Encontro Calcinha Preta Paulinha

Vocalista do Calcinha Preta chora no “Encontro” com música para Paulinha Abelha, e viúvo recorda últimos dias da artista; assista

Clevinho Santos, marido de Paulinha, recordou como o quadro da cantora foi piorando muito rápido e do nada

A emoção tomou conta do “Encontro” desta quarta-feira (30). A banda Calcinha Preta foi convidada pelo programa, e o vocalista, Daniel Diau, não conteve o choro ao cantar a música “Paulinha”, em homenagem à Paulinha Abelha. Clevinho Santos, viúvo da cantora, também recordou seus últimos momentos ao lado da artista, que faleceu em 23 de fevereiro.

No final do programa, o grupo de forró apresentou seu último lançamento, que é um tributo à vocalista que acompanhou por anos o Calcinha Preta. O telão da atração também exibiu uma imagem de Paulinha Abelha. Em meio a esse cenário, Daniel foi às lágrimas e ficou bastante comovido enquanto cantavam “Paulinha”.

Continua depois da Publicidade

Ao longo de sua participação, o Calcinha Preta explicou como foi difícil voltar aos palcos após a morte da estrela. “Foi um divisor de águas. A gente tava num misto de emoções, a gente não sabia o que ia acontecer, mas Deus é tão maravilhoso que a gente recebeu uma multidão de fãs. […] Veio gente do Maranhão inteiro pra esse evento [em Mata Roma] e a gente ficou muito tranquilo, mas é lógico que tiveram momentos, a abertura mesmo, em que a Paulinha aparece no telão, foi difícil segurar”, disse Bell Oliver.

Clevinho também conversou com Fátima Bernardes e recordou como tudo aconteceu de forma muito rápida. “Do nada, a Paulinha passou mal. Na segunda, a gente saiu, tava em São Paulo. Na terça, ela começou a vomitar, sentir algumas dores nas costas. Daí, a gente remarcou nosso voo que seria na quarta, pra quinta. Ela falou: ‘Não, amor, quando chegar em Aracaju eu vou no hospital, que é melhor’. Eu chamei ela pra ir em São Paulo, só que ela não queria”, recordou ele.

Clevinho Paulinha Abelha1
Clevinho, marido de Paulinha Abelha, lembrou como o quadro da esposa evoluiu muito rápido, até sua morte. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Já em Aracaju, Paulinha foi até andando ao hospital, quando ninguém imaginaria que a situação ficaria tão grave. “Eu ainda conversava com ela, ela falava: ‘Oxente? Mas o que tá acontecendo?’. Ela tava ficando como se estivesse desorientada. Já tinha dois dias sem urinar. Então, ela começou a ficar meio assim, ‘broca’. ‘Amor, o que tá acontecendo?’. Aí eu disse: ‘Vai ficar tudo bem’. A gente chamava os médicos, eles conversavam. Aí foi onde tudo foi acontecendo. Teve que fazer hemodiálise, levar pra UTI, e da UTI foi onde intubaram ela e ela não conseguiu voltar mais”, disse Clevinho.

Continua depois da Publicidade

O viúvo da artista ainda contou que o casal planejava ter seu primeiro filho. “A gente, na verdade, tava fazendo tratamento. Fizemos ano passado. Esse ano a gente iria continuar o tratamento. Inclusive, a gente tinha conversado que depois do São João, nós iríamos tentar novamente fazer a inseminação. Não deu certo no ano passado, a gente suspendeu o tratamento, e a gente iria continuar agora. Porque era nosso sonho, o meu e da Paulinha principalmente, ela sempre sonhou em ser mãe. Infelizmente, como tudo isso aconteceu… Infelizmente, a vida nos pegou de surpresa”, lamentou ele. Assista:

Paulinha Abelha faleceu no dia 23 de fevereiro, aos 43 anos, após passar 12 dias internada em Aracaju. Segundo um laudo divulgado após a morte da cantora, quatro doenças foram responsáveis pelo óbito – meningoencefalite, hipertensão craniana, insuficiência renal aguda e hepatite. Um outro documento, chamado de painel toxicológico, atestou a presença de 16 substâncias no corpo de Paulinha, como anfetaminas e barbitúricos.

Clevinho, por sua vez, pede que a investigação sobre as causas da morte da vocalista do Calcinha Preta sigam, para tentar entender exatamente o que aconteceu e como tudo chegou nesse ponto.