Jason Momoa defende Ray Fisher e reforça acusações de ambiente abusivo nos bastidores de “Liga da Justiça”: “Nos tratavam de um jeito m*rda”

Jason Momoa saiu em defesa do colega Ray Fisher e reforçou as afirmações de que o ambiente de trabalho nas gravações de “Liga da Justiça” (2017) teria sido abusivo. O ator usou seu Instagram nesta segunda-feira (14), para postar um desabafo e condenar a conduta da Warner Bros Pictures, produtora responsável pelo filme, apesar de não ter especificado qual seria o comportamento inapropriado.

Essa m*rda tem que parar e precisa ser investigada. Ray Fisher e todos que viveram o que aconteceu sob o olhar da Warner Pictures precisam de uma investigação legítima“, escreveu Jason. Ele continuou, mencionando o filme “Frosty the Snowman”, que ele supostamente estrelaria e co-produziria. “Eu acho uma m*rda que as pessoas soltaram um anúncio falso de ‘Frosty’ sem a minha permissão para tentar distrair da denúncia de Ray Fisher sobre o jeito merda que nós éramos tratados nas refilmagens de ‘Liga da Justiça’“, criticou. A notícia de que o ator participaria do filme foi dada pela Warner no dia 1 de julho, algumas horas depois de Fisher postar suas reclamações no Twitter.

Coisas sérias aconteceram. Isso precisa ser investigado e pessoas têm que ser responsabilizadas“, finalizou Jason. Joss Whedon, maior alvo das acusações, assumiu a direção do filme de super-heróis depois que Zack Snyder teve que deixar a produção por um problema familiar. Uma parte significativa das cenas já estava gravada.

Em julho de 2020, Ray Fisher, que deu vida ao Ciborgue no filme de 2017, fez duras críticas à produção de “Liga da Justiça”. O ator apontou que Whedon teria desempenhado um comportamento inadequado e que esse recebia permissão dos produtores Jon Berg e Geoff John. “O tratamento de Joss Whedon com o elenco e a equipe de ‘Liga da Justiça’ foi grosseiro, abusivo, não profissional e completamente inaceitável. Ele foi permitido, de várias maneiras, por Geoff Johns e Jon Berg“, escreveu em um post no Twitter.

Joss Whedon foi acusado de ter sido abusivo nos bastidores de “Liga da Justiça”, filme de 2017. (Foto: Michael Tullberg/Getty Images)

A Warner chegou a abrir uma investigação interna em agosto, mas acusou o ator de não colaborar com as averiguações. “O Sr. Fisher insistiu que a WarnerMedia contratasse um investigador independente. Este investigador tentou várias vezes se encontrar com o Sr. Fisher para discutir suas preocupações, mas, até o momento, ele se recusou a falar“, afirmou a empresa. Ray negou e até divulgou um print de um e-mail que trocou com sua própria equipe, dizendo que o investigador seria da Warner Bros. e que a companhia estaria tentando tirar seu crédito.

Após o pronunciamento de Momoa, Fisher voltou ao Twitter para compartilhar o post do colega. “Se você pensou que Jason fazendo o Frosty era uma coisa real – por favor, acorde! Espero que as pessoas agora vejam a profundidade que alguns são capazes de ir para esconder a verdade. E pensar que eles acreditaram que meu irmão venderia o elenco e a equipe de ‘Liga da Justiça’ por um cachimbo de espiga de milho e um nariz de botão“, escreveu. A Warner Bros. ainda não se manifestou sobre a publicação de Jason. Jon Berg negou todas as acusações, enquanto Johns e Whedon não falaram sobre o assunto publicamente.