Cristiano Ronaldo se livra de julgamento após acusação de estupro, saiba o porquê

Fim da história? Cristiano Ronaldo pode ter se livrado completamente da acusação de um suposto estupro, que teria acontecido em Las Vegas. Nesta segunda-feira (22), o TMZ revelou a decisão dos promotores do caso, após o inquérito de que o jogador teria violentado a modelo Kathryn Mayorga.

Segundo a publicação, os promotores de justiça anunciaram que não farão acusações criminais formais contra o jogador. Vale lembrar que Cristiano havia sido indiciado pela agressão sexual, que teria sido cometida há 10 anos. O caso desse suposto estupro de Ronaldo veio à tona no ano passado, após a revista alemã Der Spiegel ter divulgado o relato de Kathryn.

Cristiano Ronaldo (Foto: Bryn Lennon/Getty Images)

De acordo com a moça, o jogador a teria forçado a ter relações sexuais num quarto de hotel em Las Vegas, em 2009. Já em 2010, eles teriam feito um acordo extrajudicial, envolvendo um pagamento de 375 mil dólares para que ela nunca fosse à público com as alegações.

Agora, a intenção do atual processo era justamente anular esse acordo extrajudicial, acusando o jogador de ter se aproveitado da fragilidade emocional de Mayorga para que ela assinasse o documento, segundo a rede de TV CNN. No início deste ano, as investigações prosseguiram, e teriam solicitado amostras de DNA de Cristiano, que teria cooperado com o caso, conforme reportou o TMZ na época.

Em outubro do ano passado, o jogador já havia se pronunciado sobre a polêmica em sua conta no Instagram, quando negou as acusações publicadas pela revista alemã Der Spiegel. No vídeo, CR7 disse: “Não! O que eles disseram hoje? Fake News! Eles querem se promover usando meu nome. É normal. Eles querem se tornar famosos usando o meu nome“. Assista ao vídeo:

Em um comunicado, o advogado de Ronaldo, Christian Schertz, disse na época: “A reportagem na Spiegel é descaradamente ilegal“. Ele ainda acrescentou que foi instruído a pedir indenização por “danos morais”. “Provavelmente uma das mais graves violações de direitos pessoais nos últimos anos“, declarou ele. Vixe!

De qualquer forma, o caso não prosseguirá, após a decisão da promotoria.