Presidente Atletico

Presidente do Atlético-GO tira máscara de repórter, cita Bolsonaro, e atitude causa revolta na web — assista

Nesta quinta-feira (9), o presidente do time de futebol Atlético Goianiense, Adson Batista, causou polêmica por um gesto que foi muito criticado. Enquanto dava entrevista após a vitória dos goianos na última rodada do Campeonato Brasileiro, ele puxou a máscara do jornalista Juliano Moreira, da rádio Band News. O dirigente ainda citou o presidente da república, Jair Bolsonaro, para tentar “justificar” sua atitude.

Na ocasião, o Atlético-GO havia vencido o Flamengo por 2 a 0, e o repórter questionou Adson sobre o atual treinador da equipe, Marcelo Cabo. “Presidente, Marcelo Cabo atingiu todos os objetivos?”, perguntou Juliano. O presidente do time, quando viu que o jornalista usava máscara, disse: “Nós somos Bolsonaro, para com esse negócio, tire a máscara”. No entanto, antes de iniciar sua resposta, ele puxou o objeto de proteção do rosto do correspondente esportivo.

Na sequência, antes de ir direto ao que havia sido perguntado, ele tentou “mudar” sua atitude: “Eu sou, mas até quando… eu não estou vestindo camisa, mas eu sou verdadeiro”. Assista:

O UOL entrou em contato com os representantes do time, mas segundo a publicação, eles não quiseram comentar o ocorrido. De qualquer forma, a atitude do presidente desagradou os internautas, que apontaram que ele “passou dos limites” e que o repórter deveria tomar medidas judiciais contra Adson.

“Onde já se viu, meter a mão no rosto dos outros para arrancar uma peça de proteção?”, apontou um perfil. “Inacreditável que uma pessoa que já teve Covid continue tendo atitudes como esta”, disse mais um. “Isso é no mínimo falta de educação. Todos temos direito a nossas escolhas políticas inclusive a de não acreditar na ciência. Mas puxar a máscara do outro, assim do nada, passou dos limites”, escreveu outro. Confira mais reações:

Como citado por muitos nas redes sociais, Adson Batista pegou Covid-19 em junho deste ano. Após contrair o vírus, ele teve quase 40% do pulmão comprometido e precisou se afastar do clube por mais de duas semanas.

“Passei por momentos muito difíceis e chega um momento que você que vai perder a batalha. Graças a Deus estou aqui, mais fortalecido, e não fiquei com nenhuma sequela. Isso foi o mais importante! Em certos momentos você fica fraco e com dificuldade de alimentar. Fiquei com muita dor de cabeça e tive enxaquecas profundas”, disse o dirigente em entrevista à Rádio Sagres.

Confira a entrevista completa [Adson fala sobre a Covid a partir do minuto 4’08”]:

O Atlético-GO terminou o Campeonato Brasileiro na nona colocação, com 53 pontos. O time disputava uma vaga na próxima Copa Libertadores com o América-MG, que levou a melhor na rodada e garantiu a classificação. Apesar disso, os goianos estarão na Copa Sul-Americana em 2022.