Kesha perde processo contra Dr. Luke e tem de pagar indenização milionária; Entenda o caso

A batalha judicial entre Kesha e Dr. Luke ganhou um novo desdobramento nessa quinta-feira (06) após o tribunal atribuir vitória importante ao produtor musical. Segundo o “Entertainment Tonight”, a cantora foi ordenada a pagar US$ 373.672, cerca de R$1.587.300, como parte do processo que recebeu por difamação.

A juíza da Suprema Corte de Manhattan Jennifer Schecter determinou que Kesha teria difamado o guitarrista – cujo nome verdadeiro é Lukasz Gottwald – quando mandou uma mensagem de texto para Lady Gaga, em 2016, alegando que ele teria estuprado Katy Perry.

Katy Perry e Lady Gaga também tiveram que depor durante o caso (Foto: Getty)

Citando uma declaração de 2017, em que Katy categoricamente negou ter sido abusada sexualmente por Dr. Luke, a juíza apontou que Kesha “fez uma declaração falsa para Lady Gaga sobre Gottwald que é difamatória por si só”.

“Não há nenhuma evidência de que [Dr. Luke] tenha estuprado Katy Perry. Além disso, a publicação de uma declaração falsa até para uma pessoa, aqui Lady Gaga, é suficiente para impor responsabilidade”, declarou Schecter.

A juíza ainda descartou várias defesas apresentadas pelo time legal da cantora, incluindo o argumento de que Dr. Luke é uma “figura pública” e, que por isso, haveria um patamar mais alto quando se trata de difamação. Assim, a equipe do produtor teria que provar que Kesha agiu com “malícia” ao enviar a mensagem em questão.

De acordo com os documentos do caso, entretanto, a juíza considerou que Dr. Luke “certamente não é uma figura pública” fora da indústria musical e que ele “nunca foi um nome familiar ou alcançou fama e notoriedade generalizadas na comunidade”. Dessa forma, o “patamar de agir com malícia não foi aplicável”.

Kesha e Dr. Luke vivem uma batalha legal há quase seis anos (Foto: Getty)

Após a determinação, a equipe do produtor musical emitiu um comunicado, dizendo que ele “está seguindo com esse processo para buscar recuperação pelo grave dano que as falsas acusações de Kesha sobre estupro causaram a ele, sua família e seus negócios”.

“A importante decisão de hoje do Tribunal no processo do Dr. Luke o aproxima da justiça que ele procura”, declarou a nota, descrevendo, em seguida, todas as vitórias legais obtidas pelo guitarrista.

“Primeiro, o Tribunal determinou que Kesha fez uma acusação falsa e difamatória sobre o Dr. Luke quando ela alegou, sem qualquer provas, que ele estuprou Katy Perry. Segundo, o Tribunal rejeitou as tentativas de Kesha de invocar detalhes técnicos para evitar a responsabilidade por suas declarações. E, terceiro, o Tribunal também sustentou corretamente que Kesha violou seu contrato com a empresa do Dr. Luke”, disse o comunicado.

Por fim, a equipe do produtor escreveu: “Dr. Luke aguarda com expectativa o julgamento de seu caso, em que ele provará que as outras declarações de Kesha sobre ele eram igualmente falsas e difamatórias”.

As equipes de Kesha e Dr. Luke se pronunciaram sobre a decisão da juíza (Foto: Getty)

Para a Variety, o time legal de Kesha se pronunciou brevemente. “Nós discordamos das determinações do Tribunal. Nós planejamos entrar com recurso imediatamente”, afirmou.

Essa é a última atualização do caso que começou em 2014, quando a diva foi a público com acusações de que o produtor teria abusado dela. No mesmo ano, Dr. Luke fez uma queixa contra Kesha por não ter trabalhado em um terceiro álbum, conforme exigido em seu contrato. A loira, por sua vez, entrou com um contra-processo, pedindo que fosse liberada de seu contrato com Luke com base nas alegações de que havia sofrido abusos sexuais e psicológicos ao longo de vários anos.

E o novo desdobramento também não quer dizer que o processo chegou ao fim! O caso de difamação agora vai a julgamento, em que um júri deverá determinar se as alegações de Kesha, em um primeiro momento, de que foi drogada e estuprada pelo produtor foram feitas “em boa fé”, ou em uma tentativa de obter vantagens de negócios sobre o Dr. Luke, difamando-o.