Em entrevista, Débora Nascimento comenta status de relacionamento com José Loreto: ”É o pai da minha filha’

Desde que anunciou a separação de José Loreto, a vida de Débora Nascimento virou assunto de rumores e manchetes espalhadas pela mídia. Anteriormente, a atriz de “Verão 90” já havia se pronunciado brevemente nas redes sociais a respeito do rompimento com o ex-marido, dizendo que a verdade tinha muitos lados e que estava quieta para “não expôr mais uma mulher”. No entanto, hoje (29), a revista Glamour brasileira, da qual Débora é a capa de abril, publicou um trechinho de uma entrevista que fez com a estrela. Na matéria, ela falou sobre seu casamento, feminismo e sua própria fragilidade.

“A gente tem que ter consciência de que quebra. Mas quebrar não significa que não vá juntar os caquinhos e montar depois algo melhor e mais interessante, com uma cola mais firme” , garantiu à publicação. A atriz ainda disse que sua busca diária é pela felicidade.

Débora também foi questionada se ela e José estariam ensaiando uma reconciliação. No entanto, a beldade foi misteriosa: “Ele é o pai da minha filha e vai ser pra sempre. Não foi uma escolha aleatória. É um elo eterno e sou madura o suficiente para entender”. Como contamos aqui, o ex-casal foi visto recentemente junto em uma pousada em Itaipava, Região Serrana do Rio de Janeiro, onde passou o final de semana. De acordo com o programa Fofocalizando, do SBT, os atores teriam dormido no mesmo quarto. Quem também estava lá era a filha do casal, Bela, de quase um ano de idade, e a babá.

Outro motivo da “suspeita” de que Débora e José seriam um casal novamente, é que o ator publicou um Stories no Instagram no qual aparece usando aliança. De acordo com a revista Caras, no dia 12, ele também foi visto de aliança em um clube na Barra da Tijuca, quando jogava futebol com os amigos Bruno Gissoni e Thiago Lacerda. Na época, procurada pelo hugogloss.com, a assessoria de Débora Nascimento alegou não ter um posicionamento da atriz sobre o status do relacionamento dos dois.

(Foto: Reprodução/Instagram Stories @joseloreto)

Em entrevista para a Glamour, Débora ainda citou o feminismo como uma parte essencial de sua vida. Ela disse participar de rodas de mulheres que discutem sororidade, direitos, inclusão na política e acolhimento a vítimas de abusos. A atriz também citou as autoras Simone de Beauvoir, Clarissa Pinkola Estés e Chimamanda Ngozi Adichie como leituras que construíram sua personalidade, e afirmou que foge dos “contos de fadas” idealizados por aí.

Entenda o caso

A separação de Débora e José é um dos assuntos mais comentados de 2019. O anúncio do rompimento do casal, que estava junto há sete anos, foi seguido por rumores de que a causa do final da relação seria uma possível infidelidade da parte de José. Inclusive, muitas atrizes foram cogitadas como “pivô” da separação. Após o casal ter sua vida exposta na internet e extremamente discutida nas redes sociais, o astro se pronunciou com um post no Instagram, no qual pedia desculpas para a esposa e afirmava que ela tinha razão para estar magoada com ele: “[…] Preciso te dizer que não fui legal com você, cruzei fronteiras emocionais que hoje me arrependo profundamente. Não quero dar nomes, não posso fazê-lo. E também acredito que o reconhecimento de nossas falhas é um processo individual e intransferível. Sem contar que, apesar das evidências, eu te juro que nada aconteceu. Sei que é difícil de acreditar, mas nem sempre a verdade é translúcida”. Veja o post completo abaixo:

View this post on Instagram

“Errei sim, manchei o teu nome.” Débora, você tem todas as razões para estar magoada comigo. Te dei motivos, indícios, diria que até provas, que eu mesmo, se estivesse no seu lugar, diria que são inquestionáveis. Mas a vida real às vezes surpreende até as “vidas de novela”. A realidade é cruel, tem conseqüências e verdades que não agradam à audiência. Na realidade do meu momento, preciso te dizer que não fui legal com você, cruzei fronteiras emocionais que hoje me arrependo profundamente. Não quero dar nomes, não posso fazê-lo. E também acredito que o reconhecimento de nossas falhas é um processo individual e intransferível. Sem contar que, apesar das evidências, eu te juro que nada aconteceu. Sei que é difícil de acreditar, mas nem sempre a verdade é translúcida. Peço perdão a você e à nossa filha, antes de quaisquer outras pessoas, pois vocês foram as verdadeiras vítimas da minha hesitação. Peço desculpas a todas as pessoas que, de alguma maneira, foram envolvidas neste espetáculo público que eu causei. Peço desculpas ao público que sempre me prestigiou por desapontá-lo. Peço desculpas a todas as mulheres que se sentiram ofendidas por essa situação. Peço a todos que, neste momento, me dêem a oportunidade de reencontrar o silêncio necessário para que a gente possa voltar a se ouvir. Peço ao universo que me ajude a te reconquistar, meu amor.

A post shared by José Loreto (@joseloreto) on

Débora também se pronunciou a respeito da separação e de toda a exposição que recebeu nos últimos tempos, principalmente em relação às críticas que recebeu por não esclarecer o caso e os nomes envolvidos na confusão. “A verdade costumar ter três lados: o da pessoa que conta a sua versão, a versão do outro e finalmente o fato propriamente dito. Mas hoje temos o universo paralelo da internet e das redes sociais cheios de robôs e comentaristas da vida alheia que julgam a partir de um sistema de manipulação de imagem e narrativa. Nesse mundo virtual versões construídas crescem exponencialmente e ganham contornos maiores do que a vida real e assim é criada uma hipócrita, oportunista e artificial quarta verdade”, a atriz analisou. Veja o texto completo abaixo:

View this post on Instagram

Nenhuma mulher merece se sentir oprimida. Diante de tantos ataques e injúrias oportunistas que venho sofrendo, meu silêncio agora me oprime, mas a verdade há de me libertar. Vamos falar de verdade? A verdade costumar ter três lados: o da pessoa que conta a sua versão, a versão do outro e finalmente o fato propriamente dito. Mas hoje temos o universo paralelo da internet e das redes sociais cheios de robôs e comentaristas da vida alheia que julgam a partir de um sistema de manipulação de imagem e narrativa. Nesse mundo virtual versões construídas crescem exponencialmente e ganham contornos maiores do que a vida real e assim é criada uma hipócrita, oportunista e artificial quarta verdade. Eu, Débora, faço questão de viver e valorizar a vida real, de acordo com meus princípios, prezando pelo bom senso e respeitando quem eu sou genuinamente: uma mulher de 33 anos, que trabalha muito, mãe de uma menina de 10 meses. Eu que sempre optei pela discrição em minha vida pública, sofri uma exposição e fui refém de uma situação que não escolhi. Tenho muita consciência do que vi e vivenciei, ninguém agiu sozinho, isso foi bem claro para mim. Mantive meu silêncio justamente para não expôr mais uma mulher – exercitando minha empatia e sororidade, que é verdadeira e não oportuna. Devemos sempre pensar na genuína fragilidade alheia. Nunca me permiti esmorecer. Pautei minhas atitudes com muita cautela, sempre priorizando proteger minha filha. Tenho ciência do meu poder feminino- o que considero um ato de resistência dentro da estrutura moralista e machista de um país onde 536 mulheres são agredidas por hora, onde as estatísticas perdem espaço para fake news. Sei que sou dona do meu corpo, valores, escolhas e silêncios. E nenhuma manipulação, julgamento injusto, narrativa artificial ou notícia mentirosa vai me impedir de ser feliz. Não aceito nada menos que ser feliz, devo isso à mim e minha filha.

A post shared by Débora Nascimento (@debranascimento) on