BBB 19: Paula depõe na delegacia após ser acusada de injúria por preconceito; Delegado dá detalhes: ‘Depoimento foi longo’

Nesta segunda-feira (15), a campeã do “Big Brother Brasil 19”, Paula Von Sperling, prestou depoimento na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). No último sábado (13), ela recebeu uma intimação para depor no processo em que é acusada de injúria por preconceito contra Rodrigo França, enquanto ambos permaneciam confinados no reality show.

Segundo a Globo.com, Paula chegou à delegacia um pouco antes das 16h de ontem, acompanhada pela irmã, Monica Von Sperling. Em seguida, Monica teria informado que a bacharel em Direito não falaria absolutamente nada com a imprensa e pediu para que “nada fosse publicado“.

Paula não quis falar com a imprensa após prestar depoimento na Decradi sobre caso de intolerância religiosa. (Foto: Reprodução/TV Globo)

De acordo com a revista Quem, a mineira saiu pelos fundos da delegacia depois de mais de uma hora de depoimento. Escoltada por seguranças, ela cobriu o rosto coberto com uma jaqueta para evitar as fotos da imprensa presente no local.

A Paula foi ouvida, o depoimento foi longo e já temos elementos suficientes para a elaboração do inquérito. Devo encaminhá-lo para a Justiça ainda esta semana. O depoimento rendeu algum tempo porque ela assistiu ao vídeo do programa, teve uma manifestação livre sobre o episódio e depois foi interrogada“, explicou o delegado titular da Decradi à Quem.

Paula é investigada por declarações controversas feitas dentro da casa sobre Rodrigo, quando chegou a afirmar ter medo de religiões africanas. “Eu tenho muito medo do Rodrigo. Ele fala o tempo todo desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso, mas nosso Deus é maior”, disse a loira em conversa com Diego e Hariany.

Na ocasião, Hariany tentou alertar a amiga sobre a gravidade de sua fala: “Não precisa ficar falando disso não, porque pessoas dessas religiões lá fora ficam com implicância com você e acham que você é preconceituosa“. “Mas eu não sou não!“, rebateu a mineira. Veja no vídeo:

Ainda absorvendo tudo o que está acontecendo e o fato de ter virado “persona non grata” de vários colegas de confinamento, a milionária afirmou, em sua coletiva de imprensa depois da final do “BBB 19”, que assumirá responsabilidade pelos seus atos. “Fui eu mesma e não medi as palavras. Mesmo sendo processada, ganhei R$ 1,5 milhão e vou encarar tudo que tiver por vir“, concluiu. Caso seja considerada culpada, Paula pode pegar até três anos de reclusão.