“Game of Thrones”: Emilia Clarke e outros membros do elenco se pronunciam sobre petição para refazer oitava temporada

[ALERTA DE SPOILERS!] “Game of Thrones” é uma das séries mais assistidas de todos os tempos… e, por isso, as expectativas para a conclusão da história eram muito, muito altas. No entanto, os fãs tiveram uma decepção e tanto com a oitava e última temporada — levando mais de um milhão a assinar uma petição para a leva de episódios ser refeita “com roteiristas competentes”. O argumento principal dos fãs é que David Benioff e D.B. Weiss não foram capazes de desenvolver a história de forma coerente por conta própria e que os dois estiveram mais focados em seu próximo projeto, o filme “Star Wars: Rise of Skywalker”.

Uma das maiores revoltas dos telespectadores é em relação ao destino de Daenerys Targaryen, que foi assassinada por Jon Snow após massacrar a população de Porto Real. De acordo com a intérprete da mãe dos dragões, Emilia Clarke, em entrevista à New Yorker, ela não tinha ouvido falar da petição, mas sabia que o final da série não agradaria a todos. “Eu já assisti e amei séries demais para pensar que isso seria possível. As histórias são muito vastas, os personagens muito complexos. [‘Game of Thrones’] é, de certa forma, uma série que divide o público: ‘De que lado você está?’. E se você está agradando todo mundo, então, provavelmente, [a história] é bastante morna. Mas, para mim, era o único modo que poderia acabar”, revelou.

(Foto: Reprodução/HBO)

Porém, se fosse para refilmar a oitava temporada, Emilia admite que gostaria de ter mais cenas com Missandei e Cersei. “Eu adoraria mais cenas entre Verme Cinzento e Missandei. Eu amaria ver um pouco mais entre Cersei… eu sinto que havia… O genocídio estava lá. Isso aconteceria de qualquer jeito. E eu apenas acho que, com um pouco mais de desenvolvimento e aquelas cenas lindamente escritas, que os meninos [David Benioff e D.B. Weiss] fazem entre os personagens — que nós ficamos mais do que contentes em sentar e assistir a 10 minutos de pessoas conversando, porque é lindo. Eu apenas queria ver um pouco mais disso. Mas eu não estou em posição de criticar a genialidade de quem escreveu oito temporadas dignas de coisas maravilhosas”, afirmou. É basicamente o que todo mundo falou: o final poderia ter sido este… mas o público queria que o conteúdo tivesse mais tempo para ser bem trabalhado!

Daenerys observa a destruição frente a um exército em “Game of Thrones”. (Foto: Helen Sloan/HBO)

Contudo, Isaac H. Wright, o intérprete de Bran Stark — que acabou virando rei de Westeros — não gostou nada, nada de ouvir sobre a petição. Ao conversar com o The Hollywood Reporter sobre o assunto, ele disse que a ideia de regravar a série era “absurda”. “Eu não consigo sequer entender. É apenas ridículo”, disse, entre risadas. “É ridículo que as pessoas pensem que elas podem simplesmente exigir um final diferente porque não gostaram [do original]. Eu tomei a situação de forma bastante pessoal, o que obviamente eu não deveria fazer. Na minha opinião, é um ótimo final”, revelou.

(Foto: HELEN SLOAN/HBO)

Isaac ainda explicou seus motivos para ter gostado da conclusão da série: “Eu acho que é uma personagem que todo mundo ama. Dany é uma personagem brilhante, que fez muitas coisas fabulosas e salvou muitas pessoas. As pessoas reclamaram que a mudança foi do nada, mas, de tempos em tempos, ela demonstrou a capacidade de ser bastante brutal. Ela esperou anos e anos para chegar em Westeros e tomar o que é dela. Ela foi atrasada. Ela teve que lutar contra um Exército dos Mortos, literalmente. Ela quase morreu. Ela perdeu Jorah, Missandei, e agora a pessoa por quem ela está profundamente apaixonada não está confortável com ela, e ele ameaça o direito dela ao trono. Ela está cansada disso. Ela está brava e ela perdeu a cabeça. Eu não acho que foi uma reviravolta apenas para chocar. Eu acho que foi um desenvolvimento genuíno da personagem”. 

Já Jacob Anderson, astro que dá vida a Verme Cinzento, falou em entrevista ao programa “Good Morning America” que a petição era “rude”: “Eu acho que as pessoas têm o sentimento de que a série pertence a elas, e isso é muito bom. Eu acho que é realmente importante quando as pessoas criam uma relação com [a série]. Significa algo para elas. No entanto, não pertence a elas”. 

É bom a gente se acostumar com o final de “Game of Thrones”… porque é o único que teremos!