Milena Bemfica revela motivo da briga com goleiro Jean, detalha agressão e relembra como as filhas a ajudaram: “Veio pra cima com tudo”

Após ter sido agredida pelo goleiro Jean, do São Paulo, Milena Bemfica abriu o jogo com o “Fantástico” e detalhou a fatídica noite, em entrevista que foi ao ar neste domingo (29). Apesar das decisões tomadas pela Justiça norte-americana, a mãe das duas garotinhas – que presenciaram as cenas de violência – ainda não sabe se denunciará o jogador também aqui no Brasil.

Segundo Milena, a relação entre os dois mudou quando ela descobriu uma infidelidade de Jean. Ela teria ameaçado enviar mensagens para a amante do goleiro, quando ele se revoltou: “Brigamos porque ele queria tirar o tablet. Ele veio me enforcar e mordi o dedo dele. Aí ele já veio me dando socos no rosto. Eu reagi com uma prancha de chapinha”.

Ao “Fantástico”, Milena Bemfica revelou que uma traição teria sido um dos estopins para a briga do casal, que levou à violência (Foto: Reprodução/TV Globo)

“Bati tão forte que a prancha quebrou, e ele saiu correndo. Joguei a prancha nele, e a lâmina causou o corte na perna. Assim ele veio para cima com tudo”, recordou Bemfica. Nesta hora, Jean teria desferido oito socos no rosto da esposa, e foi graças às filhas que ela conseguiu se desvencilhar e fazer seu apelo na Internet. “Só consegui ir para o banheiro e gravar o vídeo quando as crianças chegaram perto dele, e ele foi segurá-las”, adicionou.

De acordo com a Veja, Jean teria assinado um acordo ainda nos Estados Unidos, garantindo que não faria qualquer contato com a esposa. Mas no Brasil, ela ainda não sabe se quer que seu caso seja enquadrado na Lei Maria da Penha. “Eu realmente estou perdida, mas sendo orientada por psicólogo e advogada para fazer o melhor para ambas as partes”, afirmou Milena.

“Vou recomeçar e que ele consiga, tendo a cabeça dele no lugar e nunca mais errando como fez comigo”, finalizou a vítima, que assegura não guardar mágoas de seu agressor. “Nunca achei que poderia se transformar da forma que ele se transformou. Eu já perdoei o Jean, não pago o mal com o mal”, concluiu.

Confira a entrevista abaixo, ou clicando aqui:

No último dia 21, Milena voltou às redes sociais e lamentou a postura do jogador após o ocorrido – ela e as filhas não haviam recebido um suporte. “Até a presente data, não fui procurada nem por ele, nem por ninguém para prestar assistência. Não obstante por estar em outro pais com duas menores”, contou ela, em um comunicado publicado no seu Instagram. “Estou fragilizada fisicamente, psicologicamente, sozinha, em um país diferente do meu com duas crianças”.

No relatório divulgado pela polícia dos EUA, o xerife afirma ter confirmado a história com outras pessoas – que tiveram suas identidades protegidas. Na ocasião, Bemfica revelou que suas duas filhas presenciaram toda a violência e que confirmaram seu relato: “Não se pode acreditar em hipótese alguma que minhas duas filhas uma de 05 e outra de 03 de idade estejam mentindo, inventando os fatos”.

Ela também fez questão de justificar por que pediu ajuda pelas redes sociais, pouco após ter sido agredida. “Em momento algum eu quis denegrir ou tornar público uma discussão de família, mas sim, usei as redes sociais para me pronunciar e pedir SOCORRO da violência doméstica com medo, e pensando nas minhas filhas menores”, explicou. “Diante da gravidade eu não posso me manter calada”, completou Bemfica. Olha só:

View this post on Instagram

NOTA DE ESCLARECIMENTO: Venho me pronunciar e colocar um ponto final sobre os últimos acontecimentos aqui no insta. Depois de longa conversa com profissionais jurídicos, cheguei à conclusão ao falar com meu advogado @doutorgabrielbomfim de me posicionar para todos. Infelizmente diante desse momento de dor e aflição venho recebendo ataques de fakes me ofendendo e me julgando. Aproximadamente um mês pessoas vem utilizando de fakes para me Perseguir e me causar transtornos e também a minha família. Em momento algum eu quis denegrir ou tornar público uma discussão de família, mas sim usei as redes sociais para me pronunciar e pedir SOCORRO da violência doméstica com medo, e pensando nas minhas filhas menores. Jean é um bom pai e foi um bom marido, sobre o caso específico as providências já estão sendo adotadas. Nessa viagem eu estava sem o whatsapp pois tive o meu telefone celular roubado em São Paulo. Assim como milhões de mulheres no mundo passam pela mesma situação e vivem caladas e com medo acreditando na melhora do agressor. Mas diante da gravidade eu não posso me manter calada. Não se pode acreditar em hipótese alguma que minhas duas filhas uma de 05 e outra de 03 de idade estejam mentindo inventando os fatos. Preferi não prestar queixa formal nos EUA, com intuito de não permitir a prisão do pai das crianças em outro território. As demais atitudes, bem como ingressar com as indenizações pertinentes, a representação dele no Brasil pela Lei Maria da Penha, já estão sendo estudadas e examinadas junto com o corpo jurídico dos meus advogados. Até a presente data NÃO FUI procurada nem por ele nem por ninguém para prestar assistência. Não obstante estar em outro pais com duas menores. Peço que parem de me julgar, violência doméstica não é um mero capricho, uma discussão de família, se vocês observarem vão perceber o quanto eu estou fragilizada fisicamente, psicologicamente, sozinha, em um país diferente do meu com duas crianças. Espero dar um ponto final nisso e que as coisas possam se resolver da melhor forma. Obrigada. 21.12.2019, Eua, Orlando.

A post shared by A Honra e a Glória é de Deus!🙌 (@maedasmarias01) on

Pedido de Socorro de Milena

As primeiras informações sobre o caso vieram na madrugada do dia 18, quando Milena publicou no Instagram, vídeos nos quais aparecia com o rosto bastante machucado. “Gente, eu tô aqui, em Orlando e olha o que o Jean acabou de fazer comigo. Alguém me ajude! Jean acabou de me bater. Ai, meu Deus! Gente, socorro!”, dizia ela na gravação.

Aparentemente bastante chocada e abalada, Milena mostrou o rosto inchado e um hematoma na bochecha direita. “Minha mãe, calma, eu tô bem, mas olha pra isso gente! Jean, goleiro do São Paulo, olha o que ele fez comigo, eu quero justiça. Eu quero justiça! Ele tá falando aqui na porta e eu tô trancada no banheiro. Ai, meu Deus!”, desabafou ela na gravação em que era possível ouvir uma voz masculina ao fundo.

Os vídeos foram deletados, mas a vítima fez um novo pronunciamento. “Aqui são 5 da manhã. Preciso assimilar tudo e depois falo com vocês! Essa situação não pode passar”, escreveu em um Stories antes de postar outra gravação. “Meus amores, como tem muita gente preocupada comigo e eu tô sem celular, [saibam que] já passou, eu tô com as meninas e tá tudo bem. Depois eu vou me pronunciar. Tô falando aqui, porque tô sem WhatsApp, incomunicável, mas tá tudo bem”, tranquilizou ela, sem mostrar o lado do rosto machucado.

Assista abaixo:

Vixe, gente! Confira o pronunciamento do São Paulo Futebol Clube, relembre a decisão da Justiça e outros desdobramentos do caso clicando aqui.