Que tristeza! Rodrigo Rodrigues, apresentador da Globo e do SporTV, morre aos 45 anos, após enfrentar complicações da Covid-19

Triste demais! Faleceu nessa terça-feira (28), aos 45 anos, o jornalista, músico e escritor Rodrigo Rodrigues. Diagnosticado com Covid-19, o apresentador da Globo e do SportTV passou por uma cirurgia nesse domingo (26) e estava em coma induzido, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Unimed-Rio, na zona oeste do Rio de Janeiro.

O jornalista passou mal no sábado (25) e foi para o hospital, onde a equipe médica detectou uma trombose venosa cerebral, doença cerebrovascular causada pela oclusão dos seios venosos ou das veias cerebrais por coagulação do sangue. Infelizmente, ele não resistiu às complicações. Em nota oficial, o Unimed-Rio confirmou a morte de Rodrigo.

Rodrigo faleceu nessa tarde, após sofrer complicações da Covid-19. (Foto: Reprodução/Instagram)

Confira a nota emitida pelo hospital

O Hospital Unimed-Rio informa, com pesar, que, após a realização de protocolo de avaliação na manhã desta terça-feira, foi atestada morte encefálica no paciente Rodrigo de Oliveira Rodrigues.

O paciente encontrava-se em estado grave e coma induzido, em unidade de terapia intensiva, desde o último domingo, 26/07, após ter sido submetido a procedimento para diminuição da pressão intracraniana em decorrência de uma trombose venosa cerebral. Rodrigo havia dado entrada na emergência da nossa unidade no sábado, 25/07, com quadro grave e diagnóstico prévio de Covid-19.

Toda a equipe do Hospital Unimed-Rio se solidariza com familiares, amigos e admiradores do trabalho de Rodrigo Rodrigues.

Paulo Henrique Ribeiro Bloise
Diretor Médico”

O quadro de saúde de Rodrigo

Assim que Rodrigues foi internado no último final de semana, a Rede Globo divulgou uma nota, dando mais detalhes sobre o caso do profissional. “O apresentador Rodrigo Rodrigues está internado no hospital Unimed Barra, no Rio de Janeiro, com todo o apoio e acompanhamento da Globo”, anunciou a emissora. Ainda no comunicado, o canal explicou que ele estava afastado do trabalho há pelo menos duas semanas, desde que recebeu a confirmação do contágio pelo coronavírus.

“Rodrigo teve diagnóstico confirmado de COVID-19 há cerca de 15 dias e estava em casa – afastado do trabalho – desde então. As informações médicas sobre o caso serão fornecidas pelo hospital”, adiantou a Globo, no domingo (26), sobre o jornalista de 45 anos. A última aparição dele no “Troca de Passes”, atração esportiva que comanda no SporTV, foi no dia 9 de julho.

Algumas horas mais tarde, o hospital emitiu um boletim, descrevendo os sintomas de Rodrigo e as conclusões da equipe médica. “O Hospital Unimed-Rio informa que o paciente Rodrigo de Oliveira Rodrigues deu entrada em nossa emergência na noite do último sábado, 25/07/2020, apresentando como sintomas cefaleia, vômitos e desorientação, além de possuir diagnóstico prévio de covid-19”, apontou.

A instituição, então, informou a realização da cirurgia, para diminuir a pressão intracraniana causada pela TVC. “Após a confirmação de trombose venosa cerebral, foi realizado, neste domingo, 26/07/2020, um procedimento para diminuição da pressão intracraniana. Neste momento, encontra-se sedado e internado na unidade de terapia intensiva”, concluiu o boletim assinado pelo doutor Paulo Henrique Ribeiro Bloise, no final de semana.

Amigos lamentam partida de Rodrigo

Diversos artistas e profissionais da área lamentaram a morte de Rodrigo, e prestaram suas homenagens nas redes sociais. O comentarista Walter Casagrande não segurou as lágrimas, ao se despedir do amigo. “O Rodrigo Rodrigues era um dos melhores amigos que eu tinha. Super talentoso, divertido. Ótimo coração, ótimo músico. Tá sendo muito difícil. Estou muito triste, chateado com isso”, desabafou. “Quero mandar um beijo pra toda a família, que sabe o quanto ele era um bom garoto e um cara que só queria o bem das pessoas. Rodrigo, você foi um dos melhores amigos que tive. Quero te mandar um beijo“, encerrou Casão, muito emocionado.

Dan Stullbach lembrou dos planos que havia feito com o colega, mas que não pôde colocar em prática. “Da última vez em que falamos, foi do próximo livro. Itália era o tema. ‘Depois da Covid’, ele disse. Nós rimos. Depois da Covid. Encontrei você na ESPN, na Globo, na Cultura, na CBN. Você me convidou para a estreia na SporTV, eu estava gravando e não fui, mas era mensagem pra cá e pra lá, rindo de você, rindo com você. No teu restaurante, à noite, no Genial, na Vila, Beatles, Stones, projetos, ideias. Te encontrei em todo lugar, tivemos ideias, criamos programas, cantamos a vida e os gols perdidos. E agora, Rodrigo, como assim? Eu não quero escrever isso, não pode ser. Não pode”, lamentou.

“Tenho uma live daqui a pouco, e terei que procurar forças pra não demonstrar a tristeza que estou sentindo pela perda desse camarada. Rodrigo era alto astral demais, querido ao extremo, nem sei… Que Deus conforte a família e o receba com a sua paz e misericórdia!”, escreveu o cantor Ivo Meirelles.

O jornalista Guga Chacra se solidarizou com os entes da vítima. “Meus sentimentos para a família do Rodrigo Rodrigues, jornalista esportivo da SPORTV. Aos 45 anos, faleceu em decorrência de complicações relacionadas à Covid19”, escreveu.

A apresentadora Andréia Sadi se emocionou com as homenagens prestadas a Rodrigo pelo SporTV. Linda e emocionante a homenagem do Seleção, no SporTV, ao talentoso Rodrigo Rodrigues. Um aperto no coração rever as passagens dele. Força aos amigos e colegas jornalistas no ar, que coisa difícil, triste, meu Deus”, chateou-se.

Yara Fantoni, repórter da Band TV, também se manifestou. Que cara sensacional! Gentil e inteligente! Muito humano e carismático! Batalhador! Acolhia as pessoas! Admirável! Vai fazer festa e cantar no céu! Sentiremos saudades”, escreveu.

“Que tristeza enorme e que choque a partida precoce do querido Rodrigo Rodrigues. Desejo força, amor e paz a toda sua família e também a nós, seus amigos e conhecidos, que o admirávamos muito. Grato por todos os poucos momentos que passamos juntos com muita alegria!”, ressaltou o ator e comediante, Marcelo Adnet.

“É com o coração partido que me despeço do meu brother Rodrigo Rodrigues, um amigo querido e um artista completo. Você vai deixar muita saudade”, escreveu o apresentador Ronnie Von.

A Rede Globo derrubou todo o bloco esportivo do “SP1” desta terça (28), em respeito ao jornalista. Felipe Andreoli, que comanda essa parte da atração, prestou suas condolências a Rodrigues durante o programa ao vivo. “Você me dá licença, [César] Tralli, eu vou pegar um negócio que ficava aqui na nossa Redação, que é o violão do Rodrigo. Quando ele vinha aqui, ele tocava esse violão para animar a gente com sua conversa”, recordou.

“O Rodrigo sempre foi um carioca de alma paulista, ele amava São Paulo, era apaixonado por São Paulo, e esse violão vai ficar pra sempre na nossa Redação. E eu tenho certeza que esse violão vai sentir tanto a falta dele quanto a gente aqui. Eu digo que ele tá deixando poucos colegas, porque ele tá deixando, na verdade, muitos amigos. É um cara que em pouco tempo conquistou gente demais”, emocionou-se.

Em seu Twitter, Felipe publicou uma imagem segurando o violão do amigo,  e escreveu: “Amigo Rodrigo Rodrigues, estamos desolados por aqui. Você vai fazer muita falta. Carioca/paulista. Te conheci lá na TV Cultura, trabalhamos com o [Marcelo] Tas. Anos depois, nos encontramos aqui e ganhei um amigo. Seu violão vai ficar aqui, pra gente lembrar de você. Faz uma sonzera no céu”.

Veja o comunicado da Globo sobre Rodrigo Rodrigues

A Rede Globo também emitiu um longo comunicado lamentando a morte de Rodrigues e lembrando momentos especiais da carreira do jornalista. Confira:

“Nesta terça-feira, dia 28, o apresentador do SporTV, Rodrigo Rodrigues, morreu no Rio de Janeiro, aos 45 anos, por complicações da COVID-19. A Globo se despede com carinho de Rodrigo, lamenta a sua partida tão prematura e se solidariza com a família e com os amigos.

Rodrigo deixa lembranças de seu bom humor e de uma carreira onde jornalismo e música sempre caminharam juntos, como contam seus companheiros do Esporte da Globo:

‘Em janeiro de 2019, o Esporte da Globo ficou mais divertido com a chegada de um apresentador bem-humorado, cheio de referências musicais e um olhar que fugia do senso comum.

Rodrigo Rodrigues apresentou diferentes programas do SporTV até se tornar titular do ‘Troca de Passes’. Apresentou também o ‘Globo Esporte’ de São Paulo em diversos sábados. Rodrigo começou a carreira em 1995, na Rede Vida. Trabalhava com o que mais gostava: música. Em 2001, cobriu o Rock in Rio. O jeito espontâneo arrancava as melhores respostas. Passou por TV Cultura, SBT e Bandeirantes e lançou o primeiro livro em 2008: ‘As Aventuras da Blitz’, que conta a história da banda de rock liderada por Evandro Mesquita.

Em 2011, o jornalista cultural decidiu se aventurar no esporte. Foi contratado pela ESPN e cativou os atletas da mesma forma que fazia com os músicos. Rodrigo sabia dar espaço para cada convidado brilhar. Cada um no seu momento. Como numa banda de rock, todo instrumentista tem direito ao solo. Nada mais natural para esse jornalista-roqueiro, líder da banda ‘The Soundtrackers’, que toca músicas de filmes e lançou três discos.

Durante uma apresentação da banda no ‘Domingão do Faustão’, Rodrigo respondeu assim à pergunta de Fausto sobre o começo de sua carreira: ‘Eu comecei desenhando, aí passei pro violão. E, aí, quando eu achava que ia ser professor de arte e tocar na noite, eu fiz um teste acidental e virei apresentador. Não parei mais, faz 25 anos… Mas eu nunca deixei de tocar, eu faço questão de manter a banda porque uma paixão alimenta a outra’.

Rodrigo Rodrigues tinha 45 anos. No dia 13 de julho, decidiu fazer teste para COVID-19 mesmo sem sintomas – dia 9 tinha sido seu último dia presencial no trabalho. Relatou que um amigo, com quem teve contato, tinha acabado de testar positivo. O resultado do teste de Rodrigo também deu positivo e ele foi imediatamente afastado. Nos dias posteriores, Rodrigo apresentou sintomas como falta de paladar e olfato, mas dizia se sentir bem.

No entanto, a situação mudou no último sábado. Segundo o boletim médico do hospital onde foi internado, Rodrigo deu entrada na emergência com quadro de dor de cabeça, vômito e desorientação. No dia seguinte, foi submetido a um procedimento para diminuição da pressão intracraniana em decorrência de uma trombose venosa cerebral. Ele não resistiu e teve a morte confirmada hoje’.

Desde o início da pandemia, a Globo tem nas medidas de prevenção da doença e no apoio incondicional aos profissionais contaminados com a COVID-19 as suas maiores prioridades”.

Relembre a carreira de Rodrigo Rodrigues

Nascido no Rio de Janeiro, Rodrigo Rodrigues iniciou sua carreira em 1995, na Rede Vida, como apresentador do programa “Convocação Geral”. Em 2001, o profissional foi convidado pela TV Cultura para ser repórter do “Vitrine”, apresentado na época, por Marcelo Tas.

Após uma breve passagem pelo SBT, Rodrigues se tornou repórter do “De Olho nas Estrelas”, na Band, em 2005. Entretanto, o profissional retornou à TV Cultura para dividir a apresentação de seis temporadas do “Vitrine”, com Sabrina Parlatore. No mesmo canal, Rodrigo comandou o telejornal “Cultura Meio Dia”, ao lado de Maju Coutinho.

A relação de Rodrigo com o jornalismo de esportes começou em 2011, quando foi contratado pela ESPN Brasil para comandar a edição noturna do “Bate-Bola”. Ele saiu da emissora da Disney em 2014, mas voltou no ano seguinte para ser o primeiro apresentador do “Resenha ESPN” até 2016.

Em janeiro de 2019, o carioca se tornou funcionário do Grupo Globo, quando aceitou uma proposta da emissora para deixar a Turner. Ele estava na empresa desde 2017, no “Esporte Interativo”, e seguiu no time quando os projetos do canal esportivo foram migrados para a TNT e Space.

Além de jornalista, Rodrigues era músico. Aos 17 anos de idade, formou sua primeira banda, Sob Suspeita. De 1994 a 1997, tocou com o grupo G.O.D e, mais tarde, fez parte da Honky Tonky Band. Em 2008, surgiu a ideia de criar um grupo o projeto The Soundtrackers, banda que tocava trilhas sonoras do cinema em bares, restaurantes e eventos, e que integrou até o fim de sua vida.

Ficam aqui nossos mais sinceros sentimentos aos familiares, amigos e fãs de Rodrigo – profissional dos mais versáteis e carismáticos – e ser humano de primeira grandeza.