Fotojet (3)

Lilia Cabral vai às lágrimas ao falar na TV sobre morte de Tarcísio Meira: “Só tô pensando na Glória’; assista

Dia triste para a história da dramaturgia brasileira. Faleceu nesta quinta-feira (12), aos 85 anos, Tarcísio Meira, vítima de complicações da Covid-19. Ele estava internado desde o dia 6 de agosto no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde foi intubado e chegou a fazer hemodiálise contínua. A perda abalou a todos nós, principalmente aqueles que tiveram a chance de contracenar ou conhecer o lendário ator pessoalmente.

Lilia Cabral foi uma dessas pessoas. A artista não conteve a emoção ao falar sobre a partida de Tarcísio durante participação no “Encontro com Fátima Bernardes” dessa manhã. “Ai, Fátima, é difícil falar, estou muito triste. A situação dele estava muito complicada. Quando você morre jovem, você logo pensa em uma tragédia. Quando tem o tempo de vida grande, a gente sabe que a história é essa, vai ter o momento que ela vai findar. Mas quando isso acontece, é difícil acreditar”, desabafou.

Continua depois da Publicidade

Também em seu discurso, a paulista citou a morte de Paulo José, ator e diretor falecido ontem (11), aos 84 anos, em decorrência de uma pneumonia. “Eram dois grandes atores da história da TV e você pensa que todos são eternos. É muito difícil, não de aceitar, mas de receber uma notícia que dói”, continuou, dizendo ainda estar preocupada com a companheira de Tarcísio, Glória Menezes, que segue internada, também com Covid-19.

“Agora só tô pensando na Glória. Não paro de pensar nela. Foi através dela que conheci o Tarcísio. A Glória ficou tão minha amiga, desde a primeira novela na Globo, é tão carinhosa. Penso também na família, não dá para dissociar os dois. Mas tem que aceitar, entender, sei lá…”, declarou Lilia, muito emocionada. Assista:

Cabral também fez uma importante ressalva, ao dizer que a morte de Tarcísio não deve causar desconfiança sobre a eficácia da vacinação contra a Covid-19. O ator recebeu as duas doses do imunizante, mas de acordo com especialistas, idosos costumam ter um declínio natural em seus sistemas imunológicos. O processo recebe o nome de imunossenescência e nada tem a ver com a proteção da vacina.

“São duas perdas na pandemia, nessa tristeza da Covid-19, no mundo que estamos vivendo agora. É tentar entender. Essa doença é uma roleta russa, isso não significa que você tem que deixar de tomar vacina, relaxar os cuidados. É uma doença que você pode ser assintomático, mas com o outro acontece uma tragédia”, frisou a atriz.

Continua depois da Publicidade

Por fim, Lilia lembrou com carinho das gravações de “Corpo a Corpo”, em que contracenou com Glória e conheceu, nos bastidores, Tarcísio: “Não dá para pensar na TV sem Tarcísio, sem a Glória. É uma história. Quando entrei na TV, a gente ficava do lado deles ouvindo essas histórias. Eram aulas. Era uma particularidade deles. Em ‘Tieta’, juntava aquela galera toda no bar e todos ficavam contando histórias. Quando comecei em ‘Corpo a Corpo”‘, a Gloria fazia e o Tarcísio ia se encontrar, eles davam a mão, um beijinho”.

Ary Fontoura

Quem também participou do “Encontro” foi Ary Fontoura, que lamentou o falecimento tanto de Tarcísio, como de Paulo, e prestou condolências à Glória. “Ele (Tarcísio) estava se preservando. Agora vem essa notícia tão desagradável, penso na Glória, nem vou poder estar lá. Era um casal tão unido, havia um amor tão profundo pelos dois. Gostaria tanto de abraçá-la, confortá-la nesse momento tão difícil. Gostaria de me despedir de Tarcísio também”, lamentou.

“São duas notícias muito tristes para a cena brasileira, para nós profissionais. Nossa Senhora, meu Deus, poderia dar uma pausa para gente. Resta rezar e pedir a Deus para que Ele conduza Tarcísio para o melhor caminho”, completou, dizendo ter “só lembranças boas e felizes” do colega em vida.

Tony Ramos

Amigo de longa data de Tarcísio, Tony Ramos foi mais um que se emocionou ao comentar a morte do ator. “Eu estava esperando entrar no ar e acompanhando os companheiros, vocês todos, e ao mesmo tempo tentando entender o que de fato está… Como essas notícias nos colhem. É de uma forma dilacerante. Dilacerante”, lamentou, em entrevista à GloboNews.

“É uma perda absolutamente inesperada. Dirão muitos que me ouvem agora, ou me assistem: ‘Pô, rapaz. 80 e tantos anos, é possível isso acontecer’. Eu sei, gente. É possível acontecer com 20, com 30, 40, 50 anos. Não é? A gente ganhar idade é uma bênção. Estar vivo é uma bênção. Claro que quando entra uma doença, esse vírus maldito que muitos ainda querem negar ou passar pano em cima disso, esse vírus demolidor não escolhe hora e nem quem vai atacar. Por isso: protejam-se, cuidem-se”, alertou.

Em seguida, Tony afirmou que, desde a internação de Meira, vinha recebendo atualizações sobre a saúde do amigo por Tarcísio Filho. “Confesso que não falava com Tarcisinho há dois dias, mas com aquela esperança. A gente sempre tem uma esperança absoluta, né? Ele dizia: ‘não, o pai tá assim, o pai tá assado’… ‘o pai’, como ele sempre falou. Há uma esperança, ele reagiu bem, e de repente vem essa notícia”, lastimou.

Por fim, o artista elogiou a “alma plena” de Tarcísio, e seu amor pela profissão. “Meses atrás, eu queria saber deles, eles estavam no sítio lá perto de Itu e ele dizia: ‘estamos bem, estamos nos cuidando, tomando todos os cuidados’. E os projetos na cabeça dele continuavam. Isso que era muito bonito, e que é bonito na Glória. Vamos cercá-la de amor e carinho… Jesus, ninguém supera isso, mas pra que ela tenha um conforto maior”, disse Ramos, que logo em seguida, perdeu as palavras e ficou com os olhos marejados. “Desculpe. É um momento muito difícil. Quero me lembrar dele com essa força e determinação. Um amigo leal”, encerrou.