Suposto grupo ‘integralista’ assume atentado ao Porta dos Fundos e mostra vídeo do ataque, Polícia diz que vai investigar; saiba detalhes

Em um vídeo que está circulando pela Internet desde essa quarta-feira (25), um suposto grupo identificado como “Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira” assume o atentado contra a sede da produtora Porta dos Fundos que ocorreu na manhã do dia 24, no bairro Humaitá, no Rio de Janeiro.

No vídeo, publicado pelo canal ‘URSAL Network’, três pessoas com roupas verdes e capuzes pretos tampando o rosto fazem um discurso alarmista reivindicando a ação e explicando seus motivos com uma bandeira integralista ao fundo. Ao mesmo tempo, são exibidas imagens do suposto ataque com coquetéis molotov praticado por três pessoas na fachada do imóvel.

Segundo o jornal “O Globo”, as imagens coincidiriam com a gravação feita pela câmera do prédio da produtora, que mostra a mesma ação captada por um ângulo oposto e, por isso, a Polícia Civil já está investigando o envolvimento do grupo com o atentado.

O vídeo mostra pessoas atacando os coquetéis molotov na fachada de um imóvel (Foto: Reprodução)

“Nós, do Comando de Insurgência Popular Nacionalista da Grande Família Integralista Brasileira, reivindicamos a ação direta revolucionária que buscou justiçar os anseios de todo o povo brasileiro contra a atitude blasfema, burguesa e antipatriótica que o grupo de militantes marxistas culturais Porta dos Fundos tomou quando produziu o seu Especial de Natal a mando da Mega Corporação Bilionária Netflix, deixando claro para todo o povo brasileiro mais uma vez como o grande capital anda de mãos dadas com os ditos socialistas”, diz o porta-voz do grupo.

“Temos o prazer de declarar que as inquietações advindas do espírito popular hoje foram parcialmente satisfeitas. O Porta dos Fundos resolveu fazer um ataque direto contra a fé do povo brasileiro se escondendo atrás do véu da liberdade de expressão. Esses malditos servos do Grande Capital blasfemaram contra o Espírito Santo quando chamaram Nosso Senhor Jesus Cristo de bastardo e Maria de prostituta e adúltera. Por isso não merecem perdão. Hoje a sede do Porta dos Fundos, na intenção de desagravo, foi justiçada”, declara o manifesto em outro momento.

Em um discurso inquieto, o grupo ainda diz que a “justiça burguesa, covarde e corrupta vendida para o grande capital luta contra o povo”, mas prevê uma “Revolução Integralista” que vai condenar todos ao “justiçamento revolucionário”. “Nós, integralistas, não renegamos o nosso papel histórico e nos incumbimos de ser a espada de Deus. A Revolução Integralista é a revolução do espírito”, completa. Assista abaixo:

Segundo a colunista Cristina Padigloni, da “Folha”, o mesmo grupo já teria assumido atentados à UniRio e à Universidade Federal Fluminense (FF), queimando bandeiras antifascistas nos campi.

Relembre o caso

Na madrugada de terça-feira (24), a produtora responsável pelos conteúdos do Porta dos Fundos foi alvo de um ataque a bombas no Rio de Janeiro! De acordo com o G1, a assessoria de imprensa do grupo contou que dois coquetéis molotov foram atirados na fachada do imóvel.

Após os danos materiais causados no quintal e na recepção do local, o ataque foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo). Um funcionário que estava no prédio no momento – por volta das 4h – conseguiu conter o fogo e impedir um incêndio ainda maior. O segurança afirma ter visto também uma moto na contramão e uma picape na rua, assim que os coquetéis foram atirados.

O “Especial de Natal do Porta dos Fundos” deste ano causou muita polêmica e tem sido alvo de críticas desde seu lançamento, no início do mês, por tratar que Jesus teria tido uma experiência gay. (Foto: Divulgação/Netflix)

Com o ocorrido, o grupo vencedor do “Emmy Internacional 2019” se manifestou. “O Porta dos Fundos condena qualquer ato de ódio e violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades, para o Secretário de Segurança, e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos”, disse sua assessoria em nota. Eles também reforçaram que seguirão “mais unidos, mais fortes e mais inspirados pela liberdade de expressão”.

Desde o início de dezembro, o grupo humorístico tem sido alvo de diversos ataques por conta de seu “Especial de Natal”, veiculado na Netflix. Pelo fato de ter feito seu Jesus da ficção viver uma experiência gay, a produtora tem sido alvo de críticas de diversos grupos religiosos. Pelas redes sociais, foram várias as queixas e protestos contra a produção, sob a justificativa de que ela seria ofensiva à crença de tais pessoas.

Mesmo com abaixo-assinados e todos os ataques virtuais, o especial “A Primeira Tentação de Cristo” teve o melhor desempenho de audiência entre originais nacionais do catálogo do streaming, segundo uma fonte revelou ao “O Globo”. Com isso, a Netflix já renovou seu contrato com o Porta dos Fundos, garantindo um novo especial de Natal em 2020.

Ao Uol, a Polícia Civil contou que pretende dar respostas assim que possível: “A perícia foi realizada no local e a equipe do Esquadrão Antibombas arrecadou fragmentos dos artefatos para análise. Diligências estão em andamento para esclarecer o caso“.

Confira o comunicado na íntegra:

“Na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, a sede do Porta dos Fundos foi vítima de um atentado. Foram atirados coquetéis molotov contra nosso edifício. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua.

O Porta dos Fundos condena qualquer ato de violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades, para o Secretário de Segurança e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos. Contudo, nossa prioridade, neste momento, é a segurança de toda a equipe que trabalha conosco.

Assim que tivermos mais detalhes, voltaremos a nos manifestar. Mas, por enquanto, adiantamos que seguiremos em frente, mais unidos, mais fortes, mais inspirados e confiantes que o país sobreviverá a essa tormenta de ódio e o amor prevalecerá junto com a liberdade de expressão”