Fotojet (5)

Olimpíadas de Inverno: Atleta denuncia más condições em alojamento e mostra refeição “impossível de comer”: “Choro todo dia”

Valeria Vasnetsova contraiu Covid-19 durante a competição e publicou a reclamação sobre as refeições

As Olimpíadas de Inverno de Pequim podem ser glamurosas para quem está assistindo, mas, ao que parece, por trás das câmeras a história é outra. Com mais de 300 casos de Covid-19 confirmados, entre atletas e delegação técnica, muitos estão reclamado das condições do alojamento oferecido para quem está de quarentena. Desta vez, foi a russa Valeria Vasnetsova que mostrou a marmita que recebe todos os dias, classificada por ela como “impossível de comer”.

“Meu estômago dói, estou muito pálida e tenho enormes olheiras. Quero que tudo isso acabe. Eu choro todos os dias. Estou muito cansada. Meus ossos já estão aparecendo”, disse ela em uma publicação nas redes sociais, junto com uma foto do prato de comida que recebia.

A imagem publicada nos Stories da biatleta, mostra uma marmita de isopor com divisórias. Carne, macarrão, molho e batatas eram alguns dos alimentos do dia. Segundo Valeria, ela recebeu a mesma coisa no café da manhã, no almoço e na janta por nada menos do que cinco dias seguidos.

Atleta russa fez uma reclamação pública sobre as condições de alojamento. (Foto: Reprodução)
Atleta russa fez uma reclamação pública sobre as condições de alojamento. (Foto: Reprodução)

Após a reclamação, os representantes do comitê organizador da competição afirmaram que “estão atendendo as solicitações sobre as condições de isolamento dos atletas”. “Este é exatamente o tipo de coisa que temos que resolver. É um dever, uma responsabilidade. Temos que garantir que as expectativas sejam atendidas”, declarou Christophe Dubi, diretor executivo do Comitê Olímpico Internacional.

Para confirmar o que foi dito, um porta-voz da equipe russa se manifestou, mostrando que alimentos como salmão, pepino, salsicha e iogurte foram incluídos no cardápio dos atletas após a repercussão.

Continua depois da Publicidade

Valera não foi a única a reclamar dos alojamentos oferecidos para aqueles que precisam se recuperar da Covid. Segundo o G1, no último sábado (5), Dirk Schimmelpfennig, chefe da seleção alemã, classificou as condições para seus atletas como “inaceitáveis” e pediu quartos maiores e mais limpos, uma conexão de internet que funcionasse bem, uma comida melhor e equipamentos esportivos para que todos pudessem treinar. No dia seguinte, Schimmelpfennig garantiu que suas solicitações foram atendidas.

Já a atleta belga Kim Meylemans, publicou um vídeo chorando após ter sido transportada de um hotel a outro sem saber para onde estava indo. Após o episódio, ela terminou de cumprir a quarentena na Vila Olímpica.