“Você”: Penn Badgley fala sobre seu personagem e explica por que ele não é um herói: “Um homem branco mau”

Penn Badgley não vai desistir de conscientizar o máximo de pessoas que puder sobre o quão problemático é seu personagem na série “Você” da Netflix. Em uma conversa com Gina Rodriguez para a Variety divulgada nesta sexta-feira (7), os dois atores foram completamente abertos sobre suas respectivas séries e a experiência deles como pessoas públicas.

Foi nesse clima que Penn se abriu sobre seu mais recente personagem, Joe Goldberg. “Tudo que eu conseguia ler era o desejo [das pessoas] pelo seu personagem. E seu personagem não é legal”, comentou a atriz. Bagley concordou: “Eu acho que o slogan da Lifetime era ‘O quão longe você está disposta a ir por amor?’, e eu sempre fiquei tipo: ‘Não, não é isso’. Para mim é, tipo: ‘O quão longe nós estamos dispostos a ir para perdoar um homem branco mau?’.”

Gina, então, aproveitou para perguntar sobre os característicos olhos “loucos” que o ator fazia para Joe. “Isso é algo que as pessoas sempre falam e eu fico, tipo: ‘Isso não é atuar?'”, indagou Penn. “Eu faço expressões faciais loucas em ‘Jane [The Virgin]‘. Elas sempre se originam de alguém que eu vi no metrô de Nova York”, respondeu ela.

Penn Badgley como o assustador Joe de ‘Você’. (Foto: Divulgação/Netflix)

“Isso é completamente estranho para mim. Eu não acho difícil acessar o que as pessoas aparentemente definem como loucura ou até raiva. De algum jeito, as pessoas acham isso mais malandro e charmoso. E é como: ‘Eu vou matar pessoas na próxima cena.’ E talvez haja alguma coisa nisso, que nós ainda não somos desenvolvidos o suficiente para não sermos atraídos. Essa é a coisa do homem-branco-mau”, analisou o ator.

Ele continuou: “As normas culturais nos inclinam a perdoar certo tipo de pessoa, normalmente alguém que se parece como eu, menos com alguém que se pareça como você. O personagem principal, no meu caso, é alguém que está fazendo coisas imperdoáveis, e, mesmo assim, nós ficamos dando cambalhotas para entender como vamos perdoá-lo. Eu recebo muitas respostas no Twitter. Muito do que nós gostamos de chamar de ‘sedento’.”

“Então eu tive essa resposta medida: ‘Vamos talvez nos checar um pouco’. E eu fiquei muito feliz e surpreso com o quanto isso elevou a conversa sobre o assunto. Eu acho que, se nós não formos cuidadosos, porque está na Netflix, você pode passar por tudo muito facilmente. E depois você fica tipo: ‘Por que eu me sinto mal?’. É uma coisa meta. Você pode aprender do elemento cultural pop daquilo e depois continuar a conversa fora das telas”, finalizou.

A discussão em torno de Joe em “Você” se originou logo nos primeiros dias após a série. Mesmo com as atitudes bizarras e até perigosas que o personagem tomava, as pessoas ainda faziam comentários sobre como ele era “gato” e “sexy”. Na época, Penn resolveu se abrir no Twitter e rebater os comentários. “O número de pessoas romantizando o personagem do Penn Badgley em ‘Você’ me assusta”, opinou uma seguidora. “A mim também. Vai ser a motivação que eu preciso para a segunda temporada”, ele respondeu.

Na mesma conversa com Gina, o ator ainda relembrou o quase cancelamento da série. “Com ‘Você’, vocês tiveram uma vida em outro lugar. Estar no Lifetime e depois [eles] não verem esse potencial, e aí ir para outro serviço como a Netflix e ser exposto para muito mais pessoas…”, introduziu a atriz. “Foi uma experiência de quase morte. Houve um período de duas semanas em que nós estávamos tecnicamente cancelados”, comentou Penn.

Badgley, então, relembrou que “Jane The Virgin” também traz importantes discussões à tona: “O que eu gostei muito quando assisti à sua série foi ver como parece ser uma plataforma positiva para jovens mulheres de todos os tipos. Está falando sobre aborto.”

“Isso foi bem corajoso. Jennie Urman, a showrunner, queria escrever a história de uma mulher, e ela acabou colocando uma mulher latina nesse espaço. Acho que é por isso que impactou tanto”, respondeu Gina. “Eu acho que a complexidade das conversas sobre ‘Jane the Virgin’ e a comunidade latina é tão boa. Porque a comunidade latina é muito diversa. Então é quase difícil ter essa conversa numa plataforma como o Twitter.”

A atriz Gina Rodriguez, protagonista de Jane The Virgin (Foto: Getty)

A atriz ainda se abriu sobre as dificuldades pelas quais passou antes da fama: “Eu tinha 30 anos, então fui pobre por muito tempo. Eu fui uma atriz com dificuldades por muito tempo. Eu não tinha pago minha dívida com a NYU. Sempre é imediato porque você vai de ‘Estou lutando por 13 anos’ para ‘Eba! Posso pagar meu aluguel’. A única coisa da fama que é constante é o teste de ego.”

“E quando você vacila, é bem público. Quando você termina um relacionamento, é público”, completou Penn. “Ah, sim. Esqueci dessa parte”, respondeu a atriz.