(Foto: Divulgação/G1)

iFood: Nomes de restaurantes são trocados por elogios a Bolsonaro, e ataques a Lula, vacina e Marielle; empresa explica o que houve

Usuários do iFood de diferentes partes do país, como Florianópolis, Salvador, Natal, Criciúma e ABC Paulista, relataram problemas ao utilizar o aplicativo na noite dessa terça-feira (2). Como pode ser visto em publicações compartilhadas nas redes sociais, nomes de diversos estabelecimentos cadastrados na plataforma foram alterados por mensagens anti-vacina, de apoio a Jair Bolsonaro ou contra o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva.

“Bolsonaro 2022”; “Vacina Mata”, e “Lula Ladrão” foram alguns dos títulos usados. Até mesmo, Marielle Franco, vereadora assassinada em 2018, virou alvo dos ataques. Alguns restaurantes tiveram os nomes trocados por “Marielle Peneira”, uma alusão perversa aos tiros que atingiram a socióloga.

Em nota, divulgada ainda ontem, o iFood disse que as alterações atingiram 6% dos estabelecimentos registrados na plataforma e foram feitas de maneira indevida, por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviços. O aplicativo afirmou ainda que os nomes corretos dos restaurantes “estão sendo restabelecidos” e que não houve vazamento de dados pessoais ou bancários de clientes, parceiros e entregadores.

Confira o comunicado do iFood na íntegra:

“Na noite de 2 de novembro, identificamos que alguns estabelecimentos cadastrados na plataforma tiveram seus nomes alterados. Essa situação acorreu com aproximadamente 6% dos estabelecimentos na plataforma. Tomamos as medidas imediatas e necessárias para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores. Não encontramos qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito.

O incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida. O acesso da prestadora de serviço foi imediatamente interrompido, e os nomes dos restaurantes já estão sendo restabelecidos.

É importante destacar que os meios de pagamento dos clientes estão seguros. Os dados de meios de pagamento não são armazenados nos bancos de dados do iFood, ficando gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, não tendo havido comprometimento de dados de cartões de crédito. Também não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais de clientes ou entregadores cadastrados na plataforma”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por iFood Brasil (@ifoodbrasil)