Famosos

Meme transfóbico é compartilhado em página de Cardi B, e rapper se posiciona

Kaio Rocha - Publicado em 17/09/2018 às 16:22
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

Este final de semana foi movimentado na vida de Cardi B… A rapper foi acusada de ter compartilhado um meme transfóbico em sua conta do Facebook. A imagem foi super reprovada pelos usuários das redes mundo afora.

A postagem retratava um rapaz com um cigarro na boca e olhando por uma espécie de janela, com a seguinte frase: “Eu espero que ninguém veja essa trans deixando minha casa”. A publicação foi legendada com emojis chorando de rir. Cardi, no entanto, foi até o seu Twitter para se pronunciar e declarou que um ex-membro do sua equipe havia sido o responsável. Veja o print do post:

(Foto: Reprodução/Facebook)

Chegou até mim que postagens ofensivas foram feitas em o que costumava ser minha página do Facebook. Há um ano e meio, um ex-membro da minha equipe tem sido o único com acesso à aquela conta”, confessou a mãe de Kulture.

*LEIA TAMBÉM!

Com algumas reações de “haha” na rede, a atriz Laverne Cox não reagiu nada bem quanto ao compartilhamento e, sem se referir à cantora, deu a sua opinião. “Eu sou uma grande protetora do livre discurso, mas enquanto é socialmente aceitável fazer piadas sobre pessoas trans, fazer e compartilhar memes depreciando e humilhando os trans, eles continuarão sendo assassinados e tendo os seus direitos civis negados”, disparou Laverne.

Outros membros do Twitter também expressaram suas indignações com o meme.

Cardi B é, foi e provavelmente sempre será transfóbica. ‘Brincadeiras’ desse tipo fazem com que mulheres trans sejam assaltadas e assassinadas regularmente”, escreveu um usuário.

Mulheres trans negras estão sendo assassinadas por conta de piadas como essa. Esses caras estão nos matando para manter mulheres como você Cardi B, de serem descobertas. Por que você fará gracinhas da masculinidade deles. É assim que você encoraja a masculinidade tóxica que só acaba machucando você também, irmã! Peça desculpas”, comentou a advogada dos direitos dos transgêneros, Angelica Ross.