BBB20: Pyong Lee recebe intimação da polícia para depor sobre acusações de assédio a Marcela e Flayslane, e se pronuncia

Uma semana após sair do “BBB 20”, Pyong Lee foi convocado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro para depor sobre as acusações de assédio a Marcela e Flayslane durante a festa “Guerra e Paz” no começo de fevereiro. Ao ‘UOL’, o hipnólogo confirmou a intimação e disse que está apenas esperando a confirmação da data.

“Estou disposto a responder e esclarecer tudo o que for preciso”, garantiu o agora ex-BBB. “Estou com a consciência tranquila. Eu errei, não vou mentir, não vou esconder, e não preciso fazer isso. Inclusive já pedi desculpas publicamente dentro do ‘Big Brother'”, completou ele.

Pyong afirmou que sabia que sua atitude ainda traria desdobramentos. “E eu vou lidar com as consequências dos meus atos. Quando o ser humano erra — e todo mundo erra — é importante reconhecer, pedir perdão para as pessoas que se ofenderam, para as pessoas envolvidas, e não repetir mais o erro. Estou comprometido, não repeti o erro lá dentro e não vou repetir mais aqui fora”, afirmou o hipnólogo.

A abertura da investigação ocorreu poucos dias após a festa, motivada pela repercussão negativa do público com as cenas em que Pyong apalpava Flayslane e tentava beijar Marcela à força. “De acordo com informações da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, foi realizado um registro para apurar os fatos veiculados na mídia”, disse a polícia na nota enviada para a imprensa.

As cenas viralizaram negativamente para o hipnólogo (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Em entrevista para o Extra, a delegada Catarina Noble deu mais detalhes sobre o caso. “Nós tomamos conhecimento por meio das redes sociais e da TV de que o Pyong teria tido atitudes durante a última festa que aconteceu dentro do reality que podem ser consideradas como assédio sexual. Não estou afirmando que isso aconteceu, mas vamos apurar tudo. Esse tipo de comportamento de alisar as moças sem o consentimento delas deve ser combatido dentro e fora do programa”, falou.

Na época, a delegada já havia confirmado que tanto Pyong, como Marcela e Flayslane, precisariam depor. “Nós entendemos que essa espera para ouvir tanto o Pyong como as moças envolvidas não afetará a investigação. Imagino que no prazo de três meses, que é o tempo de terminar o programa, todos sejam ouvidos e a investigação seja concluída”, afirmou Noble.

Relembre o caso

Na madrugada do dia 9 de fevereiro, as hashtags “Fora Pyong” e “Pyong Expulso” foram parar nos assuntos mais comentados do Twitter por conta da postura do hipnólogo na festa “Guerra e Paz”. Visivelmente alcoolizado, ele protagonizou cenas desrespeitosas com as sisters da casa.

A que mais revoltou o público aconteceu enquanto ele dançava junto com Flayslane. Desconfortável, ela tentava se afastar dele, dizendo para todo mundo ficar “feliz”, e Pyong dizia: “Eu quero assim, eu quero a Flay assim”. Enquanto isso, ele deslizava a mão pelo corpo da jovem, chegando até a sua bunda.

Marcela também foi alvo do colega de confinamento, quando ele tentou beijá-la. “Para! A gente nada, vai dormir, cala sua boca! Pyong, vai se f*der! Vai dormir. A gente vai brigar… Você já passou do limite. Você tem mulher e filho te esperando em casa”, retrucou a moça na hora.

Porém, os alertas não foram suficientes. Ao dançar com a obstetra, ele tentou beijar seu pescoço e foi na altura do queixo, em direção à boca, mas ela se esquivou e reclamou novamente. “Amanhã a gente vai conversar”, alertou pacientemente. “Pyong! Para! Tá doido? O que é isso?”, se irritou quando ele tentou abraçá-la por trás.

No dia seguinte, Pyong percebeu os erros e pediu desculpas pelos atos no Raio-X. “Primeira coisa que eu quero fazer é falar com a minha esposa. Sammy, ontem teve festa e perdi o controle. Não lembro de muita coisa, desculpa. Para os brasileiros também, desculpa para quem assiste”, afirmou o hipnólogo no confessionário. E acrescentou: “Não sei se foi legal, porque eu não lembro. Vou cuidar para não acontecer de novo. Desculpa, te amo [Sammy]. Só quis dizer isso hoje, quero muito pedir desculpa e dizer que não vai acontecer de novo”.

Na época, Marcela e Flayslane foram chamadas ao confessionário para conversar com a produção do programa e afirmaram que não teria havido assédio. Anteriormente, ao ser questionada por Lee se tinha ficado ofendida com a situação, Marcela amenizou: “Baby, você não tem que pedir desculpas de nada. Para mim está de boa, real. Dei risada só”. No jogo, além da advertência, o brother teve todas suas estalecas zeradas.