Cara Delevingne revela que foi Ashley Benson quem insistiu no namoro das duas, e dá detalhes sobre assédios de Harvey Weinstein: “Ele tentou me beijar!”

Livre, leve e muito bem comprometida, obrigada! A modelo Cara Delevingne é capa da nova edição da revista digital Porter, e cedeu uma entrevista bem reveladora e corajosa. No bate-papo, a estrela falou sobre as dificuldades que enfrentou para se abrir para relacionamentos amorosos, e deu detalhes sobre o namoro com Ashley Benson. Ainda, a atriz contou sobre os casos de assédio que sofreu na mão de Harvey Weinstein.

A primeira vez que Cara e Ashley fizeram sua aparição juntas aconteceu em agosto de 2018 e, desde então, as duas se tornaram um dos casais mais fofos de todos. Porém, não foi fácil chegar até esse ponto. “Eu nunca deixei ninguém entrar de verdade, por medo de ir embora. Nunca confiei nas pessoas ou me senti digna disso, e sempre as afastei”, explicou ao revelar que Benson ficou com a missão de investir no futuro das duas no início.

“Ela foi a primeira pessoa que disse: ‘Você não pode me afastar. Eu vou ser legal com você, eu amo você’. Eu fiquei tipo, ‘Espere, então tudo o que preciso fazer é deixar você ser legal comigo? Por que eu nunca fiz isso antes?’”, relembrou. Juntas há mais de um ano, as duas têm tirado a distância de letra. “Os relacionamentos de longa distância são sempre difíceis. Nós fazemos funcionar no entanto. Nós temos que fazer. E isso definitivamente me faz uma pessoa melhor e mais feliz”, entregou.

View this post on Instagram

@portermagazine 🖤

A post shared by Cara Delevingne (@caradelevingne) on

Feliz com o namoro, Cara Delevingne não parece ter interesse em rotular sua sexualidade. “Os rótulos de tudo me incomodam. Eu odeio me rotular. Eu já participei de muitos jantares em que as pessoas ficam tipo ‘Então, o que você é? L, G, B, T, Q?’ Eu fico tipo, ‘Gente, sério? É disso que estamos falando? Eu troco todos os dias'”, afirmou.

Sobre os comentários depreciativos que ouviu ao longo dos anos do ex-produtor de filmes, Harvey Weinstein, a modelo relembrou de algumas ocasiões que mais a marcaram. “Uma das primeiras coisas que ele me disse, foi: ‘Você nunca vai entrar nessa indústria [de Hollywood] como mulher gay – deixe uma barba crescer”, disse. Em 2017, quando várias mulheres se uniram para denunciar o magnata sobre os casos de abuso, a top model também revelou ser uma de suas vítimas.

“Quando comecei a trabalhar como atriz, eu estava trabalhando em um filme e recebi uma ligação de Harvey Weinstein perguntando se eu tinha dormido com alguma das mulheres com quem eu era vista na mídia. Foi uma ligação muito estranha e desconfortável. Eu não respondi nenhuma das perguntas dele e inventei uma desculpa, mas antes de desligar, ele me disse que se eu fosse gay ou decidisse ficar com uma mulher especificamente em público, eu nunca conseguiria o papel de uma mulher heterossexual ou me tornaria uma atriz em Hollywood”, relatou.

Anos depois, ela teve um reencontro ainda pior com Harvey Weinstein. Cara conta que precisou encontrá-lo em seu quarto em um hotel depois de muita insistência de sua assistente. “Quando cheguei, fiquei aliviada ao encontrar outra mulher em seu quarto e pensei imediatamente que estava salva. Porém, ele pediu para gente se beijar e ela começou algum tipo de avanço em sua direção”, detalhou.

Para sair da situação pavorosa, a atriz disse que começou a cantar dentro do quarto. “Eu estava tão nervosa. Depois de cantar, eu disse novamente que tinha que ir embora. Ele me acompanhou até a porta e ficou na frente dela, depois tentou me beijar nos lábios”, finalizou.