Coronavírus: Laboratório alerta para disseminação de golpes sobre Covid-19 por WhatsApp; 2 milhões de brasileiros já foram atingidos — saiba como se proteger!

Como se não bastasse o momento triste e assustador que o mundo está vivendo com a pandemia do coronavírus, ainda há quem se aproveite disso para aplicar golpes na população. De acordo com o dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, em sete dias, 2 milhões de brasileiros já foram enganados por aplicativos com esquemas ligados à prevenção do COVID-19.

O levantamento explica que foram identificados 19 tipos de golpes e seis aplicativos maliciosos que oferecem “benefícios” para o público, como kits de máscaras e álcool em gel, assinaturas grátis em serviços de streaming e até pagamento extra para beneficiários do Bolsa Família.

A pesquisa detalhou que os criminosos se aproveitam de épocas difíceis e/ou grandes eventos para criar estratégias temáticas, de forma que a pessoa acredite com maior facilidade. Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, grande parte dos links maliciosos têm o objetivo de roubar dados pessoais e financeiros das vítimas ou levá-las à páginas falsas para visualizar publicidades excessivas.

No Brasil, mortos pelo COVID-19 já chegam a 34. (Foto: NIAID Rocky Mountain Laboratories (RML), U.S. NIH / Domínio Público)

“Para tornar o ataque mais verídico, alguns golpes se aproveitam de ações reais que grandes empresas e o governo estão realizando para enfrentar o Coronavírus, como a doação de álcool em gel e pagamento de benefícios à população. E a tendência é que o número de ataques e de vítimas aumente nos próximos dias, principalmente em decorrência do agravamento da situação do país neste momento de crise”, falou.

Outro grande desserviço que tem se multiplicado na sociedade é o compartilhamento de fake news em longa escala sobre a doença. Uma pesquisa feita pelo laboratório recentemente aponta que 42,5 milhões de brasileiros já receberam ou acessaram fake news sobre o novo coronavírus. O WhatsApp é o principal vetor de disseminação de notícias falsas sobre a pandemia, de acordo com 43,2% dos entrevistados.

Como se proteger dos golpes e fake news:

— Desconfie de informações sensacionalistas e busque fontes confiáveis;
— Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais;
— Antes de compartilhar informações sobre a pandemia, procure em veículos confiáveis e fontes oficiais como o Ministério da Saúde, jornais e sites para confirmar se aquilo é realmente verdadeiro;
— Na dúvida, é possível verificar se um link é falso em sites especializados. A checagem de links avisa em poucos segundos se uma página pode oferecer alguma característica maliciosa;
— Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizam, de preferência, a função de detecção automática de phishing em aplicativos de mensagem e redes sociais. Esse tipo de tecnologia envia alertas de segurança sempre que um usuário receber ou acessar um link falso de golpe ou fake news.

[Via blog Dfndr]