Jamie, irmã de Britney Spears, dá resposta arretada sobre movimento #FreeBritney e estado de saúde mental da cantora; saiba os detalhes

Os fãs de Britney Spears vem pedindo esclarecimentos da família Spears há algum tempo sobre o estado de saúde mental da estrela. O caso ganhou força recentemente com o movimento #FreeBritney, que clama pelo fim da tutela da cantora. Nesta terça-feira (21), Jamie Lynn Spears rebateu comentários de seguidores em seu Instagram, afirmando que jamais discutirá assuntos pessoais da irmã mais velha sem a permissão dela.

A estrela de “Zoey 101” compartilhou capturas de tela com várias declarações de celebridades em relação à problemas de saúde mental. A artista ainda deixou uma mensagem aos seus seguidores na legenda da imagem, pedindo mais compreensão com o assunto. “Se você lida com doenças mentais ou se preocupa com alguém que lida com doenças mentais, sabe como é importante respeitar a situação com privacidade para a pessoa e para a família que tenta proteger seus entes queridos, não importa como isso pode parecer ao público e, como público, devemos aprender a fazer o mesmo”, escreveu ela.

Nos comentários do post, algumas pessoas começaram a questionar o porquê da artista não mencionar a situação de Britney Spears. “E a doença mental óbvia de sua irmã? Por que você não fala sobre isso?”, disparou um seguidor. Como resposta, Jamie argumentou que ninguém tem o direito de assumir nada sobre Britney, e ela também “não tem o direito de falar sobre a saúde e os assuntos pessoais da irmã”. “Ela é uma mulher forte, durona e imparável, e essa é a única coisa ÓBVIA”, acrescentou.

View this post on Instagram

Preach @jamielynnspears. #CommentsByCelebs

A post shared by Comments By Celebs (@commentsbycelebs) on

Outra pessoa comentou que os fãs apenas querem explicações: “Vocês (a família) precisam falar e esclarecer todas essas suposições. Eu amo você, mas em torno dessa situação sensível, alguns esclarecimentos são necessários para os dois lados. As pessoas precisam entender, não assumir”. Jamie explicou que nunca se pronunciaria somente para esclarecer assuntos para o público, especialmente quando a principal pessoa envolvida na história não quer que isso aconteça. “Prefiro enfrentar todo o ódio, do que falar sobre o assunto pessoal de outra pessoa, que ela quer que seja mantido em privado”, argumentou ela.

Já em outro comentário, um usuário manifestou que “alguns de nós estão apenas interessados no que está acontecendo, porque… nos importamos”. E a irmã mais nova de Britney agradeceu: “Eu realmente aprecio o fato de você ter me procurado de maneira tão respeitosa. Seu amor e apoio são muito apreciados por mim e minha família”.

Foto: Reprodução/ Instagram

Entenda o caso

O movimento #FreeBritney existe há anos, mas tomou força nas redes sociais nos últimos tempos, graças à crescente preocupação dos fãs com o bem-estar de Britney Spears. Em 2008, ela passou a viver sob tutela gerenciada por seu pai, Jamie Spears, e desde então a estrela não tem mais controle sobre sua própria trajetória. Em setembro do ano passado, um juiz nomeou a gestora Jodi Montgomery como tutora temporária da artista, depois que seu pai deixou o cargo, alegando “razões pessoais de saúde”.

Nos Estados Unidos, o status de tutela é decretado por um tribunal para pessoas incapazes de tomar decisões por si mesmas. No caso da cantora, ela passou por um período conturbado em 2007,  devido ao descontrole do uso de substâncias ilegais e bebidas alcoólicas, tendo como resultado diversos problemas na justiça, principalmente em relação à guarda dos filhos.

Em maio deste ano, a tutela de Britney foi estendida até o final de agosto. Os documentos do tribunal, obtidos pela revista americana “Us Weekly”, afirmaram que a gestora Jodi Montgomery foi autorizada a seguir seu papel até 22 de agosto. Britney, por sua vez, “expressou que não quer trabalhar novamente, porque não quer continuar a se manter essencialmente sob a tutela”.

Hoje (22), ocorreu uma nova audiência sobre o status de tutela da cantora, apesar do resultado não ter sido divulgado. Uma fonte da publicação afirmou que Britney e seu pai deviam comparecer por videoconferência, por conta da pandemia do novo coronavírus. A ocasião fez com que o movimento #FreeBritney aparecessem em peso no Twitter, e também pessoalmente. Vários fãs se reuniram para pedirem a liberdade da cantora, na esperança da estrela do pop restaurar a sua autonomia pessoal e financeira. Estamos na torcida também!