Rafa Kalimann Caio Castro Gil Do Vigor

Rafa Kalimann e Caio Castro compartilham vídeo homofóbico de pastor; Influencer pede desculpas, ator tenta explicar e Gil do Vigor dá a melhor resposta

Na noite deste domingo (30), Rafa Kalimann e Caio Castro publicaram nos stories de suas contas no Instagram, um vídeo do pastor Claudio Duarte sobre homossexuais. Na gravação, de 2017, para o programa Raul Gil, conferida na íntegra pelo hugogloss.com, o religioso começa, dizendo que não fecharia as portas de sua igreja para a comunidade LGBTQIA+.

Eu nunca coloquei ninguém pra fora. A gente só coloca se for bêbado e estiver atrapalhando. Mas eu não represento todos os evangélicos. Se tem algum pastor que agride ou é homofóbico, eu não tenho nada a ver com isso“, iniciou Claudio, num discurso já capenga. O pastor fazia muito sucesso com vídeos divertidos sobre relacionamentos, claro, todos heterossexuais, no Facebook. O registro em questão, recuperado por Kalimann e Caio não tem a mínima graça.

Logo após se distinguir dos demais pastores, Duarte acaba caindo em quê? Na homofobia, ainda que não perceba ou disfarce com sua voz mansa e argumentos incoerentes. “Não, eu não sou a favor do relacionamento gay. Eu respeito, mas eu tenho as minhas convicções e tenho a base do que eu acredito“, ponderou. O religioso então se recorda de uma passagem da própria vida. “Era um cara que foi meu irmão, e ele era gay. Ele tinha uma situação melhor que a minha, e eu usava o tênis dele e as roupas dele, e ele era como se fosse um irmão“, contou.

Continua depois da Publicidade

A experiência, entretanto, não foi o suficiente para que o pastor aceitasse e respeitasse, de fato, a homossexualidade. “Eu tenho valores, e eu não vou abrir mão deles. Eu não acho certo [que os gays sejam gays], mas isso não nos torna inimigos“, arrematou ele, num discurso, a priori, sutil e bondoso para muitos. Mas que na verdade é muito perigoso. Veja bem. Quando você diz que alguém ser gay é errado, você não está respeitando essa pessoa, a identidade, e quem ela é. Não há respeito nisso. Nós gays somos uma realidade que não precisa de validação de terceiros. Existimos desde sempre e não cabe a ninguém dizer que nossa existência é certa ou errada. Quando foi que nós dissemos que ser hétero é errado?! Então, por que vocês insistem em fazer isso conosco?!

Pense. Se por acaso, alguém dissesse: ‘eu respeito os evangélicos, mas acho errado que você seja evangélico’. Essa pessoa estaria incorrendo na intolerância religiosa. Se outro falasse: “Eu não sou a favor dos negros. Eu respeito quem é, mas acho errado que eles sejam negros”. Mais um absurdo, não acham? Essa pessoa estaria incorrendo em crime de racismo. Ora, ora. O que o pastor Claudio Duarte, com seu jeito choroso e emotivo, fez no tal vídeo não tem outro nome senão homofobia.

Por essas razões aqui rapidamente discutidas, internautas passaram a criticar o compartilhamento da cena por Rafa e Caio Castro. A influencer se desculpou, ainda ontem (30), naquele já manjado estilo, direcionado a “quem possa ter se ofendido”.

Quis vir aqui me desculpar por um vídeo que compartilhei nos Stories. Meu intuito era repassar aquilo para aqueles que tratam mal os LGBTs por conta de religião, para de uma vez por todas isso parar. Sinto muito se ofendi, e se pareceu que eu discordo de relacionamentos afetivos (jamais!). Apaguei depois de ver que estavam levando como opinião minha, e está longe de ser, muito pelo contrário“, escreveu ela no Twitter.

De acordo com Rafa, a gravação teria sido enviada por um amigo homossexual. “Ele e muitos outros acharam bacana ver um posicionamento diferente da maioria quando se trata de religião, foi um assunto que levantou muitas coisas legais, lá. Entendi completamente o ponto de vista de vocês, respeito e peço desculpas pelo meu compartilhamento“, concluiu a influenciadora.

Foi aí que o brilhante Gil do Vigor, que já sofreu muito com o preconceito dentro da igreja, resolveu explicar para Rafa o porquê daquelas palavras do pastor Cláudio serem tão nocivas. “Rafa, a questão é que ele disse que tem valores e que acha errado MAS RESPEITA e é contra isto que lutamos, contra pessoas que acham que relacionamentos homoafetivos são errados e contra os valores. Sou bicha e tenho valores!. Mas que bom que você apagou e entendeu!“, pontuou o economista.

A apresentadora do Casa Kalimann reforçou seu pedido: “Concordo, Gil. Eu quis direcionar pra quem usa da religião pra desrespeitar. Errei em não ter prestado mais atenção no vídeo. JAMAIS seria essa minha opinião. Eu repudio qualquer ato de homofobia. Errei e apaguei. Desculpas“. O pernambucano, por fim, elogiou a rápida retratação da influencer. “Entendo, Rafa e acho válido e nobre quem reconhece e pede desculpas. VIGORA!“, encerrou ele.

Continua depois da Publicidade

Já na manhã desta segunda (31), foi a vez de Caio Castro se manifestar, de forma simplista. “Sobre casamento gay, sobre relacionamento gay, sobre qualquer ideia sobre relação homoafetiva, sou a favor sim, sou a favor do amor entre as pessoas! Mas existem pessoas que não são, existem pessoas que têm suas convicções e costumes diferentes! Mas precisamos respeitar, não precisamos e nem devemos aceitar! Mas precisamos respeitar! E o vídeo que eu compartilhei é sobre esse ponto que o pastor está falando! Respeito às pessoas independente de qualquer coisa! Eu sou contra ele ser contra, mas eu respeito a opinião dele! Tudo começa no respeito”, escreveu ele nos stories do Instagram.

Whatsapp Image 2021 05 31 At 09.34.02
Caio Castro ainda não entendeu que não podemos respeitar a homofobia (Foto: Reprodução / Instagram)

Caio, não basta você não ser homofóbico, você tem que ser contra a homofobia. Não dá pra respeitar homofobia, racismo, misoginia, e etc. Essas coisas não se respeita, se combate. E ainda mais no país que mais mata LGBTQIA+ do mundo. Vamos nos informar para conseguirmos nos juntar em todas essas lutas por um mundo mais justo.