Fotojet (7)

Fãs identificam indireta de Emma Watson para J.K. Rowling em premiação após falas transfóbicas da escritora; assista

Ao longo dos últimos anos, escritora tem feito declarações transfóbicas nas redes sociais

As declarações transfóbicas feitas por J.K. Rowling nos últimos anos seguem repercutindo no mundo do entretenimento. Neste domingo (13), Emma Watson compareceu ao “BAFTA”, principal prêmio do cinema britânico, para apresentar os indicados na categoria de “Melhor Filme Britânico”… E foi nesse momento que ela teria lançado uma indireta à escritora.

Antes de subir ao palco, a atriz foi introduzida por Rebel Wilson, anfitriã da noite. “Agora, para apresentar o próximo prêmio, temos Emma Watson. Ela se diz feminista, mas todos sabemos que ela é uma bruxa”, brincou a humorista, se referindo a Hermione Granger, personagem vivida por Emma nos filmes da saga “Harry Potter“.

Continua depois da Publicidade

Já no púlpito, Watson não titubeou ao responder o comentário de Rebel. “Estou aqui por todas as bruxas”, disse ela, dando ênfase à palavra “todas”. Para os fãs, ficou claro que essa teria sido uma alfinetada à J.K. Confira:

As polêmicas de J.K. Rowling

Em 2020, J.K. Rowling foi bastante criticada por fazer comentários transfóbicos. Tudo começou quando a autora se manifestou sobre um artigo de um site, intitulado “Criando um mundo pós-Covid-19 mais igualitário para pessoas que menstruam”. “Pessoas que menstruam. Tenho certeza de que costumava haver uma palavra para essas pessoas”, tuitou ela, completando com vários termos que se assemelham à pronuncia de “mulheres”.

Muitos internautas se incomodaram com a publicação feita pela escritora, confundindo sexo com gênero, e pontuaram que homens transsexuais e pessoas não-binárias também podem menstruar. Após a repercussão, J.K. reagiu: “Se o sexo não é real, então não existe atração pelo mesmo sexo. Se o sexo não é real, a realidade vivida por mulheres ao redor do mundo é apagada. Eu conheço e amo pessoas trans, mas excluir o conceito de sexo remove a habilidade de muitos discutirem suas vidas de maneira significativa. Não é ódio falar a verdade”.

Outro momento polêmico foi quando a britânica lançou o livro “Troubled Blood”, sob o pseudônimo de Robert Galbraith – nome de um antigo psiquiatra que dedicou sua vida a experimentos de conversão sexual, popularmente conhecidos como “cura gay”. A quinta obra do best-seller que envolve o personagem Cormoran Strike acompanha mais um dos casos do detetive, que dessa vez investiga um homem cis que, por vezes, se veste de mulher para cometer feminicídios.

Mais tarde, ela chegou a divulgar uma loja online que mantém posicionamento abertamente transfóbico. Uma coleção de adesivos, canecas e broches do local, por exemplo, inclui itens com as frases: “Transativismo é misoginia”; “Ideologia trans invisibiliza mulheres”; “Notoriamente transfóbica”; “Mulheres trans são homens”.

Na época, a lista de celebridades que se posicionaram publicamente em repúdio à opinião da autora reuniu os nomes de Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint, Eddie Redmayne, Bonnie Wright e Evanna Lynch, todos protagonistas de filmes baseados nos livros de Rowling.

Continua depois da Publicidade

Confira a lista completa de vencedores do BAFTA 2022:

Melhor Filme

Belfast
Não Olhe Para Cima
Duna
Licorice Pizza
Ataque dos Cães (VENCEU)

Melhor Filme Britânico

After Love
Ali & Ava
Belfast (VENCEU)
Boiling Point
Cyrano
Todos Estão Falando Sobre Jamie
Casa Gucci
Noite Passada em Soho
007: Sem Tempo para Morrer
Identidade

Melhor Roteiro Original

Apresentando Os Ricardos
Belfast
Não Olhe Para Cima
King Richard: Criando Campeãs
Licorice Pizza (VENCEU)

Melhor Roteiro Adaptado

No Ritmo do Coração (VENCEU)
Drive My Car
Duna
A Filha Perdida
Ataque dos Cães

Melhor Atriz Coadjuvante

Citriona Balfe, por “Belfast”
Jessie Buckley, por “A Filha Perdida”
Ariana DeBose, por “Amor, Sublime Amor” (VENCEU)
Ann Dowd, por “Mass’
Aunjanue Ellis, por “King Richard: Criando Campeãs”
Ruth Negga, por “Identidade”

Melhor Atriz

Lady Gaga, por “Casa Gucci”
Alana Haim, por “Licorice Pizza”
Emilia Jones, por “No Ritmo do Coração”
Renate Reinsve, por “The Worst Person in the World”
Joanna Scanlan, por “After Love” (VENCEU)
Tessa Thompson, por “Identidade”

Melhor estreia de um Roteirista, Diretor ou Produtor Britânico

Aleem Khan, por “After Love”
James Cummings & Hester Ruoff, por “Boiling Point”
Jeymes Samuel, por “Vingança & Castigo” (VENCEU)
Posy Dixon & Liv Procter, por “Keyboard Fantasies”
Rebecca Hall, por “Identidade”

Continua depois da Publicidade

Melhor Ator Coadjuvante

Mike Faist, por “Amor, Sublime Amor”
Ciarán Hinds, por “Belfast”
Troy Kotsur, por “No Ritmo do Coração” (VENCEU)
Woody Norman, por “Sempre em Frente”
Jesse Plemons, por “Ataque dos Cães”
Kodi Smit-McPhee, por “Ataque dos Cães”

Melhor Ator

Adeel Akhtar, por “Ali & Ava”
Mahershala Ali, por “Swan Song’
Benedict Cumberbatch, por “Ataque dos Cães”
Leonardo DiCaprio, por “Não Olhe Para Cima”
Stephen Gragam, por “Boiling Point”
Will Smith, por “King Richard: Criando Campeãs” (VENCEU)

Melhor Direção

Aleem Khan, por “After Love”
Ryûsuke Hamaguchi, por “Drive My Car”
Audrey Diwan, por “Happening”
Paul Thomas Anderson, por “Licorice Pizza”
Jane Campion, por “Ataque dos Cães” (VENCEU)
Julia Ducournau, por “Titane”

Melhor Filme em Língua Estrangeira

Drive My Car (VENCEU)
A Mão de Deus
Mães Paralelas
Petite Maman
The Worst Person in the World

Melhor Documentário

Becoming Cousteau
Cow
Flee
The Rescue
Summer of Soul (Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada) (VENCEU)

Continua depois da Publicidade

Melhor Animação

Encanto (VENCEU)
Flee
Luca
A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

Melhor Trilha Sonora

Apresentando os Ricardos (Daniel Pemberton)
Não Olhe Para Cima (Nicholas Britell)
Duna (Hans Zimmer) (VENCEU)
A Crônica Francesa (Alexandre Desplat)
Ataque dos Cães (Jonny Greenwood)

Melhor Elenco

Boiling Point
Duna (VENCEU)
A Mão de Deus
King Richard: Criando Campeãs
Amor, Sublime Amor

Melhor Fotografia

Greig Fraser, por “Duna” (VENCEU)
Dan Laustsen, por “O Beco do Pesadelo”
Linus Sandgren, por “007 – Sem Tempo Para Morrer”
Ari Wegner, por “Ataque dos Cães”
Bruno Delbonnel, por “A Tragédia de Macbeth”

Melhor Edição

Belfast (Úna Ní Dhonghaíle)
Duna (Joe Walker)
Licorice Pizza (Andy Jurgensen)
007: Sem Tempo Para Morrer (Tom Cross & Elliot Graham) (VENCEU)
Summer of Soul (Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada) (Joshua L. Pearson)

Continua depois da Publicidade

Melhor Design de Produção

Cyrano (Sarah Greenwood & Katie Spencer)
Duna (Patrice Vermette & Zsuzsanna Sipos) (VENCEU)
A Crônica Francesa (Adam Stockhausen & Rena DeAngelo)
O Beco do Pesadelo (Tamara Deverell & Shane Vieau)
Amor, Sublime Amor (Adam Stockhausen & Rena DeAngelo)

Melhor Figurino

Jenny Beavan, por “Cruella” (VENCEU)
Massimo Cantini Parrini, por “Cyrano”
Robert Morgan & Jacqueline West, por “Duna”
Milena Canonero, por “A Crônica Francesa”
Luis Sequeira, por “O Beco do Pesadelo”

Melhor Maquiagem e Penteado

Cruella
Cyrano
Duna
Os Olhos de Tammy Faye (VENCEU)
Casa Gucci

Melhor Edição de Som

Duna (VENCEU)
Noite Passada em Soho
007: Sem Tempo Para Morrer
Um Lugar Silencioso: Parte II
Amor, Sublime Amor

Melhor Efeitos Visuais

Duna (VENCEU)
Free Guy: Assumindo o Controle
Ghostbusters: Mais Além
Matrix Resurrections
007: Sem Tempo Para Morrer