MC Lan é acusado de transfobia por expulsar modelo de gravação de clipe, e cantor se pronuncia: “Nunca humilhei ninguém”

Em uma entrevista publicada sexta (13) no canal do YouTube de Léo Áquila, a modelo trans Alessandra Tavares acusou o cantor MC Lan de transfobia e agressão verbal. Ela ainda deu mais detalhes sobre o caso, que aconteceu no ano de 2017, durante as gravações de um dos clipes do músico.

De acordo com a jovem, ela teria sido escalada para fazer parte do elenco do vídeo de “Sua Amiga Eu Vou Pegar”, mas quando chegou ao set de gravação, percebeu que não era bem-vinda ali. “Quando coloquei o pé no set de gravação, percebi que havia um alvoroço por parte do cantor. Todos acharam estranho, já que não havia contado a ninguém que era trans”, explicou Alessandra.

Em seu discurso, ela retratou o caso como sendo “humilhante” e afirmou ter sido “expulsa” do set. “A produtora veio primeiro falar comigo pra eu me retirar, porque ela não queria que eu ouvisse o escândalo [de Lan]. Ela falou: ‘Alessandra, deixa eu te perguntar uma coisa, você é transexual?’, e eu falei: ‘Sou, tem algum problema?’. Ela disse que por ela não, mas o cantor era dono do clipe e não queria que eu gravasse”, lembrou a moça.

Em seguida, Tavares contou que bateu o pé, pois havia perdido outras oportunidades de trabalho para estar ali, e assim começou a confusão. “Ele começou a falar termos pejorativos como ‘traveco’, falou que não ia gravar comigo porque eu era um homem e o clipe era só com mulheres. Até então, ele ter me tirado por ser transexual já era um problema muito grande. Muitas agências já falaram pra mim: ‘Oh, você não é o perfil das modelos que a gente tá procurando’, mas ele não fez isso, ele foi muito direto”, lamentou a loira.

Não só me tiraram de lá dessa forma, como o cantor falou para não me levarem de volta até a estação. É a obrigação de toda equipe levar as meninas de volta”, acrescentou a modelo. Depois de insistir em ser levada até um lugar onde poderia ir embora de maneira mais fácil, a equipe lhe cedeu um carro, cujo motorista, de acordo com Alessandra, a “deixou na primeira esquina”.

Mesmo revelando o ocorrido só agora, dois anos após o acontecimento, Alessandra explicou que desde aquela época está trabalhando com advogados para montar um processo contra o funkeiro, mas que só uma das colegas de clipe aceitou testemunhar contra o rapaz, que lhe chamou de “traveco”, “homem” e “travesti”.

Após grande repercussão, Lan usou seu Instagram para se pronunciar sobre o caso. Num primeiro post feito ontem (14), o artista declarou que “em momento algum externou qualquer atitude descriminatória ou ofensiva dirigida à Alessandra” e que “repudia quaisquer atos de homofobia e transfobia”.

View this post on Instagram

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A post shared by MC LAN NOVAMENTE 🇧🇷 (@mclan) on

Numa segunda publicação, dessa vez, mais pessoal, Caio Alexandre, mais conhecido por seu nome artístico, alegou que as acusações contra sua pessoa eram descabidas e que sua criação e caráter jamais permitiriam que algo desse tipo acontecesse. “Perdi minha mãe, perdi minha casa e fui para a rua, e desde então prometi pra mim mesmo que a partir do momento que Deus me abençoasse com a vitória no mundo da música, eu iria lutar por todos que sofreram com algum tipo de preconceito”, escreveu o rapaz.

Em seguida, o MC se defendeu: “Me sinto chateado demais ao ver notícias assim, porque jamais faria isso com alguém, só quem sofreu demais na vida com preconceito e com maldade alheia sabe como isso faz mal para a mente, alma e coração. Eu jamais faria isso com alguém, nunca humilhei ninguém até hoje em minha vida, com todos meus erros e defeitos, posso garantir que tenho minha consciência tranquila, porque sei muito bem da minha índole”.

Ao final de sua declaração, Lan se desculpou pelo ocorrido e afirmou ser inocente. “Peço desculpas por qualquer mal entendido e reitero minha inocência perante essa acusação. Reitero também a minha posição em defesa do movimento LGBTQ+ e a todos que por algum motivo sofrem preconceito no Brasil ou no mundo. Sofro de depressão desde que perdi minha família, mas estou aprendendo a lidar com isso a cada dia. Ninguém sabe o que cada um passa por dentro e isso me faz refletir demais sobre a vida”, enfatizou.

Em um tom mais positivo, o cantor finalizou convidando a todos (independente de gênero, orientação ou classe social), para participarem de seu show, concluindo com a seguinte mensagem: “Você é especial, lembre-se disso! Nunca deixe o mundo te fazer pensar o contrário”.