Falcão e o Soldado Invernal: Anthony Mackie explica seu problema com os shippers de Sam e Bucky, e é criticado nas redes sociais: “Melhor se não dissesse nada”

On your left! Na noite de ontem (17), a Variety divulgou uma nova entrevista com o ator Anthony Mackie, que deu vida ao Falcão e recentemente se tornou o Capitão América no MCU (Marvel Cinematic Universe). Durante o papo, Mackie falou sobre sua experiência assumindo o manto de um dos personagens mais icônicos da gigante dos quadrinhos e abordou uma das maiores polêmicas que circulam a série do Disney+, “Falcão e o Soldado Invernal” – o relacionamento de Sam Wilson (Mackie) e Bucky Barnes (Sebastian Stan).

Desde o lançamento da produção, que detalha a vida dos personagens após os acontecimentos de “Vingadores: Ultimato“, a dinâmica entre os personagens de Mackie e Stan têm chamado muita atenção na web e ganhado cada vez mais apoiadores. Na trama, além de assistirmos à jornada de Sam para se tornar o novo Capitão América, vemos também a transformação do relacionamento do personagem com Bucky, que vai de um ressentimento fervoroso para uma amizade duradoura e profunda.

Sam Wilson (Anthony Mackie) e Bucky Barnes (Sebastian Stan) em “Falcão e o Soldado Invernal”. (Foto: Reprodução / Disney+ / Marvel Studios)

Na telinha, essa evolução foi demonstrada através de diversas cenas vulneráveis, que contaram com proximidade física e emocional entre Wilson e Barnes, o que alguns fãs interpretaram como um romance — semelhante a como alguns fãs da Marvel desejavam que Bucky e o primeiro Capitão América, o Steve Rogers de Chris Evans, fossem um casal. Quando questionado pelo veículo sobre o “bromance” e o shippers de “SamBucky”, o ator descartou a interpretação dos fãs de que Sam e Bucky são sexualmente ou romanticamente atraídos um pelo outro.

“Tantas coisas são distorcidas e complicadas. Há tantas coisas que as pessoas usam para se tornarem relevantes e racionais”, começou Anthony. “A ideia de dois caras serem amigos e se amarem em 2021 é um problema por causa da exploração da homossexualidade. Costumava ser: ‘Caras podem ser amigos, nós podemos passar um tempo juntos e está tudo legal’. Você sempre podia encontrar seus amigos no bar, sabe”, avaliou. “Você não pode mais fazer isso, porque algo tão puro e belo como a homossexualidade foi explorada por pessoas que estão tentando se racionalizar”, lamentou.

Sam Wilson (Anthony Mackie) e Bucky Barnes (Sebastian Stan) em “Falcão e o Soldado Invernal”. (Foto: Reprodução / Disney+ / Marvel Studios)

Continua depois da Publicidade

Mackie ainda ressaltou que já interpretou um personagem LGBTQIA+ em um episódio de “Black Mirror“, no qual ele e Yahya Abdul-Mateen II estrelaram como melhores amigos que jogam um videogame de realidade virtual que os permite simular ser um homem e mulher em uma relação sexual.

Na sequência, o ator continuou seu desabafo sobre a situação. “Algo que sempre foi muito importante para mim é mostrar uma figura masculina sensível. Não há nada mais masculino do que ser um super-herói e voar e bater nas pessoas. Mas não há nada mais sensível do que ter conversas emocionais e uma amizade espiritual com alguém com quem você se preocupa e ama”, apontou. Ele acrescentou: “Sam e Steve tinham um relacionamento em que se admiravam, se apreciavam e se amavam. Bucky e Sam têm um relacionamento em que aprendem a aceitar, valorizar e amar um ao outro. Você poderia chamar de ‘bromance’ [termo popular nos Estados Unidos para descrever um romance ou amizade entre homens], mas são literalmente apenas dois caras que se protegem”.

Sam Wilson (Anthony Mackie) e Bucky Barnes (Sebastian Stan) em “Falcão e o Soldado Invernal”. (Foto: Reprodução / Disney+ / Marvel Studios)

Continua depois da Publicidade

Os comentários do astro sobre Sam e Bucky não agradaram os shippers da dupla. Muitos expressaram que não achavam a explicação de Mackie necessária e que os fãs deveriam ter a permissão de desenvolver seus próprios “headcanons” – termo usado em fandoms para indicar uma crença ou teoria pessoal sobre a história, que não faz parte do conteúdo original. A polêmica então foi parar entre os assuntos mais comentados no Twitter na madrugada de hoje (18). Confira reações:

“Eu entendo o que ele está dizendo, mas sejamos claros: se alguém está explorando a comunidade LGBT+, são definitivamente as empresas que usam queerbaiting para alegar que não são homofóbicos e amam a diversidade quando na realidade eles não se importam, não somos nós, que pedimos uma representação decente em o século 21”, escreveu um internauta.

Continua depois da Publicidade

“Ele está meio certo e eu entendi o que ele está dizendo, mas ele formulou tão mal com a parte de racionalizar, e ele teria ficado melhor se não dissesse nada sobre o ship”, apontou outro. “Mostrar dois caras que têm uma amizade saudável e amorosa e que não é romântico é ótimo e precisa ser normalizado, mas dizer que os fãs que querem isso estão tentando se tornar relevantes é simplesmente errado. Especialmente quando já há uma falta de relacionamentos gays na mídia”, acrescentou.

“Os fãs gostam de inventar suas histórias e teorias. Os fãs LGBTQ+ estão acostumados a procurar representação no subtexto. Até que as histórias que nos mostram [a comunidade LGBTQ+] não sejam um evento excepcional digno de ser notado, continuaremos a fazer isso”, apontou um terceiro.

Continua depois da Publicidade

“Eu acho que a reclamação aqui é que a amizade é vista pelos fãs como shipping/romance, e que poderia ser um ponto válido se não estivéssemos tão famintos por romances queer na mídia que estamos prontos para shippar qualquer coisa que funcione apenas para ALGUM tipo de representação”, disse outro usuário do Twitter.

Apesar da repercussão negativa da fala, outros fãs do ator também expressaram seu apoio. “A falta de representação [queer] não é culpa de Anthony Mackie, é culpa dos escritores e produtores não o terem feito. Culpar Mackie por sentir que amizades amorosas entre homens também é importante é ridículo”, disparou Rosemary Chapman, em resposta aos tuítes da Variety.