Caso Henri Castelli: Advogado de empresários diz que ator iniciou briga em Alagoas: “Estava visivelmente alterado”

No início da semana (11), Henri Castelli usou suas redes para denunciar a terrível agressão que sofreu de dois homens no final do ano passado, durante estadia em Alagoas. O ator teve o osso da mandíbula fraturado e precisou passar por cirurgia. Em entrevista ao hugogloss.com, ele explicou que não houve briga e disse ter sofrido a violência de forma gratuita e de surpresa.

Em conversa com o UOL, Lucas Dória, advogado de Guilherme Aciolly e Bernardo Malta – empresários envolvidos na confusão – apresentou uma versão diferente da história. De acordo com o profissional, Henri teria iniciado a briga após se frustrar com uma festa no clube Café de la Musique (estabelecimento do qual Malta é proprietário), na madrugada do dia 30 de dezembro de 2020. Até então, não haveria problemas entre os três.

“Um dia antes desse episódio (briga), ele (Henri) tinha ido para uma festa no Gunga, praia na Barra de São Miguel. É um local mais chique, onde o pessoal vai de lancha. Bernardo cedeu uma lancha para que Henri Castelli fosse com a turma para esse evento. Tudo correu bem e, no outro dia, a assessoria do ator agradeceu, afirmando que ele iria para um evento no Café de La Musique. Então, o Bernardo cedeu 15 cortesias para o grupo”, afirmou a defesa dos empresários.

Castelli, entretanto, não teria gostado da festa e se dirigiu à Barra de São Miguel, local onde estavam os empresários, para reclamar. “O Henri chegou nessa outra festa onde estava o Bernardo, numa marina recém-inaugurada. O Bernardo estava com Guilherme e alguns casais amigos, todos com suas respectivas esposas, não havia situação de violência. Henri chegou e foi falar com o Bernardo, tirando satisfações porque ‘a festa (no Café de la Musique) estava uma merd*'”, declarou o advogado.

Foto publicada por Henri no Instagram, no dia 1º de janeiro, de sua viagem por Maceió. (Foto: Reprodução/Instagram)

Dória alegou também que Malta teria sido insultado por Henri e, assim, a discussão ganhou maior proporção. “O Henri Castelli, segundo todas as pessoas que estavam presentes, estava visivelmente alterado. Não sei se era questão de humor ou de álcool, mas ele estava alterado e no depoimento que ele deu na polícia no dia seguinte, que está no inquérito, ele afirmou que não lembrava de nada”, argumentou.

Na ocasião, Bernardo Malta estaria comemorando o próprio aniversário. Aciolly teria intervido, sugerindo que o amigo se afastasse, mas acabou sendo atingido pelo ator. “O Henri Castelli foi para cima do Guilherme e foi gerada uma situação desnecessária. Quando o Henri tentou dar um soco no Bernardo, pegou no Guilherme, e ele teve um derrame no olho. Temos testemunhas, esposas e marinheiros que viram a cena”, pontuou a defesa dos rapazes.

O advogado afirmou que Guilherme instintivamente retrucou a agressão e acabou atingindo a região da boca do artista: “As pessoas separaram os dois. O Guilherme foi para casa com a esposa, e está arrasado com a situação”. Ainda, segundo o relato do profissional, o ataque não teria acontecido “de surpresa” e “pelas costas do ator”, como apontado por Castelli. “Ninguém quis agredir por inveja ou nada disso. O que teve foi uma reação de alguém que estava muito agressivo. Essa agressividade foi um ponto que gerou a confusão”, acrescentou.

Laudo médico divulgado pelo empresário Guilherme Aciolly. (Foto: Reprodução/Jornal Extra)

Os acusados devem ser indiciados pelo crime de lesão corporal grave, conforme informou o delegado Fabrício Lima do Nascimento, responsável pela Delegacia da Barra de São Miguel, nessa terça (12). Apesar de quatro supostos agressores terem sido ouvidos pela polícia, Dória insistiu que a confusão aconteceu apenas entre Henri e Guilherme.

“O assessor do Henri Castelli falou que eram quatro pessoas e citou o nome de Guilherme, Bernardo e outros dois irmãos, que não têm absolutamente nada a ver com o episódio. Eles estavam com as esposas, no lounge. Inclusive, um deles tem a intenção de mover um processo contra quem falou o nome dele”, adiantou.

Os empresários agora aguardam a conclusão do inquérito. “Temos uma ocorrência hoje em que existe uma vítima, que é o Henri Castelli, e o agressor chamado Guilherme. Porém, com o andar da carruagem, a gente espera que a verdade apareça, e a partir do momento que meus clientes forem absolvidos, vamos mover uma ação de reparação por danos morais, porque essas pessoas foram desmoralizadas, para que possam ser indenizados por esses constrangimentos que estão passando”, encerrou Lucas, em conversa com o jornal Extra.

Continua depois da Publicidade

Entenda o caso

No dia 30 de dezembro, veículos da imprensa, a princípio do Nordeste, reportaram que Henri Castelli havia dado entrada no hospital Santa Casa de Alagoas, após se envolver numa briga e ter a mandíbula fraturada. Na ocasião, o ator confirmou a internação através de sua assessoria, mas alegou como motivo, um acidente na academia. No dia 11 de janeiro, Henri quebrou o silêncio sobre o caso e fez um desabafo emocionado, recordando o que viveu realmente.

Em entrevista exclusiva ao hugogloss.com, o ator explicou que não houve uma briga. Segundo o artista, ele sofreu a violência de forma gratuita e de surpresa. “Não houve briga, eu fui agredido covardemente, puxado pelo pescoço, por trás, sem que tivesse antes sequer conversado com qualquer uma das pessoas que me agrediram. Não me parece que isso seja uma briga, eu não consegui nem reagir, fui jogado no chão e recebi chutes e socos”, contou antes de acrescentar que não conhecia os agressores e que sofreu uma fratura grave em sua mandíbula.

Continua depois da Publicidade

O advogado do ator, Marcelo Amaral Colpaert Marcochi, confirmou o registro da ocorrência e os exames de corpo de delito feitos por Henri ainda em Alagoas. “Queremos Justiça, que sejam responsabilizados pelas agressões, e que o processo, e a pena, cumpram o seu papel. Confio na Polícia e no Ministério Público de Alagoas, assim como estou certo de que haverá um julgamento justo e imparcial. Meu desejo é que haja uma punição adequada e proporcional a essa injustificável agressão”, declarou o profissional.

Também no dia 11, Henri Castelli gravou diversos stories se abrindo para o público a respeito da história e qual era seu estado de saúde. Ele aproveitou para esclarecer por qual motivo não trouxe a verdade à tona desde o início. “Para não assustar a minha família, porque ligar pra sua mãe e dizer: ‘Mãe, eu fui agredido, fraturei a minha mandíbula, mas eu tô bem’, não era a melhor ideia a se fazer. Ela só soube de tudo depois que eu voltei pra casa, depois da cirurgia”, contou.

O artista compartilhou uma série de fotos e vídeos chocantes demonstrando o quão grave foram as agressões que sofreu. Ao falar do tratamento pós-cirúrgico, Henri contou que precisará repousar, ter acompanhamento médico constante e fazer uso de medicamentos. “Torcer para que se Deus quiser não tenha sequela nenhuma. Há muito o que se fazer ainda. Então, é isso, meus queridos amigos. Eu precisava vir aqui pra falar com vocês, porque eu respeito muito o carinho que vocês têm por mim”, agradeceu. Sem conseguir segurar as lágrimas, o ator finalizou: “A todos aqueles que, infelizmente, não sabem o que fazem, eu perdoo. Não tenho raiva nenhuma. Só quero me recuperar e rezar e ficar sem sequelas nenhuma”.