Fotojet (6)

Serial killer de Brasília: Homem finge ser policial federal, confunde agentes em operação e é preso; saiba detalhes

Um jovem de 23 anos foi preso na noite deste sábado (19), após se identificar como um policial federal para participar das buscas por Lázaro Barbosa Sousa, mais conhecido como o “serial killer de Brasília“, responsável pelo assassinato de uma família em Ceilândia do Norte, Distrito Federal. As informações são do G1.

Num primeiro momento, o homem – cujo nome não foi revelado – abordou equipes da força-tarefa na BR-070, próximo ao Rio Pichuá, na região de Cocalzinho (GO), alegando estar atrasado para encontrar os colegas de trabalho, que estariam um pouco mais à frente. Cerca de 40 minutos mais tarde, o rapaz retornou e pediu ajuda aos demais oficiais para desarmar uma pessoa alcoolizada em uma propriedade rural.

Continua depois da Publicidade

Os militares foram persuadidos. Assim que voltaram ao ponto de apoio da Operação Lázaro, foram informados pela equipe da Polícia Rodoviária Federal que o sujeito em questão não era policial. O jovem foi então levado até uma delegacia local para o registro da prisão em flagrante por falsidade ideológica. O crime também foi classificado como usurpação de função pública, por convencer uma equipe da PMGO a acompanhá-lo em uma suposta ocorrência.

25540320400 F7d5da72d6 O
Jovem é preso após se identificar como um policial federal para participar das buscas por Lázaro Barbosa Sousa, mais conhecido como o “serial killer de Brasília“. (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Buscas por Lázaro continuam

As operações de busca por Lázaro Barbosa entraram hoje (20) em seu décimo segundo dia. A força-tarefa, que tem 270 policiais, segue com várias barreiras em estradas de terra e rodovias nas regiões de Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás. Quem passa pela BR-070 é abordado pela polícia, seja durante o dia ou madrugada. Eles fiscalizam dentro do carro e porta-malas, na tentativa de encontrar pistas, ou o próprio foragido.

Lázaro promoveu uma chacina em Ceilândia, Distrito Federal, e assassinou brutalmente quatro pessoas da mesma família – além de ser suspeito de uma série de outros crimes na região. O pai dele, Edenaldo Barbosa Magalhães, de 57 anos, se abriu sobre o filho em entrevista ao Correio Braziliense, dizendo estar envergonhado e com medo das atitudes de Lázaro. “Um monstro da pior espécie”, disparou. Confira o relato e entenda os últimos desdobramentos do caso, clicando aqui.