Pacto Brutal

Exclusivo – Pacto Brutal: Série documental sobre o chocante assassinato de Daniella Perez ganha primeiro trailer com depoimento forte de Gloria Perez; assista

Projeto está previsto para estrear no dia 21 de julho e promete reconstruir o crime com detalhes

Em 1992, o assassinato da atriz Daniella Perez chocou o Brasil. Agora, 30 anos depois, o caso é esmiuçado em “Pacto Brutal: O Assassinato de Daniella Perez”, série documental da HBO Max, que tem seu primeiro trailer divulgado nesta terça-feira (5), com exclusividade, no hugogloss.com. A produção estreia no catálogo da plataforma em 21 de julho.

Com direção de Tatiana Issa e Guto Barra, que também assina o roteiro, a série contará com cinco episódios. “Por meio de um minucioso trabalho de pesquisa, trazemos à luz a barbaridade do crime, com informações que não foram reveladas à época do assassinato”, promete Guto. “O caso Daniella Perez inspira muitos sentimentos e sua retratação documental revela não apenas a Daniella quanto artista, filha e esposa, mas também a deficiência do sistema jurídico brasileiro”, acrescenta Tatiana.

Filha da autora Gloria Perez, Daniella foi assassinada aos 22 anos, a facadas, por Guilherme de Pádua e sua esposa, Paula Thomaz. Quase 30 anos depois, Gloria revisitou a história, compartilhando seus pensamentos e sentimentos sobre o crime, classificado como homicídio duplamente qualificado. Na época, ela participou ativamente das investigações, rastreando testemunhas, identificando possíveis evidências e ajudando a expor erros das autoridades brasileiras.

“Eu sempre quis contar essa história da forma como ela aconteceu. Em 1992, eu estava fazendo minha primeira novela solo, às 21h, tinha voltado para a Globo. A Dani estava bem na carreira. A vida parecida uma estrada linda, aberta. A gente só via coisas boas no horizonte. Mas, de repente, tudo isso explodiu. Foi sugado. A verdade é uma só, as versões são muitas”, afirma a autora no trailer.

Daniella Perez e a mãe, Gloria Perez. (Foto: Arquivo Pessoal)
Daniella Perez e a mãe, Gloria Perez. (Foto: Arquivo Pessoal)

Além de Gloria Perez, a produção conta com nomes como Glória Maria, Claudia Raia, Fábio Assunção, Maurício Mattar, Cristiana Oliveira e Eri Johnson. O viúvo da atriz Raul Gazolla, também deixou seu depoimento. “Em mais de 40 anos de jornalismo, foi das coisas mais chocantes e monstruosas que eu vi na minha vida”, lembra Glória Maria. 

“Mataram minha mulher. São 30 anos do assassinato da Dani e eu ainda não consigo entender”, diz Raul Gazolla, enquanto chora. “A Justiça não dá pra entender muito, às vezes, né?!”, pondera Maurício Mattar.

Continua depois da Publicidade

O documentário ainda traz as falas inéditas de profissionais que foram essenciais na reconstituição e solução do caso, como o promotor Piñero Filho, a testemunha principal Antonio Curado, as jornalistas Luciléia Cordovil e Elsa Boechat, além de especialistas em personalidades psicopatas.

Assista ao trailer:

Continua depois da Publicidade

Daniella Perez foi morta com 18 perfurações no corpo, em 1992, quando saia de uma gravação da novela “De Corpo e Alma”, da Globo, da qual era protagonista. O autor do crime foi Guilherme de Pádua, que interpretava Bira na mesma trama. Na época, ele alegou que matou a colega por “acreditar que seu papel estava sendo reduzido, enquanto a jovem ganhava destaque“.

Guilherme aguardou o julgamento na prisão, e foi condenado em 1997. Em 1999, no entanto, recebeu a liberdade condicional e abandonou a carreira artística, vivendo uma vida longe dos holofotes.