano.

Ainda, o pai de North West revelou que voltará aos palcos com uma turnê nova. Mas, pelo visto, é melhor esperarem por uma setlist mais “abençoada”. A última vez que Kanye fez shows ao redor do mundo foi com a “Saint Pablo Tour”, em 2016, que foi encerrada de última hora devido a um quadro de exaustão e instabilidade mental, que o levou a ser internado.