Em trecho vazado de música, Eminem apoia agressão de Chris Brown contra Rihanna: “Também agrediria uma vadia”

Eita! Eminem virou um dos assuntos mais comentados das redes sociais, nesta segunda-feira (04), após um suposto trecho de uma música antiga dele vazar na web. No áudio, o rapper diz que está ao lado de Chris Brown no caso de agressão contra a Rihanna.

O trecho supostamente faz parte da canção “Things Get Worse”, lançada em 2011, que está na mixtape “E.P.I.C. (Every Play is Crucial)”, do B.o.B., e da coleção de faixas vazadas do Eminem, intitulada “Straight from the Lab Parte 2”. No entanto, a fala polêmica seria de uma versão solo do intérprete de “Till I Collapse”, de acordo com o site “South Pawer”

No áudio vazado, Eminem canta: “É claro que estou do lado de Chris Brown, eu também agrediria uma vadia se ela me desse uma coceira no p*u agora.” Que horror, né? Ouça abaixo:

Apesar do lançamento em 2011, o verso teria sido escrito em 2009, mesmo ano da agressão. Um ano mais tarde, Eminem lançou duas parcerias com Riri, “Love The Way You Lie” e “Love The Way You Lie (Part II)”. Em 2013, os dois ainda colaboraram em “The Monster”.

Chris Brown deu um soco em Rihanna quando os dois ainda namoravam, há dez anos, voltando de uma festa do Grammy. “Como eu lembro, ela tentou me chutar, mas aí eu realmente acertei ela. Com o punho fechado, eu dei um soco, e isso rasgou o lábio dela. Quando eu vi, fiquei em choque. Pensei: ‘Merda, porque eu bati nela assim?'”, descreveu o rapper em seu documentário.

Rihanna e Chris Brown (Fotos: Getty)

Na época, ele foi colocado em liberdade condicional e teve que prestar serviço comunitário. “Está no passado, mas eu não vou falar ‘supere isso’, porque é algo muito sério e relevante, é real. Muitas mulheres e jovens estão passando por isso. Mas para mim, ou para qualquer outra mulher que foi vítima de abuso, ninguém quer lembrar. Ninguém quer admitir que passou por isso”, falou a cantora para a Vanity Fair.

Letras problemáticas

Eminem já é conhecido por seus versos problemáticos. Em 2018, ele foi criticado justamente por citar Rihanna em sua música, sexualizando-a. “Rihanna me mandou uma mensagem de texto / Ontem à noite eu deixei chupões no pescoço dela”, diz na faixa “Killshot”.

Em 2014, ele lançou “Vegas”, canção em que insultava Nicki Minaj e insinuava estuprar Iggy Azalea. “A menos que você seja Nicki [Minaj], te agarrarei pela cintura, vamos esquiar. Então, o que vai ser? Livre-se dessa m***a, Iggy [Azalea]. Você não vai querer dar o alerta de estupro comigo. Grita. Adoro! Antes de que me perca gozando”, canta.

No mês passado, foi revelado que o rapper foi investigado pelo Serviço Secreto dos EUA, por conta de “letras ameaçadoras” destinadas à filha do presidente Donald Trump, Ivanka, na música “Framed”, de 2017. “Como a Ivanka está no porta-malas do meu carro? Porque eu me sinto responsável por essa garota loira burra. Aquele maldito bastão que foi jogado no lago, segundo assassinato sem lembrar dele”, diz a letra.