Deu ruim! Público identifica erro grotesco em aparência felina de Judi Dench no filme “Cats”; veja!

Vixeee! Parece que os gatos saíram e os ratos fizeram a festa… Kkkk! O filme musical “Cats” só estreia no Brasil na quarta-feira (25), mas já tem dado o que falar no mundo todo. Nesta segunda (23), o longa caiu na boca do povo — desta vez, por causa de um “deslize” na caracterização de uma das principais estrelas do elenco.

Na produção, os artistas aparecem com visuais que remetem à aparência felina em todos os detalhes, com exceção de uma pessoa: Judi Dench. O público percebeu que a intérprete de Old Deuteronomy no filme aparece com mãos humanas e, de quebra, usando uma aliança de ouro. A atriz Rebel Wilson também sofreu do mesmo ‘mal’, mas até então, apenas em uma cena. Eita!

Outra notícia sobre a produção que movimentou a web foi a declaração do cantor Jason Derulo, que afirmou ter tido o ‘volume’ dos seus genitais alterado na edição final do longa. “Eles fizeram CGI no meu pênis. Sim, eles fizeram CGI. Eu percebi isso. 125%. Eu consigo ver no trailer, com toda certeza”, revelou. Nesta semana, os estúdios da Universal notificaram os cinemas dizendo que enviariam uma nova versão do filme, agora com efeitos especiais mais aprimorados, mas não se sabe ao certo se haverá alguma “correção” nestes detalhes percebidos pelo público.

Aliás, todo esforço para alavancar “Cats” é necessário ultimamente… Mesmo com um elenco estrelado, que reúne nomes como de Taylor Swift, Jennifer Hudson e James Corden, o filme tem sido duramente criticado. No Rotten Tomatoes, agregador de críticas de cinema e televisão, o filme estreou com apenas 17% de aprovação, tendo 89 avaliações contabilizadas — uma nota MUITO baixa.

O jornal The New York Times foi um dos primeiros a mostrar descontentamento sobre a produção. “Pode-se escrever uma tese de doutorado sobre como essa falha conseguiu existir, embora não haja nada de novo na escolha energética do mau gosto nos filmes”, escreveu a colunista

Peter Debruge, crítico da revista Variety, não ficou muito atrás e disse que o longa pode acabar com a carreira de atores calouros. “A interpretação estranhamente brega do [diretor] Tom Hooper parece destinada a se tornar um daqueles constrangimentos que acontecem uma vez na vida e que estragam os currículos de grandes atores e atrasam as carreiras de aspirantes promissores”, escreveu.