Polícia encerra investigação e decide não indiciar Neymar em caso de estupro; saiba os detalhes

Nesta segunda-feira (29), a delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, encerrou a investigação de estupro em que a modelo Najila Trindade acusa o jogador Neymar. O caso, que ganhou repercussão no mundo inteiro, teve vários altos e baixos, com acusações da jovem a respeito de agressão e abuso sexual durante uma viagem que ela fez até Paris para se encontrar com o craque do futebol.

De acordo com o UOL Esporte, a polícia encontrou diversas contradições nos depoimentos de Najila. Por isso, chegou a conclusão de que o jogador não teria cometido o crime contra a modelo. O inquérito foi aberto no final do mês de maio —  nele, Trindade relatou o que supostamente teria acontecido entre ela e Neymar durante a viagem.

A vítima afirma que embarcou na data de 14/05/2019, chegando em Paris na data de 15/05/2019, hospedando-se no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe. A vítima afirma que na mesma data, Neymar chegou por volta das 20:00 no hotel, aparentemente embriagado, começaram a conversar, trocaram ‘carícias’, porém em determinado momento, Neymar se tornou agressivo, e mediante violência, praticou relação sexual contra a vontade da vítima“, diz o boletim de ocorrência.

Jogador Neymar foi acusado de estupro pela modelo Najila Trindade. Fotos: Getty; Reprodução/SBT

Com a conclusão do inquérito, o Ministério Público poderá ter acesso à investigação e pedir o arquivamento. Porém, de acordo com o advogado de Najila, Cosme Araújo, a decisão da delegada não encerra o caso. “Ela estava com receio e, sem as provas, pedir arquivamento é uma temeridade. Ela não indiciou nem pediu arquivamento. Não chegaram as imagens e nem um laudo ginecológico. O que eu entendo é o seguinte: com toda a pressão, a situação ‘Neymar sai, não sai de Paris’, acredito que a delegada resolveu tirar o abacaxi da mão dela. Jogou a bola no colo do Ministério Público“, afirmou.

Segundo Cosme, Najila Trindade ficou decepcionada com o primeiro desfecho da história. “Ele fez o que fez e ficou impune”, teria dito ela. A partir de amanhã, o Ministério Público terá 15 dias para tomar as devidas providências sobre o caso. “Delegado não julga, quem julga é judiciário. Nós ainda acreditamos no Ministério Público, acreditamos no Judiciário. Pode acontecer de o MP denunciar ou pedir mais diligência“, relatou o advogado.

Quando as acusações vieram à tona, Neymar usou seu perfil no Instagram para contar sua versão dos fatos. “Fui pego de surpresa. Muito triste escutar isso. Quem me conhece sabe da minha índole e que eu nunca faria uma coisa desse tipo. Fui exposto a isso e estou aqui para dar a cara a bater, porque sei que qualquer notícia que seja com meu nome envolve muita coisa, tem um barulho muito grande e todo mundo fica querendo minha declaração“, disse em um dos trechos.

Najila cedeu poucas entrevistas para a imprensa, mas na primeira delas, no “SBT Brasil”, a modelo teve a oportunidade de dar mais detalhes sobre o que supostamente aconteceu entre ela e o jogador. “Como tinha muita vontade de de ficar com ele, falei: vou tentar manejar aqui. A gente começou a trocar carícias, ficar, se beijar. Aí ele me despiu, até aí foi consensual, tudo bem. Depois, ele começou a me bater. Nos primeiros, eu falei ‘ok, estava tudo certo’, mas aí começou a machucar muito“, relatou.