Após prisão de Belo, Gracyanne Barbosa quebra o silêncio e desabafa: “Como pagamos nossas contas?”

Nesta quarta-feira (17), o cantor Belo foi preso em Angra dos Reis pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD), da Polícia Civil do Rio de Janeiro. A detenção faz parte de uma investigação sobre um show no Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, no último dia 13, mesmo diante das proibições da pandemia do coronavírus. A esposa do artista, Gracyanne Barbosa, quebrou o silêncio e publicou uma série de stories comentando o caso e em defesa do marido.

“Estamos nos virando para nos adequar às novas normas. Não existe vilão ou mocinho. Seria maravilhoso e o ideal se pudéssemos ficar trancados em casa aguardando a vacina… Mas como pagamos nossas contas? Nós ficamos meses em casa, e mesmo agora, não saímos”, garantiu a musa fitness. O principal ponto de Gracyanne é a necessidade do cantor em voltar a trabalhar, segundo ela, assim como vários outros profissionais no país. “Triste ver alguns destes sendo oprimidos em suas tentativas de continuidade ao trabalho“, lamentou.

Barbosa afirmou que o setor do entretenimento voltou à ativa, mas agora seguindo novos protocolos. E Belo estaria cumprindo todos os que lhe cabem. “Só em cima do palco ele tem o contato e a noção do público”, frisou, referindo-se à aglomeração que aconteceu no show de sábado. “Ele se preocupa com as aglomerações e sempre reivindica quando se burla alguma regra deixando ele ou seus fãs em risco”, defendeu Gracyanne, lembrando que o marido já contraiu a covid-19 e tem familiares próximos que fazem parte dos grupos de risco. Por isso, Belo estaria levando a sério a questão da pandemia.

Gracyanne Barbosa e Belo foram fotografados na delegacia nesta quarta-feira (17). Fotos: Anderson Borde/ AgNews

Continua depois da Publicidade

Mas, em seguida, Gracy voltou a argumentar a necessidade do cantor voltar a trabalhar. “Precisamos, por nós, nossa família e várias outras famílias que dependem desse trabalho”, escreveu. A musa fitness aconselhou que, em casa de irregularidades, as pessoas devem, sim, fazer denúncias o quanto antes. O evento que Belo participou, por exemplo, não tinha autorização para ser realizado. “Mas é isso, respirar fundo, orar e ter paciência. Trabalhar com arte sempre foi matar um leão por dia. Nos dias atuais e de pandemia, é matar mil leões a cada hora. Na verdade não só com a arte, né, minha gente? Nesse país tudo é difícil até correr atrás do sustento de nossa família”, finalizou Barbosa, antes de agradecer as mensagens de carinho.

Posteriormente, Gracyanne compartilhou uma foto no Instagram ao lado do marido e escreveu na legenda: “Você saiu para fazer mais um show, para trabalhar para a nossa família! E agora não saberemos que horas você volta. Você subiu a comunidade e cantou, fez um super show. Perpetuou sua mensagem de amor. Amanhecemos com a nossa casa invadida. Prisão e pesadelo. A opressão da realidade de uma periferia, que sempre lutamos contra, hoje atinge a realidade de um artista, em que é proibido sair para trabalhar”.

“Para justificar algo, botam nas costas dele, atribuições que nem são dele. Checar restrições sanitárias se tornou função do cantor, bem como checar autorização do local. Censura? Opressão? Ditadura? Me pergunto tanta coisa! Hoje essa é a história da minha família. Mas quando a vejo no espelho, ou abro o jornal, vejo também que é a realidade de muitas famílias que vivem em comunidades. Quantos lutam para sair pra trabalhar e estudar, e não voltam?”, indagou a musa fitness.

Continua depois da Publicidade

Barbosa voltou a frisar que o show do marido é uma necessidade de trabalhar em tempos difíceis da pandemia, e que ele cumpriu todos os protocolos de segurança. “Temos um novo normal, que é novo para todos. Não somos vilões, estamos ao máximo, TODOS, lutando contra o tempo para se adequar ao máximo às novas regras”, reclamou. “Belo cumpriu todas as normas no redor dele, com sua banda e equipe todas protegidas. Assim como ele espera que todos façam suas partes, contratantes cumpram seus deveres. E público também, exijam sempre segurança para vocês curtirem, é direito de vocês”, aconselhou.

Entenda o caso

De acordo com informações do G1, Belo foi preso em Angra dos Reis, na Costa Verde. Também foram apreendidos numa produtora da cidade, veículos e equipamentos. A polícia investiga ainda a invasão à Escola Municipal do Parque União, local onde se deu o show no último dia 13, já que não houve autorização da Secretaria Municipal de Saúde.

Belo é mais uma vez alvo da Justiça (Foto: Divulgação / TV Globo)

Após abertura de um inquérito, a DCOD cumpriu quatro mandados de prisão preventiva. Além de Belo, também foram presos: Jorge Luiz Moura Barbosa, o Alvarenga, apontado como chefe do tráfico no Parque União; Célio Caetano e Henriques Marques, sócios da produtora Série Gold, que organizou o evento. A polícia ouvirá todos os envolvidos, inclusive o cantor, que terá de explicar quem pagou o cachê do show.

Continua depois da Publicidade

Em conversa com a TV Globo, na ocasião da abertura da investigação, Belo alegou que a apresentação teria sido realizada de acordo com todos os protocolos de saúde. “Fizemos o show seguindo todos os protocolos. Não temos controle do geral. Isso nem os governantes têm. As praias estão lotadas, transportes públicos, e só quem sofre as consequências são os artistas. Que foi o primeiro segmento a parar, e até agora não temos apoio de ninguém sobre a nossa retomada. Sustentamos mais de 50 famílias“, declarou ele. Nas redes sociais, no entanto, circularam vídeos nos quais é possível ver uma grande aglomeração na plateia.