Milagre na Cela 7: Entenda o final do filme e confira teorias sobre personagens

Alguns títulos do catálogo da Netflix, como “O Poço” e “A Casa”, têm movimentado as redes sociais nas últimas semanas com muitas teorias e dúvidas a respeito do seus desfechos… Agora é a vez do drama “Milagre na Cela 7” entrar na “roda” com alguns questionamentos bem pertinentes.

[Alerta Spoiler! Caso não tenha assistido ao filme “Milagre na Cela 7”, sugerimos que encerre a leitura aqui!]

O longa, dirigido pelo turco Mehmet Ada Öztekin, conta a história de Memo, interpretado por Aras Bulut Lynemli, que apresenta uma certa dificuldade cognitiva e vive em um vilarejo na Turquia com sua filha, Ova (Nisa Sofiya Aksongur), e sua avó. O patriarca vê sua vida virar de cabeça para baixo quando a filha de um militar local é morta e ele acaba sendo condenando à morte pelo crime injustamente.

Na cadeia, Memo conhece outros prisioneiros, incluindo Yusuf (Mesut Akusta). O homem vive em culpa por ter assassinado a própria filha, segredo que só é revelado para a pequena Ova durante uma visita clandestina da criança ao presídio. Com o destino fatal do pai da garotinha se aproximando, o presidiário entra em crise e conversa com Hafiz, uma espécie de mentor espiritual da cela. “Se você machucou sua filha, precisa salvar outras crianças”, aconselha como forma de redenção.

Com a ajuda de outras pessoas, Yusuf consegue trocar de lugar com Memo e morre enforcado em seu lugar. O protagonista consegue fugir da cadeia e se reencontra com a filha. Ova recebe uma cigarreira, presente deixado por Yusuf para ela. “O homem que lhe enviou isso também te enviou seu pai”, diz o diretor da prisão, Nail (Sarp Akkaya). A garotinha e o pai seguem em frente e iniciam uma nova vida. No desfecho, a protagonista reaparece já adulta, prestes a se casar e carregando consigo a lembrança deixada pelo “amigo” falecido.

O encontro de Yusuf e Ova na prisão. Foto: Reprodução/Netflix

Na internet, as pessoas passaram a se perguntar se Yusuf poderia ser avô de Ova. O motivo para isso?! Como a história explica muito pouco sobre o casamento arranjado de Memo com a mãe da criança, muitos suspeitaram que o presidiário é o responsável pela morte da mulher. Isso seria um motivo a mais para ele decidir se sacrificar no lugar de Memo.

Junto a isso, as pessoas concluíram que Ova não seria filha biológica de Memo. O casamento arranjado aconteceu justamente para preservar a honra da mãe da criança. “Memo não sabe”, respondia o patriarca para os outros prisioneiros quando eles questionavam sobre o que aconteceu após o enlace. A fala é uma reprodução do que Fatma (Celile Toyon Uysal), vó da sua filha, sempre mandava ele dizer.

“E por que ela dizia isso?”, questiona um dos colegas de cela. “Para que eles não fiquem bravos”, diz Memo. A ausência de respostas seria justamente isso, uma gravidez inesperada e o assassinato, incentivado pela vergonha que Yusuf sentia da própria filha. Apesar das teorias não serem completamente aleatórias, o filme em si não deixa nenhum indício que possa confirmar essa versão. E aí?! Concordam com isso ou nem?