Katy Perry perde caso de plágio relacionado a “Dark Horse”; júri decide que single é cópia de música cristã — saiba os detalhes!

Eita! Katy Perry perdeu o processo que julgava se seu hit “Dark Horse” era uma cópia de uma música gospel, lançada cinco anos antes. De acordo com o TMZ, o veredito, que saiu nesta segunda-feira (29), é o último passo em uma longa batalha legal, que se iniciou em julho de 2014, quando a cantora foi processada pelo rapper cristão Flame.

O músico alegava que a música de Katy era uma completa cópia de “Joyful Noise” — canção que foi, inclusive, indicada ao Grammy. A música de Flame foi compartilhada pela primeira vez no YouTube em 2008, e desde então, acumulou milhões de visualizações. Ele afirma que Katy copiou o beat da música; no entanto, a cantora nega veementemente, dizendo que não há nenhuma similaridade realmente importante nos dois singles.

De acordo com o processo, Flame afirma que a voz de “Teenage Dream” destruiu sua reputações em círculos de música cristã, porque agora ele é associado à “bruxaria e imagens anti-cristãs” que Katy inseriu em seu videoclipe para “Dark Horse”.

Agora, o caso irá prosseguir para a fase de danos, ou seja, Katy está prestes a descobrir o quanto perderá financeiramente com o caso. Na semana passada, a cantora foi à corte testemunhar e afirmou nunca ter escutado “Joyful Noise” antes do processo. Ela também disse ao júri que ouviu pela primeira vez as batidas da música quando Dr. Luke a apresentou ao som, em meio à taças de vinho. Katy disse que escreveu a letra em apenas quatro horas. De acordo com o TMZ, a estrela permaneceu calma durante o testemunho.

 Como contamos anteriormente, ela até se ofereceu para cantar a música em frente ao júri, quando houve dificuldades técnicas para tocar o hit no tribunal. A cantora arrancou risadas de todos ao dizer: “Eu posso apresentá-la ao vivo para vocês”. Em um depoimento de cerca de 35 minutos, a diva argumentou também que, apesar de seu passado com a música cristã, ela realmente não sabia da existência da canção de Flame. A justificativa da estrela foi de que, nesse período, ela ouvia principalmente músicas “seculares”, ou “mundanas”.

\\