Prêmios MTV Miaw 2019: Pabllo Vittar, Emicida e Majur fazem performance emocionante do hino “AmarElo”; assista!

De arrepiaaar!!! A gente tá no chão com a apresentação de “AmarElo” no palco dos “Prêmios MTV Miaw 2019” nesta quinta-feira (4). A música do rapper Emicida, gravada em parceria com as maravilhosas Pabllo Vittar e Majur, tem uma mensagem super poderosa sobre suicídio e diversidade. No palco, eles cumpriram a promessa de emocionar o público e arrasaram muito em cada detalhe.

Cientes do impacto social que a música pode ter, o trio iniciou a apresentação com uma sequência de mensagens que alertava o público sobre as taxas de suicídio e as mortes de jovens LGBTQ+ e negros no país. Logo após, diversas fotografias de pessoas se juntaram e formaram a imagem do cantor Belchior. Afinal de contas, a faixa usa o sample do clássico “Sujeito de sorte”, gravado pelo artista falecido no ano de 2017.

Em seguida, o rapper Emicida tomou o palco sendo acompanhado por Majur e mais ao final pela cantora Pabllo Vittar. A apresentação do trio teve direito a um corpo de balé que representava um exército. Cada passo de dança casou perfeitamente com as batidas da música e deixou tudo ainda mais intenso. No quesito vocais, não é surpresa para ninguém que os três arrasaram. Em um dos pontos altos, a drag queen alcançou notas agudas que, até mesmo seus haters precisaram aplaudir de pé. Espia só o resultado!

Mais cedo, nos bastidores dos ensaios, Pabllo e Majur conversaram com exclusividade com a nossa equipe e falaram um pouco sobre a importância e o impacto que “AmarElo” tem tido nas pessoas. “Eu peguei um motorista de aplicativo e ele tava aos prantos falando como foi pra ele ouvir a mensagem da música. O Brasil é um país doente e as pessoas precisavam escutar sobre o assunto“, relatou a artista baiana.

Emicida, Pabllo Vittar e Majur apresentam “AmarElo” nos “Prêmios MTV Miaw 2019”. Foto: Manuela Scarpa/Brazil News

Quando eu canto ‘permita que eu fale, não as minhas cicatrizes’ representa uma evolução, sabe?! Saindo desse casulo cheio de ódio e falando ‘Eu posso, sim, vencer’“, completou Pabllo Vittar. Incrível, né?!