Deborra-lee Furness se pronuncia sobre rumores de que Hugh Jackman seria gay e diz que deve casamento com o astro a vidente: ‘Quando ela falou isso, eu fui’

A atriz Deborra-Lee Furness participou do programa “Anh’s Brush with Fame” nesta terça-feira (29) e se abriu sobre seu casamento de 24 anos com Hugh Jackman. Sincera, a diretora e produtora australiana se pronunciou sobre os rumores de que o marido seria gay e ainda declarou que não gosta dos comentários de que é “sortuda” por ter se casado com ele.

Questionada sobre os persistentes rumores sobre a sexualidade do astro, Deborra lamentou. “Eu vejo as revistas e elas têm um espírito tão malvado… Eu espero que as pessoas não comprem essas revistas e saibam que é tudo inventado”, declarou ela, que ainda tirou sarro da situação. “E daí?! O que estamos discutindo aqui… Ele é vegetariano? Ele é gay?”, comparou.

“[Hugh] tem sido gay por tantos anos. Eu era gay também quando eu fiz ‘Shame’. Eles ficaram chocados quando eu me casei”, ironizou. Apesar da brincadeira, ela desaprova as especulações. “É apenas errado. É como se alguém chegasse para o Elton John e dissesse: ‘Nossa, ele é tão hétero’. Eu tenho certeza que ele ficaria bravo”, ponderou.

Continua depois da Publicidade

Para a atriz de 64 anos também é frustrante ser menosprezada pelo público na comparação com o marido, de 51 anos. “[Dizem] que eu sou sortuda como se tivesse ganhado um sorteio. As pessoas não percebem que, na verdade, é rude dizer isso. Sortuda porque ele é um partidão e tudo mais, mas esse é o showbiz e Hollywood e a marca de Hugh Jackman”, explicou ela.

Furness ainda revelou que, na verdade, deve seu casamento a uma vidente que consultou no começo dos anos 1990. “Ela me disse: ‘Você precisa voltar para a Austrália. Tudo vai se encaixar em seu devido lugar na Austrália. Você vai conhecer alguém e precisa ir’. E era em um período que eu já queria sair de Los Angeles. Então quando ela falou isso, eu fui”, relembrou.

Foi em seu país natal que a artista conseguiu um papel na série “Correlli”, em 1995. “Eu voltei pra Austrália, comecei vários trabalhos e então consegui essa série de TV chamada ‘Correlli’ e eles disseram: ‘Tem esse cara, ‘Jack Hughman’, que é sua co-estrela’. Eu nunca tinha ouvido falar nele, mas eu conheci meu marido”, contou, toda apaixonada.

Continua depois da Publicidade

“Foi atração instantânea e também uma das melhores parcerias que eu já tive. A atuação apenas fluía, nós tivemos uma conexão instantânea. Era muito confortável. Todas as minhas amigas falavam: ‘Ele não parece seu tipo'”, recordou. Aparentemente, ele era o tipo dela sim…

Não demorou nem um mês para os dois se apaixonarem. “Ele disse que sabia depois das duas primeiras semanas. Eu lembro que ele estava na cozinha e eu perguntei se ele ia para o meu trailer, porque nós sempre ficávamos juntos, e ele virou e disse: ‘Eu tenho um crush em você’. E eu tinha um crush nele também. E então nós nunca mais nos separamos. Nós apenas tivemos essa conexão incrível. Eu me sinto abençoada por ter conhecido minha ‘alma gêmea'”, derreteu-se.

View this post on Instagram

❤️2002

A post shared by Hugh Jackman (@thehughjackman) on

Continua depois da Publicidade

Por fim, a diretora confessou que o único erro que cometeu na relação deles foi quando aconselhou o marido a não aceitar o papel de “Wolwerine”. “Sabe o quanto de m*rda eu tive que ouvir por causa disso? Meu Deus! Mas é porque nós lemos o roteiro e dizia ‘e as garras dele surgem’. E eu fiquei, tipo, ‘O que é isso?'”, justificou.

Na época, Hugh também estava envolvido com projetos muito diferentes. “Ele estava no National Theatre (em Londres), fazendo Oklahoma!, sabe. E ele também não sabia muito o que seria. Então, sim, essa foi a única vez na nossa relação em que eu errei”, admitiu. Confira alguns trechos da entrevista abaixo: