Após apoio a Woody Allen, Scarlett Johansson é criticada por Dylan Farrow, filha do diretor que o acusa de abuso sexual; veja!

Scarlett Johansson deu um depoimento que a deixou em uma tremenda saia justa. Capa da edição de setembro da revista The Hollywood Reporter, a atriz revelou que acredita na inocência de Woody Allen nas acusações de abusos sexuais. A fala da estrela chegou ao conhecimento de Dylan Farrow, filha adotiva do diretor e autora da denúncia, que deu uma tremenda alfinetada contra a intérprete da Viúva Negra nos cinemas.

Ontem (4), em sua conta no Twitter, Dylan retuitou uma postagem que noticiava a fala de Johansson para a publicação, e escreveu: “Porque se aprendemos alguma coisa nos últimos dois anos, é que você definitivamente deve acreditar em predadores do sexo masculino que dizem ‘manter sua inocência’ sem questioná-los”, ironizou. “Scarlett tem um longo caminho a percorrer para entender o problema que ela afirma defender”, escreveu. Ela ainda completou com outro post dizendo: “E minhas desculpas antecipadas por interromper suas notificações do Google novamente [com esse assunto]”.

Dylan Farrow chocou o mundo ao trazer à tona uma história de abuso sexual cometida pelo famoso diretor quando ela era uma criança. Desde a denúncia, Woody Allen sempre negou as acusações e nunca chegou a ser indiciado. Por já ter trabalhado com ele algumas vezes, Scarlett Johansson foi questionada na entrevista sobre como ela se sentia em relação ao caso. “Eu amo Woody. Eu acredito nele, e trabalharia com ele a qualquer momento”, respondeu.

“Tivemos muitas conversas sobre isso. Eu fui muito direta com ele, e ele é muito direto comigo. Ele mantém sua palavra sobre sua inocência, e eu acredito nele”, afirmou. Sendo uma ativista dedicada contra os casos de assédio e abuso, Scarlett Johansson também foi perguntada sobre a dificuldade de declarar sua opinião publicamente. “É difícil porque é um momento em que as pessoas estão muito entusiasmadas, é compreensível. As coisas precisavam ser agitadas, então as pessoas estão com sentimentos fortes, paixão e raiva com razão. É um momento intenso”, analisou.

Johansson também falou sobre o “Time’s Up”, movimento que denuncia casos como os de Dylan Farrow acontecidos nos bastidores de Hollywood. “Era quase como se você encontrasse algo que nem sabia que precisava. Foi quando eu entendi pela primeira vez o que a palavra ‘gatilho’ realmente significava. Agora faz parte do vocabulário, mas era como ‘Oh. Oh, o que estou sentindo’. É o que significa. Eu não sabia. De repente, você não precisava mais aguentar as coisas em silêncio”, falou.