Louis Tomlinson fala pela primeira vez sobre a morte de sua irmã aos 18 anos, por overdose, e relembra partida da mãe: “Atingi o fundo do poço”

Histórias tristes, mas de superação… Louis Tomlinson, ex-integrante da banda One Direction, tem passado por momentos muito difíceis nos últimos anos. O jovem finalmente se abriu sobre o falecimento de sua mãe Johannah Deakin, em 2016, e de sua irmã mais nova Félicité, devido a uma overdose, em março desse ano.

Durante uma entrevista ao The Guardian, publicada hoje (25), Louis explicou que a perda da mãe para uma severa leucemia impactou seu processo criativo. “Depois que ela se foi, todas as músicas que eu escrevia pareciam, não patéticas, mas que faltavam significância pra mim. Senti que, como liricista, não iria progredir até que eu escrevesse uma música como essa”, disse, se referindo ao single “Two of Us”, dedicado à Johannah. “Foi uma música que sempre quis escrever, feita durante um momento muito sincero de meu luto”, contou.

Ainda nesse mês, um inquérito revelou a real causa da morte de sua irmã Félicité, uma overdose acidental, causada por uso indevido de drogas letais, incluindo cocaína, Xanax e Oxycontin. Quando questionado sobre o assunto, Louis afirmou que agora, encara as dificuldades com outro olhar.

“Esse lado sombrio pelo qual passei… Isso vai soar estúpido, mas me dá forças em todos os outros aspectos da minha vida, porque essa sempre será a m*rda mais difícil que terei que lidar. Então faz com que todo o resto seja, não menos importante, mas num grande cenário, seja apenas o que é, eu acho”, explicou o rapaz, emocionado.

Louis e Félicité. (Foto: Reprodução/Instagram)

Ele também apontou que seus fãs foram cruciais durante esse período difícil de sua vida. “Eu tenho certeza que todo artista diz isso, mas eu realmente acredito. Passamos por momentos difíceis juntos e essas coisas que vivi, têm um peso emocional sobre os fãs também. E eu senti o amor e apoio deles. Eu lembro disso claramente quando perdi minha mãe. O apoio foi surreal”, enfatizou Louis.

Mesmo enfrentando tamanhas perdas, Tomlinson não quer que ninguém sinta pena dele. “Não há tempo pra eu ficar sentindo pena de mim. Eu atingi o fundo do poço e sinto que, qualquer desafio que minha carreira jogue em minha frente, não será tão desafiador ou emocionalmente pesado como aquilo. Então, estranhamente, transformei algo muito sombrio em algo empoderador, que me faz mais forte. Não quero que me vejam assim, pois não é como me sinto”, reiterou o artista.

Louis e Johannah. (Foto: Getty)

Em outro momento da entrevista, o cantor relembrou que estranhou os 6 primeiros meses após o hiato da banda mundialmente conhecida, One Direction. Ele achou que a pausa seria ótima, mas sentiu falta da correria do dia a dia. “Minha vida se tornou – e não quero que isso soe depreciativo – muito normal, vindo de algo que era pura loucura”, declarou.

Por fim, para a alegria das fãs, a voz de “Kill My Mind” disse acreditar no retorno da boyband, algum dia. “Nós não nos falamos todos os dias, mas o que temos, que nunca vai deixar de existir, é essa irmandade. Passamos por experiências que ninguém mais pode entender”, concluiu.