Kim Kardashian opina sobre escândalo de fraudes em universidades envolvendo Lori Loughlin e Felicity Huffman: ‘Jamais abusaria do meu privilégio’

Kim Kardashian construiu um império multimilionário, e, por causa de sua fama e de seu dinheiro, possui muita influência em diversos aspectos da vida. No entanto, a empresária garante que jamais abusaria de seu privilégio para colocar os filhos em uma faculdade renomada — como as atrizes Lori Loughlin e Felicity Huffman, envolvidas em um escândalo gigantesco de proprinas. Em entrevista ao jornalista Van Jones, da CNN, Kim garantiu que nunca se encontraria na mesma situação.

“Se eles não conseguissem entrar em uma universidade, eu jamais usaria o meu privilégio para tentar força-los em uma situação na qual eles não seriam bem sucedidos, de qualquer forma”, ela explicou. E acrescentou: “Isso é o que eu acho que não é apropriado”. 

Além disso, a estrela quer que seus três filhos — em seguida quatro, com o nascimento de um novo menino através de barriga de aluguel — sejam “gentis”, e usar sua posição privilegiada no mundo para ter acesso a uma boa universidade não é um exemplo que ela gostaria de dar. “Eu quero que os meus filhos tenham noção da realidade. Comprar a sua entrada em um lugar, não beneficia ninguém”, opinou.

Kim ainda disse que espera estar dando um bom exemplo aos pequenos ao buscar se tornar uma advogada aos 38 anos de idade. Apesar de admitir que está sacrificando algumas horas do dia com os filhos para poder estudar, a beldade acha que o esforço irá inspirá-los a lutar por seus sonhos. “Apesar de eu estar no final dos meus 30 anos e estar tentando terminar a faculdade, nunca é tarde demais”, garantiu. Ela também destacou o apoio que vem recebendo do marido, Kanye West: “Durante a semana, à noite, tem muitas vezes que eu digo: ‘Meu bem, você precisa cuidar das crianças’. Eu fico tão grata a ele por fazer isso”. A socialite ainda declarou que a decisão de ir atrás de um diploma de Direito foi feita em comum acordo, entre os dois.

View this post on Instagram

Last year I registered with the California State Bar to study law. For the next 4 years, a minimum of 18 hours a week is required, I will take written and multiple choice tests monthly. As my first year is almost coming to an end I am preparing for the baby bar, a mini version of the bar, which is required when studying law this way. I’ve seen some comments from people who are saying it’s my privilege or my money that got me here, but that’s not the case. One person actually said I should “stay in my lane.” I want people to understand that there is nothing that should limit your pursuit of your dreams, and the accomplishment of new goals. You can create your own lanes, just as I am. The state bar doesn’t care who you are. This option is available to anyone who’s state allows it. It’s true I did not finish college. You need 60 college credits (I had 75) to take part in “reading the law”, which is an in office law school being apprenticed by lawyers. For anyone assuming this is the easy way out, it’s not. My weekends are spent away from my kids while I read and study. I work all day, put my kids to bed and spend my nights studying. There are times I feel overwhelmed and when I feel like I can’t do it but I get the pep talks I need from the people around me supporting me. I changed my number last year and disconnected from everyone because I have made this strict commitment to follow a dream of mine – It’s never too late to follow your dreams. I want to thank Van Jones for believing in me and introducing me to Jessica Jackson. Jessica along with Erin Haney have taken on the role of my mentors and I am forever grateful to them both putting in so much time with me, believing in me and supporting me through this journey. This week I have a big torts essay due on negligence. Wish me luck ✨⚖️

A post shared by Kim Kardashian West (@kimkardashian) on

Recentemente, a estrela de “Keeping Up With The Kardashians” recebeu críticas online por estar cursando Direito de um modo que seus seguidores consideram “privilegiado”: Kim não precisou entrar em uma faculdade, pois a lei da Califórnia permite que ela estude com um advogado ou juiz para passar no teste da ordem dos advogados. “Tenho visto comentários de algumas pessoas dizendo que é meu privilégio ou dinheiro que me trouxe aqui, mas não é o caso. Na verdade, uma pessoa me disse que eu deveria ‘Ficar na minha rota’. Quero que as pessoas entendam que não há nada que deva limitar você de seguir seus sonhos, e de cumprir novas metas”, escreveu Kim. “Você pode criar suas próprias rotas, assim como eu”, adicionou ela.

Kim fez questão de deixar claro que não tem sido nada fácil. “É verdade que eu não terminei a faculdade. Você precisa de 60 créditos de faculdade (eu tinha 75) para estudar a lei. […] Meus fins de semana estão sendo passados longe das minhas crianças enquanto eu leio e estudo. Trabalho todo o dia, coloco meus filhos para dormir e passo minhas noites estudando”, revelou a Kardashian.

Ela ainda afirmou que essa rotina é bastante desgastante. No entanto, a socialite tem se esforçado ao máximo em prol de seus objetivos. “Tem vezes que eu me sinto sobrecarregada e sinto que não consigo fazer isso, mas recebo discursos motivacionais das pessoas ao meu redor me apoiando. Mudei meu número ano passado e me desconectei de todos, porque fiz um compromisso rígido para seguir um sonho meu”, declarou.