Fotojet (7)

Maitê Proença se manifesta após acusações de lesbofobia: ‘O que eu disse é elogioso com a minha parceira’; assista

A atriz se defendeu das acusações de que teria sido lesbofóbica por declarações dadas à revista JP

Pelo Instagram, Maite Proença comentou sobre sua polêmica entrevista à revista JP. Durante a conversa, publicada há dois dias, a atriz deu declarações que não repercutiram bem entre o público. Em uma delas, a artista confessou que preferia que sua atual companheira, Adriana Calcanhotto, fosse um homem. Agora, Maitê rebate as críticas que recebeu.

Eu dei uma entrevista em que eu fui perguntada sobre o meu relacionamento atual, e eu respondi que, apesar de preferir homens, estou com uma mulher. Por que eu gosto dela, eu gosto daquela pessoa“, opinou a atriz. “Se ela fosse um homem seria mais fácil para mim, mais conhecido… Mas por gostar dela eu topo fazer essa experiência“, confessou.

Em seguida, Proença ainda comentou o peso de estar em uma relação com outra mulher. “Fui acusada de lesbofóbica. Agora, estar num relacionamento com uma mulher me parece que fala mais alto do que os comentários dos que caçam polêmica onde não há“. Ela ainda deu sua opinião sobre a própria fala: “O que eu disse está claro, e, se lido sem má vontade, é elogioso com a minha parceira“. A atriz finalizou desejando “paz e amor” aos seus seguidores.

Assista:

Entenda o caso

No final de semana, a revista de Joyce Pascowitch publicou sua entrevista com Maitê Proença. No papo, a atriz falou de temas, como as críticas à Regina Duarte e seu relacionamento com Adriana Calcanhotto. “Eu queria que ela (Adriana) fosse homem. Para essa atividade sempre gostei mais de homem. Mas ela é mulher, gosto dela e aceito isso”, afirmou. “Sei que as feministas e os LGBTs não vão gostar do que acabei de dizer, mas, honestamente, é assim, entendeu? Posso experimentar algo diferente para estar com ela“, se defendeu.

Continua depois da Publicidade

Após a publicação, trechos da matéria receberam reações negativas dos internautas. “Lésbicas vamos nos unir e fazer uma oração pela vida da Adriana Calcanhotto“, escreveu um perfil no Twitter. Muitos, ainda, apontaram problemáticas na hora de falar sobre “um homem” em uma relação entre duas mulheres. “Esse bagulho de Maite Proença dizer que queria que a Adriana Calcanhoto fosse um homem só mostra o quão desafiador é ser uma mulher que ama outras mulheres. Não tem um homem envolvido e a pessoa entra em pane!“, opinou outra pessoa.