Gusttavo Lima

Gusttavo Lima quebra silêncio e chora em live após polêmica com prefeituras: “Estou cansado”; assista

Com cachês altos, shows do cantor pagos por prefeituras estão sendo alvo de investigação do Ministério Público

Após a grande repercussão dos cachês milionários e o cancelamento de seu show pela Prefeitura de Conceição do Mato Dentro (MG), Gusttavo Lima chorou em uma live nesta segunda-feira (30). Na transmissão ao vivo, com pouco mais de 20 minutos, o cantor, criticado por cobrar valores altíssimos de pequenas prefeituras Brasil afora, alegou nunca ter se beneficiado com o dinheiro público. Gusttavo choramingou e disse que está a ponto de “jogar a toalha” com as críticas que vem sofrendo.

“Eu nunca me beneficiei ‘sobre’ dinheiro público. Eu não compactuo com dinheiro público, sou um cara que tenho meus impostos em dia. Todos os artistas já fizeram ou fazem shows de prefeitura. É sobre valorizar a nossa arte! O que a gente tem pra vender é a nossa música. A gente paga as nossas contas com isso. A gente coloca comida na nossa mesa através do nosso talento”, disse o sertanejo, que de acordo com o jornal Extra teria uma fortuna avaliada em 346 milhões de reais.

“Não sei o porquê de tanto ódio e perseguição. Muitas inverdades sobre o meu nome e a minha carreira. Vocês sabem da minha índole e do meu caráter. Minha vida sempre foi trabalhar. Em 2019, fiz quase 300 shows. Temos uma equipe gigante de colaboradores e funcionários que, a cada dia, nos ajuda a subir mais um degrau. Pago todos os meus impostos em dia”, continuou.

Em outro momento, o músico afirmou que tudo o que conquistou é fruto de muita luta e que não pretende deixar de cobrar seu valor, mesmo que o show seja para prefeituras. “Todos nós temos contas para pagar, seja para prefeitura ou para shows privados. Eu sou um cara que faço pouquíssimos shows de prefeitura e, quando a gente às vezes faz algum, é massacrado como se fosse um bandido, como se fosse um ladrão que tivesse roubando dinheiro público. E não é assim, gente. Eu sou um trabalhador normal. Não me peça de graça a única coisa que eu tenho pra vender”, destacou ele.

Continua depois da Publicidade

No desabafo, Gusttavo Lima disse que “ter as coisas gera inveja nas pessoas” e ameaçou “desistir” da carreira. “A gente não pode ter um avião legal? Eu comia abóbora com farinha na minha infância. Passei muitas necessidades e perrengues. Do fel ao mel. Nunca imaginei que ser bem sucedido traria tanta inveja. Às vezes, dá vontade de sumir pra ver se essa perseguição, na minha vida pessoal e profissional, acaba. Eu já trabalho para c*ralho para ter o meu dinheiro, eu não quero dinheiro do povo. Eu juro que estou cansado, estou a ponto de jogar a toalha”, disparou o embaixador, que viu um dos seus shows ser pago com verba destinada à saúde e à educação.

Gusttavo Lima
Show de Gusttavo Lima custaria mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos de município de MG. (Foto: Reprodução/Instagram).

O cantor chorou ao apontar as “perseguições” que tem sofrido: “É muito triste a gente ser esculhambado, ser tratado como se fosse um criminoso, um bandido, por causa de tudo isso. Aqui existe um cara responsável com todos os seus colaboradores, ninguém aqui é bandido. A gente tem coração, temos Deus no coração. Para de me perseguir, só peço isso pra vocês”.

Assista ao desabafo na íntegra:

Além da apresentação em Conceição do Mato Dentro, outros dois shows do sertanejo se tornaram alvo de investigação do Ministério Público. Segundo o G1, o primeiro é em Roraima, sobre a verba de R$ 800 mil paga pela prefeitura de São Luiz, cidade de 8 mil habitantes, com 32% da população em extrema pobreza. Já em Magé, município do Rio de Janeiro, Lima receberia R$ 1 milhão pela apresentação para comemorar aniversário da cidade, em 8 de junho. O valor é quase 70 vezes mais do que a prefeitura do local planeja gastar com a construção de creches, e 500 vezes mais que o previsto para campanhas de vacinação.

Continua depois da Publicidade

Relembre o caso

O show do Embaixador no município mineiro, contratado em 11 de abril, tornou-se alvo de pedido de investigação no MPMG. O cantor receberia um cachê de R$ 1,2 milhão, o maior pago pela cidade entre as contratações para a 30ª Cavalgada do Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos divulgadas no site do evento.

O dinheiro usado para pagar os shows é dos recursos da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem). Esse é um tributo pago por mineradoras a cidades que abarcam a atividade, mas deve ser destinado apenas para os setores da educação, saúde e infraestrutura, o que não é o caso da cavalgada.

Shows de Gusttavo Lima entraram da mira do Ministério Público. (Foto: Reprodução/Instagram)
Shows de Gusttavo Lima entraram da mira do Ministério Público. (Foto: Reprodução/Instagram)

No contrato, que foi disponibilizado na página da prefeitura, algumas exigências chamaram a atenção do público – entre elas a de que a administração municipal seria a responsável por custear a hospedagem de Gusttavo Lima, bem como sua equipe de quarenta pessoas no “melhor hotel da região”. Foi exigido, ainda, o pagamento de R$ 4 mil, para cobrir as diárias de alimentação da equipe técnica e banda. O valor deveria ser pago em espécie, diretamente ao produtor da equipe de shows no dia da apresentação. A contratada é a Balada Eventos e Produções LTDA, empresa que representa Gusttavo Lima.

No site, seis dos dezesseis shows contratados para o evento revelam que, ao todo, a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro (MG) desembolsou R$ 2.340.000,00 (dois milhões, trezentos e quarenta mil reais) somente nas atrações através da Secretaria Municipal de Turismo. O show de Lima representava pouco mais de 50% desse valor. O cantor era seguido pelos sertanejos Bruno e Marrone, que faturaram R$ 520 mil, a dupla Israel e Rodolffo, que recebeu R$ 310 mil, Di Paulo & Paulino, com seus R$ 120 mil, João Carneiro, que levou cerca de R$ 100 mil, e, por fim, Thiago Jhonathan, que recebeu R$ 90 mil.