Fotojet (2)

MC Kevin: MC VK desabafa após ser inocentado e revela maior arrependimento: “Peso absurdo”; assista

Pronto para seguir em frente… No mês de novembro, o delegado Leandro Gontijo, da 16ª DP do Rio, pediu o arquivamento da investigação da morte de MC Kevin, alegando que não houve indícios de brigas, ações violentas ou qualquer tipo de crime na queda fatal do funkeiro da varanda de um hotel. Com essa decisão, o amigo do artista, o também cantor MC VK, foi inocentado do caso. Nesta terça-feira (7), o rapaz usou as redes sociais para se pronunciar a respeito de toda essa história, e se mostrou aliviado com o desfecho.

Victor Elias Fontenelle, nome de batismo do funkeiro, estava com MC Kevin naquela fatídica noite do dia 16 de maio. Por conta disso, surgiram especulações de diversas formas que ele poderia ter tido algum tipo de envolvimento no acidente. “Estou aqui na maior humildade, do fundo do meu coração, às vezes nem sabendo me expressar direito, mas eu sei que eu tenho essa missão. Tudo o que eu passei, não quero me vitimizar, mas mexeu com o meu racional, meu emocional. Foi um peso absurdo que eu tive que me calar porque eu não ia ter credibilidade, não ia ter voz ativa, ninguém ia acreditar em mim”, começou.

O cantor aproveitou para reforçar que não sabe dizer o que realmente aconteceu com Kevin nos momentos antes da queda. “Eu tive que esperar a Justiça de Deus, e na Justiça do homem que provou pela investigação, pela perícia, que eu não tive participação de nada do acontecido. E, em cima do acontecido, eu não vi o que aconteceu! Do fundo do meu coração, eu não vi. As pessoas queriam que eu explicasse o que eu não tinha entendido”, declarou. VK ainda relembrou vários momentos conturbados da investigação, incluindo o depoimento concedido por Fernando Dimmy Junior, alegando ter visto o artista incentivar Kevin a pular da varanda. As autoridades revelaram posteriormente que a testemunha sequer estava no Brasil naquela época.

Mc Vk Mc Kevin
MC VK, que era muito amigo de MC Kevin, chegou a registrar uma queixa-crime contra o Dimmy Junior que o acusou de incentivar a queda do funkeiro. (Foto: Reprodução/Instagram)

Continua depois da Publicidade

Fontenelle ainda desabafou que seu maior arrependimento foi não ter procurado a mãe do amigo para conversar. “O que mandei malzão mesmo foi no dia do acontecido não ter falado com a mãe dele”, disse VK, antes de revelar o motivo dessa postura. “Eu fui pra delegacia, depois de lá fiquei sabendo que eu ia morrer aqui em São Paulo. Fiquei sem celular, sem discernimento, sem saber o que fazer. Tudo que aconteceu eu esperei, Deus e a Justiça do homem provaram. Então só quero paz”, declarou.

O cantor continuou dizendo que ainda quer ter a oportunidade de falar com a mãe de MC Kevin, Valquíria Nascimento. “Não falei com a mãe dele até hoje por sofrer ameaças. Foi muita bagunça. Deixei o celular na delegacia, vim para São Paulo, fiquei na casa de um amigo. A noite virava dia muito rápido, minha mente ficou maluca. Eu peço desculpas para a mãe dele, quero chegar nela, falar olhando no olho dela, pedir perdão, ouvir o que ela tem para falar. Tirar esse peso que tem nela e que tem dentro de mim”, desabafou.

Continua depois da Publicidade

MC VK também esclareceu sobre sua decisão de manter o silêncio ao longo de todos esses meses. “Eu não quis bater de frente, me expor, não sou acostumado com essa parada de stories, não sabia nem como me expressar no começo de tudo. E pra quem eu devo satisfação é pra tia [Valquíria]. Quem eu quero ver pessoalmente, olhar no olho e falar tudo que aconteceu detalhadamente, do jeito que ela quer ouvir, é a tia. Pra ela eu devo satisfação, um abraço, muita coisa, pelo amor que o filho sentia por mim e pelo amor que eu sentia pelo filho dela, que era de sinceridade”, finalizou o funkeiro, deixando pública sua vontade de conversar com a mãe de Kevin.