BBB22: Arthur Aguiar abre jogo sobre traições a Maíra Cardi e relembra ‘virada de chave’: “Não tinha responsabilidade afetiva”; assista

Em conversa com Pedro Scooby e Paulo André, ator comentou que se tornou “um novo homem” após a chegada da filha

Depois de sobreviver a mais um paredão no “BBB 22“, Arthur Aguiar passou a madrugada (9) batendo papo com os amigos Pedro Scooby e Paulo André. Durante a conversa, o ator confessou que seu maior medo ao entrar no reality era ser julgado por acontecimentos passados que não o definem mais, hoje em dia. “Sabe uma parada que eu acho muito louca na internet? É você julgar uma vida inteira por um acontecimento”, comentou o surfista.

“Quando eu topei entrar, o meu medo era ser julgado por um acontecimento que não me define, mas foi um acontecimento relevante. Eu sabia que se eu tivesse tempo, poderia mostrar para as pessoas que eu errei pra car*lho, mas não sou aquilo”, afirmou o ex-Rebelde, que já foi alvo de um escândalo de traições. “Você é tipo aquele vilão do filme que depois você descobre a história do cara e se amolece inteiro”, brincou Scooby.

Continua depois da Publicidade

Foi então que Arthur se abriu sobre erros que cometeu em relacionamentos passados: “Apesar de eu ter errado também com outras namoradas antes, acho que quando a gente é namorado e você vacila, é vida que segue… Eu acho que nunca tive a noção, a responsabilidade afetiva de entender o dano que eu estava causando naquela pessoa. Porque se a pessoa termina, segue a vida e eu vou para o outro lado, não vejo o que aconteceu. Não existia uma responsabilidade afetiva dentro de mim e eu não me apropriava daquilo que estava causando naquela pessoa”.

Segundo o ator, foi após a série de traições à esposa, Maíra Cardi, que ele se deu conta do impacto que suas escolhas geravam. “O que me fez virar a chave, foi o fato de eu ter causado essa dor na minha esposa, na mãe da minha filha, que é uma pessoa que eu precisava continuar vendo e falando. Aí eu vi o que eu tinha feito, o que várias atitudes minhas tinham causado nela. Quando olhei para aquilo, foi quando consegui enxergar que eu tinha sido responsável. Foi quando eu consegui me apropriar dos meus erros, entender a gravidade do que eu tinha feito e começar a criar uma responsabilidade afetiva, do tipo: ‘se eu faço isso, causo um dano na pessoa que talvez seja irreversível'”, explicou.

Na sequência, Aguiar declarou que a filha Sophia, de três anos, influenciou em sua mudança de comportamento. “Se eu mexo com o psicológico dela (Maíra), como ela vai criar a nossa filha? Se a gente também já não está mais junto, olha o dano que eu causo na minha filha… Porque ela não pediu para nascer. Ela (Maíra) também não queria ser mãe, mas foi por minha causa. E agora a gente já não está mais junto, minha filha não vai ter oportunidade de ver a gente junto. Quando você começa a ter a responsabilidade dos danos que está causando não só em você, aí o buraco fica muito mais em baixo”, avaliou.

Por fim, o brother explicou que o bem-estar da família o fez repensar suas atitudes. “Foi aí que minha chave começou a virar. Eu quis mudar pela minha filha, depois eu quis mudar por assistir à dor da minha esposa e entender que aquilo tinha responsabilidade minha, e por último, quis mudar por mim”, encerrou. Assista: